14/04/11

o espertalhão

O dito-cujo, entre Zeinal Bava e Balsemão.
O gajo gosta de lançar umas bojardas, como um adolescente com a mania de que é rebelde e muito inteligente. Ou, então, uma espécie de Lady Gaga à portuguesa que sabe chocar para melhor se vender. Arrogante, irritante, embirrante. Imoral. 

Pedro Boucherie Mendes: Custa-me acreditar que vivemos em crise
12 de Março, 2011por José Fialho Gouveia
SOL

Para o director dos canais temáticos da SIC, crise existe em África. Sem papas na língua, diz que não compreende um país em que os jovens não andam de scooter mas andam de Smart. Entrevista de José Fialho Gouveia.

campanha negra contra o presidente cavaco continua


Então, rapaziada? Ainda não perceberam que ele já ganhou? Que continua no doce aconchego de Belém a gozar as suas múltiplas reformas e as delícias de uma presidência podricalha? Parem com esta campanha negra e já. Tudo mentiras, atoardas para lhe denegrir o bom nome. Pois.

ah fanã, ganda fanã!

a democracia está em perigo

Os judeus, agora, somos todos nós.
Até eu, que de economia nada sei, percebi, há muito, o que estava na forja. E, agora, o New York Times, que de simpatias esquerdistas ninguém pode acusar, nem é suspeito de participar em conspirações anti-capitalistas, vem denunciar isso mesmo. O Sócrates, esse socialista de quatro costados, é que não viu, não reparou, não protestou, não escoicinhou. 

O mundo está numa encruzilhada cada vez mais perigosa. A ditadura do capital ganha forma e terreno. Já aqui o escrevi: tudo isto faz lembrar os tempos que antecederam a II Guerra Mundial só que, em vez de um Hitler, o louco assassino de agora, aquele que quer conquistar o mundo e formar um novo Reich, chama-se "mercados", bonito eufemismo para banqueiros, investidores, jogadores "a dinheiro" sem coração nem escrúpulos. 

O artigo foi publicado no jornal SOL, também ele acima de qualquer suspeita.

não confunda os sem-emprego com os desempregados

alguém viu isto na televisão?

13/04/11

burros de carga

Férias, este ano, só se for em frente do computador. O do patrão, que o nosso vai para o prego!
Afinal, como é que é? Os portugueses são madraços, dizem os patrões, estão mal preparados, inventam maleitas para não vir trabalhar, uma desgraceira, por isso estamos como estamos, por isso é que o país não avança e estamos na penúria.

Leiam. A notícia provém da insuspeita AGÊNCIA FINANCEIRA online. 

o charlatão 2

O primeiro, já toda a gente sabe qual é.

uma ajuda muito bem paga


E eu, tadinho, a pensar que eles nos iam emprestar dinheiro sem receber nada em troca!

FMI lucra 520 milhões com Portugal
A operação de resgate financeiro a Portugal dará um lucro aproximado de 520 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e de 1060 milhões aos países europeus.

O pacote de ajuda, anunciado na semana passada, deverá rondar os 80 mil milhões de euros e será disponibilizado em várias tranches já este ano e até 2013. Deste bolo, o FMI emprestará 20 800 milhões de euros.

Como o Banco Central Europeu (BCE) decidiu iniciar a subida de juros este mês, agravando assim os custos suportados pelo FMI e pela União Europeia quando forem ao mercado buscar dinheiro para Portugal, a factura pode ser ainda mais alta.

A margem de lucro resulta da diferença entre a aplicação da taxa de juro final praticada e o custo de financiamento do FMI e da UE, que no caso de Portugal deverá rondar 3%, com tendência para subir.

In Diário de Notícias

ainda o caso desnobre


Texto retirado do blogue Página Lusófona:

FUGA DEMONSTRA COBARDIA POLÍTICA

Este Nobre é desnobre e foge logo às primeiras. Tal qual os PIDES que em 25 de Abril de 1974 pareciam ratos a fugirem do passado de sevícias que infligiram a milhões de portugueses no continente e nas então colónias. Negando sempre que podiam não ter pertencido à malfadada polícia fascista. Ou alegando que eram polícias de fronteira, escriturários… Cobardes, isso sim.

Este desnobre fugiu do Facebook como quem não quer a coisa, depois de ter demonstrado que afinal é mais um oportunista político que perante o aliciamento do sistema, agora representado por Passos Coelho, do PSD, adere a ele para tirar vantagens pessoais e manda às urtigas centenas de milhares de apoiantes que teve efetivamente nas últimas eleições presidenciais, em que se dizia contra o vergonhoso sistema político existente em Portugal, em que se dizia apartidário, em que se dizia prosseguir do mesmo modo e não perspetivar enveredar pelo caminho que enveredou, dececionando essas mesmas centenas de milhares e mais os que viriam e representavam um capital político assente no acreditar, em quem afinal não merecia.

rir da desgraça

10/04/11

tenha vergonha, dr. fernando nobre!


Dr. Nobre, que de nobre, pelos vistos, nada tem: o Sr. enganou-nos. Muitos, quase todos os que votaram em si e em si acreditaram. Acreditaram ser um candidato diferente dos outros, mais puro, menos comprometido com o lodaçal, com o estrume da política portuguesa. Eu lutei por si, fiz-lhe propaganda, incluindo neste blogue. Não me envergonho do que fiz. Acho que quem deve ter vergonha é o senhor. O senhor não é como os outros com quem se juntou agora em união de facto para concorrer às próximas eleições. É pior. Ainda consegue ser pior. E, a mim, só me apetece bater-me.

Segue-se a comunicação, honradíssima, de Pedro Passos Coelho.

vai uma voltinha?

a melhor acção dos homens da luta

Lata e coragem, sim senhor!

e que tal uma avaliação de alunos?

É que, aturar super-heróis deste jaez, devia ser proibido. A bem da saúde dos professores e dos alunos que querem estudar.

a lucidez de saramago


Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo... e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.

José Saramago, Cadernos de Lanzarote, Diário III

é disto que estamos a precisar


Desta e de outras iniciativas, muitas mais, incluindo as nossas, nos nossos blogues, nas redes sociais, em conversas de rua, participando activamente em movimentos cívicos, assinando petições, radicalizando o discurso, contribuindo para que o mundo seja mais do que a quinta onde uns quantos nababos, sem ofensa para os nababos, enriquecem desmesuradamente à custa do sofrimento humano.

A ideia partiu de 22 deputados europeus

Nasce em Bruxelas um grupo de pressão contra o lobby bancário