03/12/11

a hipocrisia americana, agora com legendas em português

imagens do terceiro mundo

Não, não são retratos de qualquer cidade pobre da América Latina, da Ásia, de África. São do poderoso, rico, decadente império americano.

Detroit
Detroit
Cleveland
Local não identificado
Filadélfia
Fotos recolhidas em: http://www.nairaland.com

quem disse que a luta não pode ter festa?

Imagens de Occupy Broadway. Nova Iorque esteve em festa esta noite. Roo-me de inveja.



as crianças das famílias pobres são preguiçosas, deviam ser postas a trabalhar

São palavras de Newt Gingrich, um ser abjecto e um dos cabecilhas do Partido Republicano. Quem diz que estamos a assistir a um retrocesso civilizacional não mente nem exagera. Esta gente quer os trabalhadores reduzidos a mão-de-obra barata, sem regalias, sem direitos, sem horários de trabalho decentes, sem férias. Passos Coelho é um mero joguete nas suas mãos. Um fantoche perigoso.

02/12/11

bruxelas ou lisboa, a luta é a mesma!

Hoje, em Bruxelas.

dá que pensar

occupy broadway

Das 6 da tarde de hoje (11 da noite em Lisboa) até às 6 da manhã, o movimento Occupy vai ser na Broadway com espectáculos contínuos de teatro e música. E se nós, à nossa medida, ocupássemos o Parque Mayer?

mensagem de natal de pedro passos coelho

conselho de amigo


Tem o écrã do seu computador sujo, mesmo muito sujo? Aprenda aqui como limpá-lo da maneira mais eficaz, sem danificar o monitor.

será que estes computadores, made in china, são vendidos em portugal?

pelo aparato policial e bélico, até parece que rebentou a guerra!

Occupy Los Angeles na noite passada.

ao ataque, meus piratas!


Fonte: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

é por esta e por outras como esta que a vida ganha cor

a propósito do 1 de dezembro houve quem lembrasse que, em portugal, os traidores costumam ser atirados pela janela, infelizmente não temos é arranha-céus de jeito para o efeito ser tão grandioso como convém

volta escudo, estás perdoado!

sarkomerkel? merkozy? que venha o diabo e escolha!

está boa esta!

os homens que nos desgraçam e de quem o povo tanto gosta

01/12/11

"condemónios" privados

Quem são os vizinhos de Cavaco Silva na Herdade da Coelha?

os crimes contra a humanidade com a etiqueta "made in USA"

já vivi nesse país e não gostei

Por Isabel do Carmo

O primeiro-ministro anunciou que íamos empobrecer, com aquele desígnio de falar “verdade”, que consiste na banalização do mal, para que nos resignemos mais suavemente. Ao lado, uma espécie de contabilista a nível nacional diz-nos, como é hábito nos contabilistas, que as contas são difíceis de perceber, mas que os números são crus. Os agiotas batem à porta e eles afinal até são amigos dos agiotas. Que não tivéssemos caído na asneira de empenhar os brincos, os anéis e as pulseiras para comprar a máquina de lavar alemã. E agora as jóias não valem nada. Mas o vendedor prometeu-nos que… Não interessa.

Vamos empobrecer. Já vivi num país assim. Um país onde os “remediados” só compravam fruta para as crianças e os pomares estavam rodeados de muros encimados por vidros de garrafa partidos, onde as crianças mais pobres se espetavam, se tentassem ir às árvores. Um país onde se ia ao talho comprar um bife que se pedia “mais tenrinho” para os mais pequenos, onde convinha que o peixe não cheirasse “a fénico”. Não, não era a “alimentação mediterrânica”, nos meios industriais e no interior isolado, era a sobrevivência.

Na terra onde nasci, os operários corticeiros, quando adoeciam ou deixavam de trabalhar vinham para a rua pedir esmola (como é que vão fazer agora os desempregados de “longa” duração, ou seja, ao fim de um ano e meio?). Nessa mesma terra deambulavam também pela rua os operários e operárias que o sempre branqueado Alfredo da Silva e seus descendentes punham na rua nos “balões” (“Olha, hoje houve um ‘ balão’ na Cuf, coitados!”). Nesse país, os pobres espreitavam pelos portões da quinta dos Patiño e de outros, para ver “como é que elas iam vestidas”.

Nesse país morriam muitos recém-nascidos e muitas mães durante o parto e após o parto. Mas havia a “obra das Mães” e fazia-se anualmente “o berço” nos liceus femininos onde se colocavam camisinhas, casaquinhos e demais enxoval, com laçarotes, tules e rendas e o mais premiado e os outros eram entregues a famílias pobres bem- comportadas (o que incluía, é óbvio, casamento pela Igreja).

Na terra onde nasci e vivi, o hospital estava entregue à Misericórdia. Nesse, como em todos os das Misericórdias, o provedor decidia em absoluto os desígnios do hospital. Era um senhor rural e arcaico, vestido de samarra, evidentemente não médico, que escolhia no catálogo os aparelhos de fisioterapia, contratava as religiosas e os médicos, atendia os pedidos dos administrativos (“Ó senhor provedor, preciso de comprar sapatos para o meu filho”). As pessoas iam à “Caixa”, que dependia do regime de trabalho (ainda hoje quase 40 anos depois muitos pensam que é assim), iam aos hospitais e pagavam de acordo com o escalão. E tudo dependia da Assistência. O nome diz tudo. Andavam desdentadas, os abcessos dentários transformavam-se em grandes massas destinadas a operação e a serem focos de septicemia, as listas de cirurgia eram arbitrárias. As enfermarias dos hospitais estavam cheias de doentes com cirroses provocadas por muito vinho e pouca proteína. E generalizadamente o vinho era barato e uma “boa zurrapa”.

E todos por todo o lado pediam “um jeitinho”, “um empenhozinho”, “um padrinho”, “depois dou-lhe qualquer coisinha”, “olhe que no Natal não me esqueço de si” e procuravam “conhecer lá alguém”.

Na província, alguns, poucos, tinham acesso às primeiras letras (e últimas) através de regentes escolares, que elas próprias só tinham a quarta classe. Também na província não havia livrarias (abençoadas bibliotecas itinerantes da Gulbenkian), nem teatro, nem cinema.

Aos meninos e meninas dos poucos liceus (aquilo é que eram elites!) era recomendado não se darem com os das escolas técnicas. E a uma rapariga do liceu caía muito mal namorar alguém dessa outra casta. Para tratar uma mulher havia um léxico hierárquico: você, ó; tiazinha; senhora (Maria); dona; senhora dona e… supremo desígnio – Madame.

Os funcionários públicos eram tratados depreciativamente por “mangas-de-alpaca” porque usavam duas meias mangas com elásticos no punho e no cotovelo a proteger as mangas do casaco.

Eu vivi nesse país e não gostei. E com tudo isto, só falei de pobreza, não falei de ditadura. É que uma casa bem com a outra. A pobreza generalizada e prolongada necessita de ditadura. Seja em África, seja na América Latina dos anos 60 e 70 do século XX, seja na China, seja na Birmânia, seja em Portugal.

erotismo vintage

São obras de Art Frahm, um artista norte-americano especialista em desenhar pin-ups a quem, invariavelmente, caem as calcinhas em lugares públicos. À época talvez uma indecência, agora uma inocência.




300 economistas em apoio ao movimento occupy wall street

se é esta caganita histérica que vai salvar o futuro da europa, eu quero regressar ao condado portucalense


«Sarkozy revelou hoje que vai encontrar-se com a chanceler alemã na próxima segunda-feira, em Paris, para "salvar o futuro da Europa".»

fuzilem-se os grevistas!

Jeremy Clarkson, apresentador na BBC, afirmou alto e bom som que "os grevistas deviam ser todos fuzilados, em frente das famílias". Nada de grave. Muita gente deverá ter aplaudido estas palavras e achado que só se perdem as que caiam no chão. As balas. A Europa está cada vez mais fascista e, de vez em quando, aparece uma alma penada a dizer aquilo que muitos ainda não ousam. Por enquanto.

PS abstém-se na votação do orçamento do estado

Tão ladrão é quem vai à horta como aquele que fica à porta.

o discurso de um filho criado por duas mães

estamos f...., perdão, no bom caminho


Fonte: http://henricartoon.blogs.sapo.pt/

30/11/11

sem título

não há nada pior do que ser elogiado por um canalha (robert schumann)

Não sei porquê, lembrei-me desta frase quando ouvi há pouco, na televisão, alguém elogiar o António José Seguro.

finalmente, o vaticano aprova o uso do preservativo

Roubado a http://samuel-cantigueiro.blogspot.com

um vídeo chocante revelado pela wikileaks

Em Bagdad, confundindo as máquinas fotográficas dos jornalistas com armas, militares norte-americanos resolvem disparar a partir de um helicópetro assassinando cerca de 12 pessoas, incluindo dois repórteres. O vídeo foi obtido e descodificado pela Wikileaks.




o reino unido está em greve

a ignorância e a má fé vieram de carrinho, hão-de ir de carreta

pornografia não é isto, pornografia é roubar aos pobres para dar aos ricos

state of the art

Por Pedro Vieira
http://arrastao.org/

ao pedro, ao vítor e demais maralha, os votos de um feliz natal, tão bom como o da maioria dos portugueses

a campanha americana contra o consumismo de natal

agradeçamos ao nosso anjinho um orçamento benigno


Fonte: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

eu não sou da ASAE e até eu o fechava e era já

roubalheira consumada


O parlamento acabou de aprovar o Orçamento do Estado. O assalto selvagem à bolsa e à vida dos cidadãos portugueses acaba de se concretizar. Viva Portugal! Vivam os portugueses que votam PS/PSD/CDS e na sua própria desgraça! Obrigado. Muito obrigado.

portugal agride deus


Governo quer acabar com Corpo de Deus.

Publicado por António Fernando Nabais
em http://aventar.eu/

quem não confisca não petisca e o fisco é lambareiro

ainda sobre o gajo da vespa que por acaso é ministro e por acaso é-o da solidariedade e por acaso é-o de um governo que empobrece os portugueses



Fonte: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

recordar é viver

Recordemos pois a hipocrisia, a demagogia, o populismo dos políticos que nos governam, nos desgovernam e se governam.

um indigente não paga impostos

e é por isto que merkel, sarkozy, barroso, coelho e tantos outros ficarão para a história

29/11/11

seguramente palerma


Seguro, o Tó Zé falou hoje às televisões, aos jornais, às rádios, aos portugueses, ao mundo. Congratulando-se pela SUA grande vitória no parlamento, onde conseguiu a cedência, por parte do governo, de algumas benesses para os portugueses mais desfavorecidos. Até recebeu, vejam lá!, até recebeu uma infinidade de emails de gente a agradecer-lhe, ao que ele riposta que não fez mais do que o seu dever, que é por estas grandes vitórias que vale a pena ir para a política e porque torna e porque deixa e por mais isto e mais aquilo.

A mesura da imagem acima simboliza a minha sincera homenagem a tão atoleimada criatura. Continue. Inflexível. Ridículo.

paulo não perde o jeito

O ministro dos Negócios Estrangeiros anda de feira em feira, perdão, de país em país a vender produtos portugueses. E nem falta o beijinho da praxe aos ditadores que antes abominava.

junto-me aos que festejam o upgrade do ministro mota

nem toda a nudez será castigada

esperada, para amanhã, a maior greve de sempre no reino unido

Mas, afinal, a crise é só na zona euro? E então os protestos nos Estados Unidos? E em Inglaterra? E na Austrália? E no Chile? O que está em crise é o capitalismo que, enquanto estrebucha e esperneia, quer levar consigo milhões e milhões de pessoas em todo o mundo.

o melhor de occupy wall street

américo amorim ou as aventuras e desventuras de um pobre trabalhador sem dinheiro para pagar ao fisco

quarta-feira, enterra-se a democracia


Corre na net e divulgo cumprindo uma obrigação patriótica e cívica:

Na próxima quarta-feira, dia da aprovação final do OR para 2012, será depositada por um grupo de cidadadãos, uma coroa fúnebre de cravos vermelhos nas escadarias da AR, espaço que é de todos os cidadãos.

Não há garantias que a polícia ou funcionários diligentes, por lá a deixem permancer. Convidamos todos os cidadãos que por lá passem a deixar uma vela e a tentar zelar pela permanência da sentida homenagem fúnebre e eterna saudade à Democracia.

trabalhem, madraços!


O governo corta feriados. Naquele seu jeito de quem insinua que os trabalhadores são calões, ganham demais, vivem acima das suas possibilidades, diz que temos feriados a mais, repetindo aliás as palavras de Merkel de há uns tempos atrás, que palavra de Merkel é lei, nisto e em tudo o mais, patroa é patroa e o resto é conversa. 

Pois bem, o Expresso publica no seu site uma infografia com os feriados da Europa Comunitária. Veja quem tem tantos ou mais feriados do que Portugal, agora com o corte de 13 para 9 dias:

Reino Unido: 8 feriados
Portugal: 9 feriados
Espanha: 9 feriados
Bélgica: 9 feriados
Alemanha: 9 feriados
Roménia: 9 feriados
Irlanda: 10 feriados
Itália: 10 feriados
Lituãnia: 11 feriados
Hungria: 11 feriados
Bulgária: 11 feriados
França: 12 feriados
Holanda: 12 feriados
Áustria: 12 feriados
República Checa: 12 feriados
Grécia: 12 feriados
Dinamarca: 13 feriados
Polónia: 13 feriados
Finlândia: 14 feriados
Letónia: 14 feriados
Eslovénia: 14 feriados
Eslováquia: 15 feriados
Suécia: 16 feriados
Estónia: 22 feriados

Agora sim, um dado de que o governo se orgulhará: em redução de feriados, não estamos na cauda mas na frente do pelotão. Um dado curioso: ficamos exactamente com o mesmo número de feriados da Alemanha, até nisto se vê como Coelho escuta a voz da dona. É interessante também registar que o número de feriados nada tem a ver com a riqueza ou pobreza de cada país, se assim fosse a Suécia, com 16 feriados, estava na penúria. Finalmente, gostaria que alguém inventariasse os países onde é costume fechar as portas das empresas entre o Natal e o Ano Novo, representando dias de férias, ou feriados se se quiser, não contabilizados nestas estatísticas. 

Mais informação em: 

gangsters em acção!

liberdade!

estou cheio de pena ...

28/11/11

há mais maneiras de mostrar amor

ca'ganda novidade nos estás a dar!

os heróis anónimos de wall street

As entidades oficiais americanas falam à boca cheia de democracia, liberdade de expressão, direitos humanos, tolerância e outras palavrotas bonitas para adormecer criancinhas à hora da sesta. Claro que há muito os topamos de ginjeira, só enganam os papalvos, os indiferentes, os apaniguados e os lambe-cus de serviço. O que é preciso agora é que o povo americano abra também os olhos e se junte cada vez mais a este grande movimento de protesto em Wall Street e em tantos outros lugares da América.






mas quando é que o nosso parlamento tem uma mulher destas como deputada?





e você? também está contra os que querem mudar o mundo?

fado mestiço








vai mais um fadinho?

é fado, senhores, é fado

Nem toda a gente gosta de fado, Como nem toda a gente gosta de tango, ou de flamenco, ou de jazz, ou de música barroca. Eu gosto disso tudo. É o coração que pede.

apesar das balas, eles continuam na praça tahrir

27/11/11

o fim da pobreza?

a polícia ao serviço da "democracia"

sempre, sempre pelo bom caminho!


Fonte: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

estou a ver as coisas muito negras







A censura voltou. Como podem ver lá mais para baixo, neste blogue, o vídeo que mostrava o polícia à paisana a cascar num manifestante foi apagado do Vimeo. O mesmo, ao que me informam, aconteceu no You Tube. Mas, claro, o vídeo existe e continuará a ser difundido, seja por que meio for.

Leia mais no blogue 5 dias:

Podem apagar o vídeo, proteger o trambolho e salvaguardar o extremista Miguel Macedo. Podem dizer que o alemão é anarquista, que a manifestação foi violenta ou que estava em causa a segurança nacional face a um homem que não ofereceu resistência. A memória não se apaga tão facilmente e a sede de justiça não se mata sem justiça.

sexta-feira negra

Black Friday é uma tradição americana. Antes do Natal, as lojas abrem um dia, uma Sexta-Feira, promovendo descontos elevadíssimos. E, num país com mais de 40 milhões de pessoas a viver abaixo do limiar de pobreza, hordas, muitas vezes desordeiras, invadem as lojas e carregam mais um televisor, mais um computador, mais um traste para atafulhar a casa.