09/06/11

para perceber o que são e para que servem as agências de rating, comece por aqui


é tudo boa gente: duarte lima na mira da polícia portuguesa e brasileira


Duarte Lima é, para as autoridades brasileiras, o "principal suspeito" no caso do homicídio de Rosalina Ribeiro, adiantou ontem ao i Leonardo Sales, assessor do Ministério Público do Rio de Janeiro. O caso continua a ser investigado na divisão de homicídios chefiada por Felipe Ettore, "e alguns procedimentos sigilosos estão a ser executados", acrescenta o assessor, adiantando ainda que está a ser "apurado o envolvimento de outras pessoas no crime". Fonte ligada ao processo garante, no entanto, que a investigação estará "praticamente concluída" e só ainda não foi fechada por causa do massacre na escola em Realengo, no Rio de Janeiro, que ocupou as autoridades brasileiras "e atrasou alguns procedimentos". 

Ontem, enquanto o i avançava que Duarte Lima, advogado da ex-secretária de Tomé Feteira assassinada em Dezembro de 2009 no Brasil, tinha sido constituído arguido no caso da herança do milionário de Vieira de Leira, a revista "Sábado" adiantava que o ex-deputado do PSD não estava sozinho no Brasil na altura do crime. A polícia do Rio terá identificado uma mulher, Marlete Rosa Oliveira, natural de Minas Gerais, mas residente em Portugal, e que será colaboradora de Duarte Lima desde 2006. A mulher terá estado com o advogado no Brasil em Dezembro de 2009, o que explica o interesse da divisão de homicídios em reconstituir os passos do representante de Rosalina Ribeiro, explícito na primeira carta rogatória enviada para Portugal. 

Entre as 193 perguntas remetidas à Polícia Judiciária para serem feitas a Duarte Lima, figuram várias sobre as três viagens que o antigo líder parlamentar do PSD terá feito ao Brasil entre 3 de Setembro e 8 de Dezembro de 2009. "Estava acompanhado quando veio ao Brasil em Setembro de 2009? Em caso positivo, com quem? Onde se hospedou em Belo Horizonte? Ficou acompanhado de alguém? Em caso positivo, informar com quem", lia-se na carta rogatória, a que Duarte Lima não respondeu alegando não ter tido acesso à totalidade do processo no Brasil. Mais recentemente, as autoridades brasileiras enviaram uma segunda carta rogatória para Portugal. Depois disso, o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) solicitou "mais esclarecimentos" às autoridades brasileiras. "Na prática, o que se pretende saber é se Duarte Lima já terá tido acesso ao processo no Brasil", explica fonte da PJ, acrescentando que "até ao momento" ainda não chegou "qualquer resposta". 

Ontem a Lusa adiantou que Duarte Lima vai processar a filha de Tomé Feteira por "denúncia caluniosa". Em causa estão as declarações de Olímpia de Menezes em que acusa o antigo deputado de ter recebido 5,25 milhões de euros provenientes de contas que Feteira tinha na Suíça. "O que é mentira", garantiu fonte ligada aos advogados de Duarte Lima. O i tentou falar com o antigo deputado, que esteve incontactável. Já o seu advogado, Germano Marques da Silva, não quis pronunciar--se sobre o seu cliente. "Se o assunto é o Dr. Duarte Lima, não falo", limitou-se a dizer.

PS, um dos vencedores das eleições de domingo




Não percebo quem faz análise da derrota da esquerda declarando que o PS e o BE tiveram um mau resultado e a CDU estagnou. Se não tenho dúvida que a esquerda saiu derrotada, também não tenho dúvidas, que o PS foi um dos vencedores da noite.

Depois de seis anos de um governo composto por capitalistas incompetentes e de dúbia idoneidade, apoiado na promoção ao estrelato da administração pública e privada das figuras mais sinistras com o firme objectivo de rapar o último tacho, seria de esperar que o PS não conseguisse entregar o país ao PSD nas condições em que sempre se efectuou a permuta. Ao invés, para a rebaldaria instalada, a operação correu dentro do esperado como Soares terá transmitido à CIA.

Agora, ao PS, toca de se fingir de esquerda com um lifting na liderança, ficando à espera que o PSD lhe devolva o Estado que não conseguir vender.

Por Tiago Mota Saraiva, http://5dias.net

a dor



Estive a ver o telejornal, receita certa para a depressão. Mais desemprego anunciado. Velhos deixados em asilos sem que as famílias, alegadamente, tenham dinheiro para continuar a pagar as respectivas mensalidades. Gente morta há meses em casa sem que a família a tenha procurado. Filomena, a mãe de Rui Pedro, o menino desaparecido há 13 anos, a quem a esperança de reencontrar o filho mantém viva num corpo e num rosto onde as marcas de tortura são visíveis. Há uma parte de mim que não gosta de viver.

quem é amiguinho, quem é?



A amiga do Sr. Silva, Manuela Ferreira Leite, vai ser agraciada amanhã com uma alta condecoração pelo Presidente da República. Condecorações há muitas, de grande espada, de pequena espada, de ferro, de prata e até de lata. De tanto terem sido distribuídas a compadres e amigos ao longo dos anos valem o que valem para quem ainda valem alguma coisa. Curiosamente, num outro país também em crise, mais pequeno em população mas maior em respeito e justiça, a Islândia, julgam-se em tribunal os culpados por má governação enquanto em Portugal se condecoram. Aliás, neste caso, até quem medalha é o político que mais contribuiu para a situação de desgraça em que nos encontramos hoje.

começa a ser hora de reformar o regime


Os profissionais da política

Fico triste por ver este país entregue, de forma cada vez mais acentuada, aos profissionais da política (vulgo, pessoas cuja experiência profissional se resume, grosso modo, a uns telefonemas e, eventualmente, discursos em sedes partidárias). Sócrates, Assis, Seguro e Passos Coelho são a evidência de que a Lei de Gresham está em pleno vigor na política nacional.

A verdade é que Pedro Passos Coelho, já à semelhança do que sucedia com Sócrates e sucederá com o futuro líder da oposição (sendo ele Assis ou Seguro), não tem currículo para gerir uma PME. PPC deve tudo o que alcançou a contactos, influências e caciques políticos. Independentemente das qualidades que venha (ou não) a revelar, se não fosse a política, com o currículo que tem, PPC estaria desempregado ou, na melhor das hipóteses, a desenvolver trabalho não qualificado. Nenhuma empresa minimamente exigente com o currículo dos funcionários que contrata o contrataria como economista (a começar pelo facto de ter tirado o curso numa universidade fora do grupo Católica, Lisboa, Nova e Porto, com a agravante de o ter feito aos 37 anos e culminando no facto de chegar a esses 37 anos de idade sem ter experiência de trabalho relevante).

A gestão de um país exige os melhores dos melhores, e Passos está longe de ser um dos portugueses da sua geração com melhor currículo. Aliás, nem sequer está acima da média, longe disso. Nisso, é igual a Sócrates. Por isso, não me inspira confiança. É que está à vista o “valor acrescentado” que os profissionais da política trouxeram ao país. Começa a ser hora de reformar o regime.

Fonte: João Pereira dos Santos, http://aventar.eu

ele a dar-lhe e a burra a fugir-lhe!


Sua Excelência discursou hoje pela primeira vez desde as eleições. Afirmou que, agora, há mais verdade na vida pública, uma seta envenenada ao PS que deixo passar porque não é isso o que aqui me trás, mas sim uma frase, gasta, que Sua Excelência gosta de repetir no seu timbre entre o pároco de aldeia e o beato falso, "temos que mudar de vida", sugerindo assim que os portugueses vivem acima das suas possibilidades. Depois de serem tornados públicos os gastos astronómicos da presidência da república, sou forçado, uma vez sem exemplo, a concordar com Sua Excelência: alguém anda a viver acima das nossas possibilidades. Sua Excelência. Armando Vara. Manuel Dias Loureiro. Jorge Coelho. António Mexia. Rui Pedro Soares. Fernando Gomes. Domingos Duarte Lima. Ex-presidentes da república (talvez com a honrosa excepção de Ramalho Eanes), ex-primeiros-ministros, deputados e ex-deputados, autarcas e ex-autarcas, gestores e ex-gestores de empresas públicas, beneficiários e ex-beneficiários de Parcerias Público-Privadas, pensionistas de luxo e negociantes de lixo, a lista é longa mas nela não cabem todos os portugueses. Esses, na sua maioria, não vivem, oiça bem o que lhe digo e oiça-o de uma vez por todas, não vivem nem nunca viveram acima das suas possibilidades. A não ser que alimentar os filhos três vezes por dia em vez de uma ou nenhuma seja viver acima das possibilidades. Basta de tretas e, parafraseando-o também uma vez sem exemplo, haja mais verdade na vida pública. Peço-lhe Excelência, mude de vida, de chavões e de alvos das suas prédicas.

são as estatísticas, estúpido!



Ai este governo, este governo e a febre de ficar bem nas estatísticas. Nem agora, moribundo, abandona o marketing e a mentira ou o marketing da mentira. Chiça! Vão-se embora de vez! Ministra: vá lá escrever mais livros infanto-juvenis. Deixem-nos em paz, a apanhar os cacos que os senhores foram espalhando, na cultura, na educação, na indústria, na economia. Vão e não voltem! Ainda não perceberam que os queremos ver pelas costas? Irra!

A notícia: 

Professores têm de passar alunos que tenham negativa mas boa atitude
As escolas estão a atribuir mais importância à atitude e comportamento dos estudantes. Os professores dizem que são obrigados a passar quem tem negativa.


Os critérios de avaliação das escolas do ensino básico, definidos tendo em conta o objectivo de reduzir os “chumbos” – uma das metas impostas pelo Ministério da Educação – atribuem quase o mesmo peso aos testes e ao comportamento dos estudantes. 

A notícia está hoje no “Diário de Notícias”. “Se um aluno for pontual, respeitar os colegas e tiver bom comportamento nas aulas consegue tirar um 3 no final do período, mesmo tendo 34% nos testes, porque a média dá positiva”, conta ao jornal uma professora de História de Amarante.

Os professores ouvidos pelo DN queixam-se de não poderem dar negativas aos alunos que chumbam nos testes e acusam o ministério de Isabel Alçada de “trabalhar para as estatísticas”.

Fonte: Bruno Simões, http://www.jornaldenegocios.pt

mas que puta de democracia é esta?

Desculpem o palavrão, qualquer outra palavra, minguada, fingida, abastardada, hipócrita, condicionada, fraudulenta, aldrabona, caceteira, merdosa, também vinha a calhar mas puta sabe melhor, sem desprimor para as senhoras que exercem a profissão por necessidade ou gosto. A polícia de Valência, em Espanha, acabou com a acampada na cidade à cacetada, tendo dado voz de prisão a 5 manifestantes. Claro que isto não chega para acabar com a onda de revolta que atravessa a Europa. Dia 19, espero, lá estaremos de novo nas ruas, em muitas cidades deste velhíssimo Continente que sempre foi um exemplo de humanismo para o mundo, a gritar o nosso desprezo pelos políticos, a nossa preocupação pelo futuro, o nosso, o dos nossos filhos e netos, e a nossa indignação contra o neo-liberalismo que, usando a política, a polícia, a informação condicionada, o medo, a chantagem económica, continua a avançar e a querer dominar o mundo. Felizmente, a História dá-nos fortes exemplos, ao longo dos séculos, de que o crime só compensa a curto prazo.







isto com música sabe melhor!

carne para canhão

Sócrates deixou o PS em estado tal que qualquer líder que agora seja eleito é para queimar. António Costa sabe-a toda, é o que vos digo.


conheça o manifesto dos economistas estarrecidos


http://atterres.org/?q=node/1

imagens de uma revolução



o pequeno guitarrista

08/06/11

oh mamã, mamã, a mama acabou-se no domingo e eu estou tão triste!

facebook cocó, nunca!


Mark Zuckerberg garantiu que, ao contrário do rumor que corria, não abrirá o Facebook a menores de 13 anos. Isto porque, segundo Mark Zuckerberg, esses utilizadores não trariam grande retorno em termos de tráfego à rede social, dando apenas “likes” a posts que falassem de chichi e cocó, os temas que fazem as crianças rir, algo apenas disponível na página do deputado socialista José Lello, que ontem mesmo escreveu que “o Passos Coelho vai fazer chichi pelas pernas abaixo” e que “o Cavaco Silva é mesmo cocó”. VE

santo de pau carunchoso


Francisco Assis, que de santo só tem o nome, esganiça-se, chega-se à frente para suceder a Sócrates. Para além do aspecto de quem vai ao banho de 15 em 15 dias, e se me atrevo a falar nisso é porque um líder político, neste mundo de convenções, tem que cuidar da imagem, as suas contínuas manifestações de afecto e admiração pelo defunto Grande Líder não auguram nada de bom, nada mesmo. Claro que agora o PS virá com um discurso mais ou menos de esquerda, é assim que os socialistas agem fora do poder, mas o que conta não são as boas intenções, dessas estão o inferno e o mundo cheios, são os actos que praticam no exercício da governação do País. E esses foram tão execráveis como os de qualquer partido de direita. Piores, porque defraudam as aspirações e crenças da grande maioria dos seus eleitores. Os partidos de direita, já se sabe ao que vêm. Só é enganado quem quer. Ou quem, porque também os há, vota na santa ignorância do que está a fazer. Caciques, padres, falta de instrução e de cultura política, manipulação informativa, isolamento geográfico, sempre fizeram um bom trabalho. Não é de hoje nem de ontem mas não há-de ser sempre assim.

15 minutos de fama é pouco para gente assim

já que a tv não passa, passo eu (2)

aníbal condecora leite pelos altos serviços prestados ao país

à mercê dos mercados, seja lá o que isso for

Mas não há ninguém com eles no respectivo sítio, e até pode ser mulher que já as vi com mais coragem e sentido do dever do que muitos galifões, para mandar os mercados para aquela parte, que é de onde nunca deveriam ter saído? Como é que uns mânfios, sentados nos seus cadeirões forrados de sangue e ouro, mexem os cordelinhos e mandam às urtigas países e milhões de pessoas? Quem é que põe cobro a isto de uma vez por todas?

já que a TV não passa, passo eu

ana gomes e paulo portas


Comparar PP com DSK é como dizer, pelo menos é assim que o interpretará o cidadão comum, sempre guloso por picante mesmo que à custa de temperos alheios, que PP comete actos sexuais puníveis por lei. Se é verdade, Ana Gomes deverá prová-lo o mais rápido possivel. A não ser verdade, levantará suspeitas contra PP e uma onda de boatos onde não faltarão os que o viram nos lugares mais abjectos  com companhias menos recomendáveis. Mesmo que nunca lhe tenham posto a vista em cima.

Em Portugal, é muito fácil condenar figuras mediáticas na praça pública. E, quando isso acontece, o castigo é vitalício.

07/06/11

sabia que ...?


... a praça Syntagma, em Atenas, acolhe desde há 12 dias centenas de milhares de manifestantes, que não arredam pé em sinal de protesto contra as medidas de austeridade, o ataque dos "mercados", o domínio estrangeiro por parte da União Europeia e o FMI? 

Sabia? 

Viu alguma coisa na televisão? Leu alguma notícia nos jornais? Fique sabendo, se é que não sabe já: tal como este tema é matéria non grata, muita outra informação é censurada e manipulada. Este é o ponto a que chegámos nesta espécie de democracia.

as sondagens continuam mesmo depois das eleições


Quem é que quer ver no novo governo? O mal menor, alguém sério e competente ainda que com ideias quanto a si enviesadas ou tanto se lhe dá como se lhe deu? Ora diga. Aqui ao lado, na coluna da direita, onde devem estar, aliás, quaisquer temas ligados ao PSD e ao partido que lhe apanha a boleia, o PP de PP.

falar para o boneco


O manequim da Rua dos Fanqueiros, alcandorado por obra e graça de uns quantos a alfaiate cá da terrinha, está como quer, como sempre quis, alapado numa modorra podricalha na sua montra de luxo com sede em Belém e delegação a São Bento, um paraíso onde os trastes não se ficam pelos adelos circundantes. Porque houve troca recente de manequins, vai sofrer agora menos alfinetadas, usufruir de amistosa companhia nos encontros de costureirinhas às quintas-feiras. O novel modelo, que de virtudes não será, começou por fazer carreira na defunta Casa Africana. Ao contrário do peralvilho em boa hora enxotado da montra por indecente e má figura, não se veste em costureiros italianos nem franceses mas antes prefere as confecções Maconde. Só lhe ficam bem esses gostos patrióticos, a condizer com os trapicalhos expostos Fanqueiros fora, e o seu chefe, manequim-mor de fancaria, pode agora falar com o boneco. Para o boneco. Eles lá sabem as linhas com que se cosem. Quanto a nós, cá estaremos para ver onde param as modas nesta feira de vaidades em que se transformou Portugal. Pelo sim, pelo não, digo eu para os meus botões, vou mandar virar a casaca. A crise assim o exige. Ou não estivéssemos, entre cortes e tangas, fartos de andar de tanga.

tudo como dantes, quartel-general em abrantes


Todos sabem que esta prosa já era. Quase que nem merece existir. Há tanta coisa por aí sobre o resultado das eleições em Portugal. Para algum atrasado na atualidade é que ainda poderá ser útil: o PSD foi o partido mais votado nas eleições legislativas em Portugal.

Sobre o assunto têm imenso por onde escolher ainda hoje, na imprensa portuguesa e estrangeira. Os títulos soam a novidade, pelo menos parece que pretendem ser. Ao fim e ao cabo não é novidade alguma. Já sabíamos que seria o PSD o partido mais votado, com menos de 39 por cento dos votantes, e logo a seguir foi o PS com 28 por cento, depois o CDS com pouco menos de 12 por cento. E assim, aliando-se, formam uma maioria com 51 por cento dos votos, praticamente o mesmo que foi conseguido por Cavaco Silva ainda há meses na eleição para presidente da República.

O resultado desta aliança PSD-CDS, em termos de deputados, é que lhes dá mesmo uma maioria bastante significativa em número, 129 contra 97 da chamada esquerda. Faltam por aqui uns míseros resultados de deputados pela emigração que não irão mudar nada.

E então? Onde está a novidade? Estes foram os resultados que todos esperavam. Sabíamos que ia ser assim. Os mesmos, no mesmo sítio, com as mesmas políticas. Que dizem ser de direita. Mas então as políticas de Sócrates e do PS não são, não eram, de direita? Pois claro que eram. Há décadas que é assim!

Quererão dizer que agora, com Passos Coelho e com esta aliança PSD-CDS as políticas vão ser mais à direita? Que vão governar para o grande capital? Pois vão. Mas isso não é mudança nenhuma. Sócrates do PS era o que vinha fazendo. E foi ele que assinou, com a concordância do PSD e do CDS, que quem passa a governar em Portugal são as eminências pardas do FMI às ordens dos grande interesses dos empórios financeiros e dos interesses colonialistas da Alemanha, da França, da Holanda e da Inglaterra. Principalmente a Alemanha está a fazer da Europa sua refém. Refém da banca alemã. É assim na Grécia e em Portugal, mais descaradamente. Por isso a Merkel, arraçada de Hitler, da família xenófoba de Sarkosi, manda os povos do sul trabalharem mais. Surpresa que se chegou à conclusão, em estudo devidamente credenciado e credível, que em Portugal se trabalha mais trezentas e muitas horas por ano do que na Alemanha, na França etc. O sul da Europa, que a xenófoba e racista Merkel substima, achincalha e está colonizar, anda a trabalhar para que a Alemanha viva à grande à custa da miséria que Merkel e seus antecedentes têm vindo imposto.

Resumindo: este novo governo PSD-CDS não trará nada de novo. Vai governar-se em Portugal às ordens do FMI e do FE, que são a mesma coisa. Eles vão governar-se e o povinho vai ter de trabalhar muito mais e ingerir menos calorias, a gozar de fome, de imensas carências e privações. Além do mais o Parlamento quase não tem deputados novos. Talvez uns 10 naquelas mais de duas centenas. Ficam lá os mesmos, as mesmas caras conhecidas, esbanjadoras, oportunistas, parasitas e quase sempre bem falantes – como convém para nos enganarem.

Por mais cruel que seja, fato é que quem voltou a vencer foi a abstenção com mais de 41 por cento. Se contarmos com os votos em branco e nulos (daqueles onde chamam nomes feios aos políticos com inscrições “memoráveis”), mais de metade dos eleitores portugueses não votaram. Mostraram uma vez mais que não confiam no presidente da República, nos partidos políticos atuais, nos que têm governado – que se têm governado - ou se preparam para fazê-lo. Os eleitores portugueses não confiam nestes políticos. Ponto final.

Mais demonstrado isso mesmo, a falta de confiança, mudou alguma coisa? Não. Tudo na mesma. O que é novo para uns quantos, que acreditam em milagres, são as caras do governo que vem aí. Algumas caras, provavelmente. Mas todas do mesmo “aviário” pestilento destes partidos políticos do arco governativo. Que agora até vão governar para os deles e mais intensamente para a Alemanha e associados, para o FMI.

Importa que os objetivos de Cavaco Silva - o maluquinho dos números de coça para dentro da alta finança e dos grandes empresários – e dos partidos associados àqueles objetivos, vão poder manobrar ainda mais à vontade e encostar o povinho muito mais à parede. Tudo como antes, quartel em Abrantes, como é dito pelos de mais idade para expressar que está tudo na mesma, que não devemos esperar nada de novo, a não ser mais miséria e exploração.

Mas nem tudo é negativo. Livrámo-nos de José Sócrates para daqui por uns tempos assistirmos aos dizeres de muitos que vão propalar saudades dele. Masoquismos.

Apesar de muita vontade que possamos ter para proporcionar o benefício da dúvida ao futuro governo PSD-Cavaco-CDS é fácil futurar que nem as bostas nem as moscas mudara.

Resta deixar aqui umas palavras para a “esquerda” do BE. Aquela que desde que se sentou nas cadeiras do parlamento tem vindo a perder a audição e outros sentidos, que se engravatou e se submeteu aos colarinhos brancos. Perdeu metade dos votos, metade dos deputados. Sinónimo de que quase não há diferença entre o BE e os outros partidos do arco governativo. A “esquerda histórica e empedernida” do PCP, aliado aos verdes para fazer a CDU, cresceu. Lá vai, desta vez, com mais um ou dois deputados. Igual a si próprio, a dizer muitas verdades, não mentindo nem enganando, o PCP só cresceu porque houve uns quantos abstencionistas sistemáticos que antes votavam nele, e que no domingo se deram ao trabalho de lá ir ser fiéis aos seus princípios ideológicos. Sabendo que nada iam alterar. Foram votar mais pelas suas consciências do que acreditando que iam mudar alguma coisa. Votaram e o PCP até merece. É honesto e fiável. Sabemos com aquilo que podemos contar. Talvez um dia os portugueses voltem a reconhecer isso mesmo. E estaria o PCP disposto a exercer uma Verdadeira Democracia, reformando esta democracia de fantochada? Só experimentando saberemos. Os partidos políticos assim que crescem embriagam-se com os poderes…

Texto: António Veríssimo, http://paginalusofona.blogspot.com

os candidatos perfilam-se


trôpego radical ía morrendo mas não faz mal

a homofobia é um trambolho


Um texto que descobri no Bitaites e que, sendo antigo, é actual como o caraças:

A sociedade portuguesa tem debatido ultimamente se o casamento entre pessoas do mesmo sexo deve ser legalizado.

Os que estão contra o casamento gay são pais e mães de família justos, piedosos, dedicados e pacatos. Não são maus heterossexuais, não senhor. E não desejam ser vistos como gente horrível que descrimina outra só por se sentir atraída por pessoas do mesmo sexo.

Os que estão contra o casamento gay são defensores das liberdades individuais e consideram que cada um deve poder praticar os actos porcos e nojentos que desejar, desde que o faça lá naquelas discotecas e catacumbas onde se encontram para se comerem uns aos outros.

Não se trata de homofobia, pois ninguém deseja proibir essas poucas-vergonhas; o objectivo é impedir que uma pandemia de paneleirice aguda lance o pânico entre os portugueses.

Aos gays é reconhecido o direito de se considerarem seres humanos: podem passear pelas ruas, ir ao cinema, ao teatro, fazer teatro, trabalhar, escrever, comprar uma casa, ter cães, gatos, amigos ou amantes à vontade, dedicar-se à decoração e ouvir Abba de forma obsessiva mas, caramba, pelo amor do Deus que criou Adão e Eva e os mandou foder, perdão, multiplicar-se, ogay tem de aprender a comportar-se com um mínimo de decência! Não pode andar por aí aos linguados e aos apalpões, pois isso incomoda muita gente e excita alguns cristãos.

Consideram também os oponentes ao casamento gay que o pior nem é a possibilidade de a lei consagrar uma relação amorosa entre dois seres humanos; o pior é que depois eles vão querer adoptar crianças.

E assim se entra em território sagrado, porque todos sabemos que uma criança é muito impressionável: interessa-lhe lá ser amada, apoiada e acarinhada? O que a marcará para o resto da vida é descobrir o que andam a fazer os maricas depois de lhe contar uma história para adormecer e dar-lhe um beijinho de boas-noites. Podem imaginar o trauma que uma criança sentirá quando souber que ninguém engravida pelo cu?

Uma criança criada por um casal heterossexual, pelo contrário, não está sujeita a esse terrível trauma e nunca, nunca, será homossexual, a não ser que seja contagiada pelo vírus da paneleirice aguda que os defensores do casamento gay se preparam para libertar.

Fonte: Marco Santos, http://bitaites.org

tome lá uma pérola real e não diga que vai daqui

filas na sede do PSD para pedir um tacho chegam aos 24 quilómetros


A vitória do PSD nas eleições legislativas já está a causar o caos na cidade de Lisboa.

Entusiasmados com o novo ciclo político, centenas de milhares de pessoas começaram durante a madrugada a formar filas à porta da sede do PSD para entregar o curriculum vitae com uma fotocópia do cartão do partido anexada. Face ao elevado tempo de espera, várias pessoas estão a deslocar-se à sede do CDS, onde a fila para pedir um tacho é de apenas 10 quilómetros. Passos Coelho já mandou suspender a inscrição de novos militantes. O trânsito está completamente paralisado na Grande Lisboa, as tendas de campismo estão esgotadas em todas as lojas Decathlon, os lugares nas filas da São Caetano à Lapa já estão a ser transaccionados a preços astronómicos e a rede telefónica está entupida em todo o país depois da avalanche de chamadas de candidatos a boys a perguntar se o doutor precisa de alguém.

Fonte: João Henrique, http://inimigo.publico.pt

06/06/11

não passarão!


Tal como fizemos com Sócrates, não vamos deixar passar em branco uma única nomeação movida por amiguismo, um cambalacho, uma negociata, um gasto excessivo por parte dos políticos que vão agora ocupar cargos no Estado. Sócrates não teve o exclusivo do clientelismo, do compadrio. Outros se seguirão, como outros, que agora se proclamam impolutos, o antecederam. Vamos usar as redes sociais, os movimentos cívicos, os e-mails, os blogues como veículos privilegiados de denúncia e de protesto. Trazendo a lume a verdade e só a verdade. Não desmobilizemos. Não lhes demos tréguas.

carta ao dr. passos coelho


Um texto de Pedro Barroso que partilho com gosto:

Sr Passos Coelho
Muito bem. Ganhou. Parabéns. Agora, o povo português exige-lhe que
Não tenha 20 motoristas
Não tenha 17 guarda-costas
Negoceie a dívida com dureza e não se torne marioneta da D. Merkel
Não piore a vida dos portugueses
Proteja a cultura, a investigação, o património
Diminua drasticamente os gastos de estado
Acabem os sintomas sumptuários e faustosos num Estado que está falido
Reduza o nº de Ministérios
Acabe com os Governos Civis
Tenha a coragem de reduzir o salário dos próprios deputados
Imponha tectos salariais e de reformas para os altos cargos da função pública
Mantenha a frota automóvel nos limites da funcionalidade e da decência com carros de gama média, acabando com as frotas automóveis topo de gama
Imponha uma reforma administrativa onde se reduza o número de concelhos
Reveja a constituição para reduzir o nº de deputados
Passe a ser permitido concorrer a deputado de forma independente, sem necessidade de inclusão em listas partidárias
Reautorize, saneie e expurge as forças de Segurança, para terem o nosso respeito
Reautorize os professores, moralizando a Escola e tornando-a um local de Ensino como é suposto ser
Reduza o número de embaixadores. Muitos são inúteis parasitas, juro-lhe.
Obrigue por lei a extinguirem-se partidos com menos de 5000 votos no pais todo 
Esteja muito mais tempo em Portugal que no estrangeiro
Redefina e releve ao Mundo a importância negocial atlântica e intercontinental dos portugueses
Aprenda inglês com fluência como já devia saber
Esqueça o Nobre e deixe os deputados eleger o Presidente que sentirem melhor
Governe sem autoritarismo nem arrogância; ouça os outros – eu, por exemplo…
Proteja o emprego e a precariedade. Reduza o desemprego.
Corte todos os subsídios a quem não merece e canalize para quem precisa
Consiga ver-se ao espelho todos os dias sem dizer - eu estou a tornar-me num fdp

vai ser engraçado


Vou-me rir à brava quando, os que agora votaram Pedro, começarem a ver o seu plano neo-liberal em execução: despedimentos facilitados, mais impostos, mais precariedade, menos estado social, menos protecção na doença, no emprego e no desemprego, mais educação e saúde privadas, mais enriquecimento para uns poucos e mais pobreza para milhares ou milhões, tudo de uma assentada, isto se o que se avizinha não for ainda pior com a bancarrota de Portugal e o colapso do euro e do projecto dito europeu.

Claro que Passos disse ao que vinha, honra lhe seja feita. Nunca renegou nem escondeu o seu mau projecto para Portugal com o fim de ganhar votos. A tal ponto que cheguei a pensar, e disse-o aqui no Quatro Almas, que a vitória lhe poderia escapar. Mas a vontade de destronar Sócrates foi mais forte e, nisso e só nisso, tenho que agradecer a quem votou Coelho.

Agora vou-me rir. Quando muitos dos que elegeram Pedro se juntarem aos não votantes de Passos e vierem para a rua barafustar contra o Coelho. Vou-me rir, porque os homens não choram. Ao que dizem.

os perigos do facebook

Uma adolescente de Hamburgo anunciou publicamente, por engano, a sua festa de aniversário no facebook (em Portugal, aconteceu uma coisa foleira assim parecida com José Lello). 1.400 jovens foram-lhe bater à porta. Como todos lhe eram desconhecidos, ficaram na rua. Mas celebraram na mesma.

golpe de misericórdia

os senhores do dinheiro


para compreender as convulsões do mundo

uma pepineira

05/06/11

é a nossa vez de rapar o tacho


Post inspirado em: http://aventar.eu/

o carnaval acabou, vai começar a quaresma


O que se vai passar nos salões dourados do poder é trágico mas não surpreenderá ninguém: Passos Coelho vai realizar o seu sonho, o de ser primeiro-ministro, Cavaco vai ter uma vidinha ainda mais acomodada agora que não tem que se chatear com o chefe do governo, desta feita é um dos seus, o programa de governo imposto pela troika vai começar a ser executado. Até aqui, nada de novo.

O que é novo são os movimentos cívicos e a consciência política que germinaram e se reforçaram após o 12 de Março. Um novo poder anda no ar, um poder que não deixará de se manifestar contra as injustiças, contra o empobrecimento de quem trabalha. Homens, mulheres, jovens e menos jovens, com sensibilidades políticas e maneiras de pensar tantas vezes distintas, mas que têm em comum a sua generosidade e o seu desprezo por uma classe política que enriquece à custa de todos e que governa mal e porcamente.  

A fantochada acabou hoje. A luta continua já amanhã.

finalmente, demite-se!

quase metade do país não votou

Como é que esta gente pode cantar vitória? Já repararam, senhores, que vão governar eleitos por uma minoria de portugueses?

pensamento mágico


Já defendi que Cavaco exemplifica um hipócrita pensamento mágico destinado a infantilizar os cidadãos. No seu discurso de ontem Cavaco afirmou que é possível cumprir um "acordo" inviável com a troika e ter espaço para "garantir a justiça social, o crescimento da economia e o combate ao desemprego". Trata-se, na realidade, de disfarçar a verdadeira agenda. Uma agenda que terá por efeito intensificar a recessão, aumentar o desemprego e acentuar a fractura social. Tudo em nome da salvação de um regime económico que se iniciou precisamente com a economia política e moral do cavaquismo.

querem estragar a festa, pá! (rossio, 4 de junho de 2011)



dominique strauss-kahn: violador sim, de direitos e valores humanos


Algunos datos útiles sobre Dominique Strauss-Kahn
por Jérome Duval
 
Ejerció las funciones de ministro de Industria y Comercio Internacional de 1991 a 1993, período durante el cual participó en las negociaciones comerciales de la Ronda Uruguay, preparatoria de la creación de la Organización Mundial del Comercio (OMC).

En 1994, participó, con Raymond Lévy, por entonces PDG de Renault, en la creación del Círculo de la Industria, especializado en la defensa de la industria francesa en Bruselas, del cual fue vicepresidente y donde se codeó con la gran patronal.

En 1997, Lionel Jospin, nuevo primer ministro, lo nombró ministro de Economía, Finanzas e Industria.Fue el artesano de las privatizaciones masivas, en particular la de France Telécom, a pesar de que el programa de Jospin excluía a esta última. Bajo su impulso, su gobierno (1997-2002) privatizó más que los gobiernos de derecha de Balladur y de Juppé juntos (31.000 millones de euros frente a 25,7 millones), en particular ciertas joyas de la corona de la economía francesa que escaparon así al control público: Air France, Aérospatiale (AEDS), Thomson, autorutas del Sur de Francia, France Telécom, Eramet, compañías de seguros (GAN, CNP9, bancos (Crédit Lyonnais, CIC, Marseillaise de Crédit, Crédit Foncier de France) etc.

En mayo de 2005 editó un DVD a favor del «sí» al Proyecto por el que se instituye una Constitución para Europa. El «no» recogió en Francia más del 54 %.

El 17 de septiembre de 2006 declaró: «Las universidades francesas están en vías de hundirse en los palmarés internacionales. Es necesario crear competitividad entre los establecimientos y poner fin a la hipocresía del diploma único. Lo que no impide mantener el sistema en el sector público y conservar una visión igualitaria.» Y añadió: «Para mí, no constituiría ningún escándalo que la cátedra de física nuclear de París VI sea financiada por EDF (Electricidad de Francia), si ésta considera que es bueno para su imagen. Pero no es la costumbre.» |1|

El 18 de noviembre de 2008, fue condecorado con las insignias de Gran Oficial de la Orden de la República por el dictador tunecino Ben Alí. En esta ocasión, Strauss-Kahn declaró: «La economía tunecina va bien, a pesar de la crisis [...] la política económica que se sigue es sana y pienso que es un buen ejemplo que pueden seguir muchos países [...] el juicio que tiene el FMI sobre la política tunecina es muy positivo [...] las cosas seguirán funcionando correctamente». |2|

En noviembre de 2008, al acabar su visita a Libia, declaró: «El Magreb ha realizado progresos destacables y su potencial es considerable. [...] He felicitado a los participantes de la Conferencia de Trípoli por haber adoptado el plan de acción para acelerar las reformas en materia de facilitar los intercambios, de integración financiera y de promoción del sector privado y de proyectos comunes. [...] El principal desafío es mantener el ritmo de reformas en curso tendientes, entre otras cosas, a reducir el tamaño del Estado. En ese contexto, el Programa de distribución de la riqueza comporta a la vez una buena ocasión y ciertos riesgos. Si es estructurado y puesto en pie convenientemente, este programa podría promover al sector privado minimizando a la vez los riesgos planteados para la oferta de servicios públicos esencialesLa economía tunecina va bien, a pesar de la crisis [...] la política económica que se sigue es sana y pienso que es un buen ejemplo que pueden seguir muchos países [...] el juicio que tiene el FMI sobre la política tunecina es muy positivo [...] las cosas seguirán funcionando correctamente». |3|

«Si se vive 100 años, no se puede continuar con la jubilación a los 60 años.» (Le Figaro, 20 de mayo de 2010). El ministro de Trabajo de Nicolas Sarkozy, Éric Woerth, le agradeció públicamente su posición a favor de la reforma de la jubilación. |4|

Traducido por Raúl Quiroz

há gente sempre disposta a ajudar