20/08/11

que rica piada!


Fonte: http://henricartoon.blogs.sapo.pt

manifestantes e polícias continuam no centro de madrid

os limites da ordem


Por Boaventura de Sousa Santos

Os violentos distúrbios ocorridos na Inglaterra não devem ser vistos como um fenômeno isolado. Eles representam um perturbador sinal dos tempos. Sem se dar conta, as sociedades contemporâneas estão gerando um combustível altamente inflamável que flui nos subsolos da vida coletiva. Quando chegam à superfície, podem provocar um incêndio social de proporções inimagináveis. 

Trata-se de um combustível constituído pela mistura de quatro componentes: a promoção conjunta da desigualdade social e do individualismo, a mercantilização da vida individual e coletiva, a prática do racismo em nome da tolerância e o sequestro da democracia por elites privilegiadas, com a consequente transformação da política na administração do roubo “legal” dos cidadãos e do mal estar que provoca. 

papa rock star


19/08/11

saltitonas

isto é que é uma tourada!


Já se sabe que o IVA da electricidade e do gás natural vai aumentar da taxa reduzida para a máxima, 23%. Uma subida de 17% que não se verifica em muitos outros bens não essenciais. É o caso, por exemplo, dos espectáculos, dos bilhetes para os festivais, do golfe ou até das touradas, todos taxados a 6% de IVA. 

Quando o governo anterior resolveu baixar a taxa do IVA do golfe para 6%, como incentivo ao turismo, muitos de nós nos indignámos pelas medidas de austeridade a que nos sujeitava. Este novo governo, pelos vistos, partilha da mesma opinião e até prefere aumentar o IVA de bens essenciais para a nossa subsistência de 6 para 23%. Assim, se não acendermos a luz nem o fogão durante um mês, podemos juntar dinheiro para ir à tourada e ela não ser tão cara. 

Pessoalmente, parece-me que quem anda a ser toureado somos nós.

reino unido a um passo da guerra civil?

As penas de prisão exageradas, e a implementação de outras medidas repressivas sem paralelo na Grã-Bretanha, estão a provocar uma onda de contestação por todo o país. Há quem já fale na iminência de uma guerra civil.

deve ser a isto que se chama fazer o bem sem olhar a quem

Madrid, depois da manifestação contra o gasto de 100 milhões de euros com a visita do Papa.

uns compram portugal por tuta e meia, outros morrem de fome

outro desígnio


Por Anabela Fino

Basicamente, Passos Coelho foi à festa do PSD no Pontal dizer três coisas: que os portugueses têm um desígnio nacional a cumprir; que o Governo se prepara para fazer um corte na despesa sem paralelo nos últimos 50 anos; e que o «caminho da conflitualidade» não tem lugar em Portugal pois o Governo anseia por «uma base mais alargada de diálogo social».

Confesso que ao ouvir Coelho – enquadrado por uns jovens que com entusiasmo fúnebre levantavam e baixavam bandeiras sempre que soavam uns mortiços aplausos – me senti de súbito remetida para a sala de estar da casa paterna onde há um ror de anos insistia em ver as «conversas em família» de Marcelo Caetano, o sucessor de Salazar que tentou fazer crer ao povo português que as ditaduras podem ter primavera.

Salvaguardadas as devidas distâncias, Coelho, tal Caetano, veio dizer que o mundo tem os olhos postos em Portugal porque aqui se está a fazer história com as medidas impostas para resolver a «crise», razão necessária e suficiente – ao que parece – para o País se sentir orgulhoso do seu destino, conhecida como é – ontem como hoje na lógica do poder ao serviço do capital – a atracção fatal exercida pelo estrangeiro sobre os gentios. Dêem-nos um turista e logo nos acotovelamos para lhe engraxar os sapatos, cantar o fado e encher o estômago com as iguarias nacionais. De guardanapo pendurado no braço, evidentemente.

Por isso mesmo Coelho sublinhou que o que se pede a cada português «não é apenas paciência e espírito de sacrifício, é também que consiga, no seu dia-a dia, a noção de que o que estamos a fazer ficará na história da Europa, e na história da democracia».

Pobres mas honrados, fazemos das tripas coração para pagar até ao último cêntimo aos agiotas, morrendo de fome se necessário for para garantir um lugar no céu dos explorados e oprimidos, que como se sabe não é deste mundo.

Ao anunciar cortes sem paralelo nos últimos 50 anos, Coelho não só nos remeteu para o início dos anos 60 como deixou antever o cenário dantesco que nos prepara: qualquer coisa como o regresso às catacumbas do tempo da ditadura depois de termos visto o sol. Para quem já se esqueceu ou nasceu depois do 25 de Abril, nesses anos o trabalho não tinha direitos, o salário era à vontade do patrão, a saúde e a educação eram privilégios dos ricos, só um punhado tinha férias e reforma, uma sardinha dava para três…

Perante um tal cenário, de que apenas se conhece os contornos – Coelho não escondeu que ainda «vamos ingressar no coração, no plano mais duro das tarefas que temos a realizar» – o primeiro-ministro fez um apelo «muito especial» aos parceiros sociais, para que compreendam que «o caminho da conflitualidade que temos visto aparecer em outras sociedades pode ter justificação em cada uma delas, mas não é o caminho» para Portugal. O Governo, disse, quer «diálogo» com os parceiros sociais, no sentido de alcançar um «acordo social mais alargado para os próximos três anos».

Salvaguardadas as diferenças, Marcelo Caetano também «dialogava» com os portugueses: ele falava e nós ouvíamos. Marcelo, recorda-se, até nos dava a liberdade de pensar… em silêncio.

Depois foi Abril. Porque fazer História não é aceitar o mundo, é transformá-lo.

também acham que este menino tem culpas no cartório e que merece a prisão e a tortura?


Detenciones ilegales y torturas de menores palestinos a manos de Israel
Desde 1967 Israel ha detenido a 700.000 palestinos, un 20% de la población de los territorios ocupados aquel año. Muchos son menores de edad que sufren torturas en el Campamento Offer y son condenados sin juicio.

En memoria de Juliano Mer-Khamis

Desde 1967 Israel ha detenido a 700.000 palestinos, un 20% de la población de los territorios ocupados aquel año. Muchos son menores de edad que sufren torturas en el Campamento Offer y son condenados sin juicio

Aparecen en mitad de la noche cuando los niños están profundamente dormidos, tal vez soñando con una vida mejor. Con los ojos tapados, amordazados, esposados, los menores son llevados a los camiones y esa misma mañana apriscados en el Campamento Offer, departamento número 2 del Juzgado Militar, también conocido como Departamento Infantil. Durante ese día -y todos los demás- tendrán que permanecer sentados en una especie de clase donde no hay profesores y tampoco padres, pero sí jueces, fiscales y muchos guardias. Tienen entre 10 y 13 años los mayores y están acusados de tirar piedras a las fuerzas armadas israelíes, probablemente denunciados por sus propios compañeros de clase. Serán brutalmente interrogados: golpes en la cara y el abdomen, privación de sueño, pinchazos de aguja en manos, piernas y pies, amenazas de violencia sexual y, en algunos casos, electrochoques. Suelen confesar enseguida, están aterrorizados, pero solo cuando aceptan convertirse en colaboradores les sueltan, si es que les sueltan.

sempre que comprar na zara, saiba que está a contribuir para a escravatura




A dios rogando y con la porra dando



18/08/11

num hotel estava melhor

o ditador das bananas


corram com o coelho antes que ele dê cabo de nós!

o direito de resistir

marinho pinto, como sempre, sem papas na língua

parem de mimar os super ricos


Por Warren E. Buffet

Nossos líderes pediram “sacrifício compartilhado”. Mas quando fizeram o pedido, eles me pouparam. Eu chequei com meus amigos mega-ricos para saber que sofrimentos eles estavam esperando. Eles, também, foram deixados intocados.

Enquanto pobres e a classe média combatem por nós no Afeganistão, e enquanto a maioria dos americanos luta para sobreviver, nós, mega-ricos, continuamos a receber os nossos extraordinários incentivos fiscais. Alguns de nós são gestores de investimentos e ganhamos bilhões com nosso trabalho diário, mas podemos classificar a nossa renda como “participação nos resultados”, pagando uma taxa de imposto de 15% , uma pechincha. Outros aplicam no mercado de futuros sobre os índices das próprias ações, por 10 minutos, e têm dois terços do seu lucro tributado a 15%, tal como se tivessem sido investidores de longo prazo.

cuidado! a europa está a ficar fascista!

Dois jovens foram condenados a 4 anos de prisão por terem, alegadamente, criado páginas no facebook para instigar a realização de motins no Reino Unido.

Pessoalmente, mas devo ser o único, fiquei chocado com a severidade da sentença. Não vi as páginas, não sei se as intenções eram reais ou se tudo não passou de brincadeira de mau gosto mas, seja como for, a iniciativa não teve consequências, não houve violência, não houve roubos, tudo não passou de palavras do teclado para fora.

Será que umas semanas (ou meses se se quiser) de serviço cívico não teriam bastado como castigo e como exemplo?

Qualquer dia, dia que por este andar já não deve vir longe, temos a polícia a entrar-nos portas adentro por andarmos, em blogues e nas redes sociais, a apelar à rebelião e a vociferar contra os governos que nos assaltam a bolsa e nos trazem indignados, enojados, revoltados.

Qualquer alminha justamente mais alterada, que insinue o ataque a estas políticas e a estes políticos, essa, então, deve ser levada de cana por muitos anos e bons. Um ataque é um ataque, o dicionário não engana.

Já faltou mais.

fascistóide


o missal

capitalismo em decadência

manifestação em madrid contra a visita do papa termina com intervenção policial

17/08/11

pregador aos 4 anos, heresia ou exploração?

então as viagens dos governantes não eram à borla? e são estes mesmos energúmenos que nos estão a extorquir cada vez mais dinheiro!!


Portas gasta 7.300 euros em voos em 10 dias

O ministro dos Negócios Estrangeiros passou os últimos dias de Julho, dias de anúncios de medidas de austeridade pelo Governo português, fora do país. Paulo Portas fez um périplo por três países lusófonos, e ainda deu um saltinho ao Peru, antes de regressar a Portugal.

a visita do papa a madrid vai custar, e se não houver as derrapagens do costume, 100 milhões de euros


Quem paga? Os mesmos de sempre? Aqueles, católicos ou não católicos, que vêem os seus rendimentos emagrecer cada vez mais? Não seria de haver, numa altura destas, um pouco de bom-senso e evitar despesas como esta? Que tal uma visita mais modesta, sem ostentações, as quais o próprio Cristo condenaria?

o dr. passos coelho mentiu aos portugueses


Por Tiago Mesquita

O que para o Dr. Passos Coelho em Maio era uma verdade inquestionável, uma garantia e uma promessa eleitoral aos portugueses a semana passada caiu por terra. E com isto caiu por terra o mito de que Passos é diferente de Sócrates ou de qualquer outro, que do seio de um destes dois partidos apareça em bico dos pés e vontade de ganhar eleições com meia dúzia de promessas guardadas num bolso descosido.

cum caraças, haja esperança na reconstrução europeia!


se não é, parece que é

mitos à la minute: sophia loren




16/08/11

eu não digo que este é um mundo imundo?


Tragédia da fome em África
Mais um drama na Somália: Doações de alimentos são roubadas
Num país onde 30 mil crianças morreram de fome, só em três meses, o desvio de milhares de sacos com alimentos, provenientes da ajuda internacional, agudiza o drama.

Há dois meses que o Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas está a investigar as alegações de roubo e concluiu que toneladas de alimentos estão a ser roubados para derem depois vendidos em mercados próximos ao maior campo de refugiados da capital Mogadíscio.Segundo uma reportagem da agência de notícias Associated Press, a possibilidade do roubo de alguns bens esteve sempre presente, mas a dimensão do roubo põe em causa a capacidade internacional de chegar aos que têm fome.

As Nações Unidas estimam que mais de 3,2 milhões de somalis - cerca de metade da população - necessitem de ajuda alimentar, na sequência da seca severa que agravou a situação, já de si dramática, pela guerra civil, no país.

"Enquanto ajudam as pessoas que estão a morrer de fome, também alimentam os grupos que fazem negócio do desastre", lamenta Joakim Gundel, responsável de uma empresa que avalia dos esforços da ajuda internacional para a Somália, a Katuni Consult. "Salvam a vida das pessoas hoje para morrerem amanhã".

Só nas últimas duas semanas, aviões carregados de alimentos, da ONU, Irão, Turquia, Kowait, entre outros países, aterraram em Mogadíscio quase diariamente.À AP, uma fonte conhecedora do processo, que pediu anonimato, admitiu que cerca de metade dessa ajuda alimentar está a ser roubada, mas o Programa Alimentar das Nações Unidas nega que o devio seja dessa dimensão.

Ler mais:

mais um escândalo bancário a juntar a outros tantos

Deixo-vos, sem mais comentários, por desnecessários, um artigo do Público. Está visto, não há que negar: o mundo está a ficar, cada vez mais, um lugar imundo.

Investigação do jornal “The Independent”
Bancos britânicos investem na produção de bombas proibidas

16.08.2011 - Por PÚBLICO


Alguns bancos britânicos, incluindo dois que foram resgatados com dinheiro dos contribuintes, estão a investir milhões em empresas que fabricam bombas de fragmentação, cuja produção e comércio é proibido, revela o diário “The Independent”.

macho lusitano


dois concertos para santana lopes

Repescando uma velha laracha, concertos para violino de Chopin é que não temos em stock. Assim que este for reposto, Quatro Almas terá todo o gosto em escarrapachar esses concertos aqui.


eles comem tudo


Bachmann Corndog
Bachmann Corndog

capitão idiota

antes da fama

condenados à morte

é radical!

uma vaca em nova iorque

roubem-nos mas não nos tomem por lorpas


Por Rafael Fortes

1. Segundo a DECO, 43% da factura de electricidade não está dependende do consumo da mesma mas de “taxas extras” que revertem para a EDP (a mesma que será privatizada).

2. Segundo a DECO também, a poupança por familia com a nova tarifa social situar-se-á entre os 0,60 e os 0,80 € por familia. Os valores considerados para este ano variam entre os 0,19€ e os 0,79€ (valores sem IVA), dependendo da potência contratada.

2. O IVA a 23% para a electricidade não distinguirá entre ricos, pobres e remediados. É a sua natureza de imposto universal. Se considerarmos uma factura média de 40€ de consumos, disponibilidades e taxas (que não dará sequer para ligar muito tempo uns aquecedores no Inverno, mas o Ministro da Educação já deverá ter um estudo que relaciona a fraca condição económica com uma forte resistência às adversidades climatéricas) e lhe acrescermos um IVA de 6% temos um valor a pagar de 42,4€. Se considerarmos o novo IVA de 23% , teremos um valor final de 49,2€. Deste valor, não podemos ignorar que 21,2€ são taxas que irão directamente para o bolso dos futuros donos da EDP privatizada.

15/08/11

nós somos culpados!

os palcos também se abatem

o ministro gaspar anda a calmantes?


Por António Veríssimo

O ministro Gaspar, das finanças, veio anunciar o aumento do gás, da eletricidade e aquilo que mais lhe apeteceu anunciar sobre roubos. Calmamente ele disse o que sabia sobre a penúria lusa e das razões porque nos sentencia a mais penúria. O ministro anuncia tudo calmamente, esclarece tudo calmamente, fala calmamente, move-se calmamente, também massacra os portugueses debilitados muito calmamente. Demasiado calmamente, quase em câmara lenta.

Perante tanta calma já há quem insinue que o ministro Gaspar anda a toque de caixas de calmantes, que parece que está “drunfado” e que mais dia, menos dia, ainda se lixa com uma overdose. Não vou por aí. Não toma calmantes nenhuns, nem sequer chá de tília ou de tripas secas de preguiça amazónica. O que acontece com toda aquela calma é que ele se está lixando para que as medidas que anuncia e vão anunciando - sobre nos vir ao bolso e sobrecarregar com impostos e aumentos de tudo baixando ordenados, enquanto aos mais ricos e grande empresariado não o fazem e ainda lhes dão vantagens – lhe é completamente indiferente. Ele está ali exatamente para isso, para cumprir o exigido pela Alemanha, pela França, Inglaterra, Países Baixos, etc., pelos que na Europa ao norte se esqueceram do projeto europeu e consideram que os do sul não são tão europeus quanto eles mas sim pretos ou brancos de segunda. Tanto faz porque vai dar ao mesmo. 

Afinal consideram que somos inferiores e como tal não merecemos a solidariedade nem a igualdade europeia sonhada, proposta e escrita pelos que fundaram a EU. Vai daí carregam nos juros do dinheiro que emprestam a tão curto prazo. Vai daí põem-nos a canga em cima como fizeram nas suas colónias.Por certo que Portugal é uma colónia da Alemanha. Só pode. O ministro Gaspar é simplesmente um executor obediente e venerando da Ângela Merkel. O seu chefe, o Passos, é outro. O chefe dos chefes, o Cavaco, nem podia ter escolhido melhor o momento para ser PR (apesar de eleito por uma ínfima quantidade de votos – um quarto dos portugueses eleitores). Este é o momento deles. 

Aos plebeus portugueses resta sofrer e vê-los delapidar aquilo que desde 1974 foi consolidado em prol dos direitos liberdades e garantias democráticas. Para isso, para Portugal estar como está, PS e PSD fizeram todos os esforços por o conseguir. Agora é tempo do PSD e do CDS – que nestas coisas anda sempre por ali à babuja. Logo voltará o tempo do PS… E assim sucessivamente. 

Cavaco morrerá e outros Cavacos se erguerão. Assim será, porque os responsáveis por isso são aqueles que neles votam, como se não existissem alternativas. Uns poucos elegem-nos porque sabem que são os que lhes defendem os interesses, outros, a maioria, porque são preguiçosos e nem querem pensar sobre o assunto. Até porque depois é muito mais divertido andarem a criticar as medidas que os vitimam, a chamar ao Passos Coelho aldrabão, andarem afobados a cravar os familiares e amigos ainda com alguns fundos, andarem a não comer para comprar gasolina e outras inutilidades consumistas. E sempre podem dizer para o parceiro do lado que os políticos são todos “farinha do mesmo saco”. Muitos são, sim, mas não por acaso os que mais são contam com os votos da maioria preguiçosa no pensar e que dizem que de política nem sabem nada, nem querem saber. Então porque se queixam? Porque não olham para o espelho e se chamam borregos? Porque é aquilo que mais são. 

Vão atrás uns dos outros a balir, direitinhos às mesas de voto, e até votam sempre no mesmo partido por tradição. Há desses! Pois agora não se queixem. Sustentem os malandros que elegeram. Ao menos que se assumam. Podiam nem ter votado em ninguém! Sempre seria interessante ver os políticos que nos têm afundado com voto zero nas urnas. O que inventariam a seguir para nos enganar? Iriam tomar calmantes, como o ministro Gaspar? Mas, o ministro Gaspar toma calmantes? Acreditam nisso? É que a vida corre-lhe bem, porque havia de andar stressado, preocupado ou inquieto?

santa pró santana


é tão fotogénica a desgraça

Fotografias premiadas com o Pulitzer durante os últimos 50 anos. A fome, a guerra, a intolerância são as mesmas. Às vezes a cores. Sempre a preto e branco.


14/08/11

a canga da troika e a tanga dos troika-tintas

Por António Iria Revez

A série de trapalhadas levadas a cabo ou permitidas por este Governo, o clientelismo desbragado, o tráfico de influências, os cambalachos e outras malfeitorias avulsas fazem prever o pior. No que toca a privatizações, a sensação que fica é que os senhores gerentes do País, que mais parece uma loja de venda a retalho, abriram a época dos saldos. Só falta afixar na montra um aviso: «Liquidação total da existência por mudança de ramo». Até tremo, só de pensar qual seja.

dá vontade de agarrar neste tipo e atirá-lo ao mar


Durante anos, li Miguel Sousa Tavares com gosto e, não poucas vezes, concordei com ele. Ultimamente, tem-me desiludido. Dadas as circunstâncias, as dele ou as minhas, ou eu me radicalizei à esquerda ou ele se anda a aninhar à direita. Certo, certo, é que a crónica de hoje no Expresso, acerca dos motins em Inglaterra, é digna de um qualquer skinhead e tão trauliteira como o são os amotinados que ele condena. 

Não apoio nem apoiarei, entenda-se, quem destrua, incendeie, roube, seja sob que pretexto for. Mas também acho abominável este tipo de linguagem. Desbragada. Chocarreira. Digna de um qualquer arruaceiro, daqueles que se embebedam com litradas de cerveja até cairem para o lado a vomitar. 

A mim sim, este texto deu-me vontade de vomitar.

«Dá vontade de agarrar nestes tipos e atirá-los ao mar.
(…)
Não são parte de uma geração à rasca, são sim parte do mal. E o mal, desgraçadamente, existe, vive paredes-meias connosco e só há uma forma de o combater que é reprimi-lo sem tréguas e desde o início.
(…)
Mas eu bem vejo estes hoods nos pubs do Algarve, no seu melhor estilo: a embebedarem-se com litradas de cerveja até caírem para o lado a vomitar. Ao vê-los, é difícil acreditar que esta é parte da juventude de um país que, nas horas mais sombrias da sua história, foi sempre um exemplo de cidadania, coragem e patriotismo. Como escreveu o “Times”, estes bandos de jovens arruaceiros que espalharam o terror nas cidades inglesas, destruindo vidas e o produto do trabalho e esforço de tanta gente, ingleses ou imigrantes, tentam sabotar os alicerces de uma sociedade onde tantos jovens do mundo inteiro gostariam de poder viver e crescer.»

Nota: excertos da crónica de MST retirados do blogue 5dias.net