17/12/11

ora cá está o email sacrílego




Foi este o email que o comandante da polícia municipal de Coimbra enviou e que lhe valeu um processo disciplinar e um burburinho imenso neste país de opereta. Sei que, ao publicá-lo, estou a dar publicidade a um assunto que deveria ter morrido na esquadra coimbrã. Se o faço é para que os meus amigos vejam até que ponto este caso é ridículo, as chefias policiais são ridículas, a comunicação social é ridícula. E para que assinem a petição que se segue, a favor do senhor comandante:

isto já não é uma democracia nem nós comemos todos


Você vota à direita. Está no seu direito. Afinal, ou há democracia ou comem todos. Mas é precisamente aí que está o busílis: por sua causa, nem isto é já uma democracia nem nós comemos todos. Mas você acha bem. Afinal, votou PSD e não vai dar parte de fraco assim com duas cantigas. A culpa é do Sócrates, que deixou o país na bancarrota. Agora, há que fazer sacrifícios, temos que pagar a nossa dívida, a honra do País acima de tudo, e o Dr. Passos Coelho, esse novo Salvador da Pátria, está-nos a pedir um ou dois anos de sacrifícios, passa depressa.

Pois bem, se pensa assim, pensa mal. Porque Passos, meliante e mesquinho, ao serviço dos grandes interesses (e olhe que esses interesses não coincidem com os seus!), está a fazer mais do que isso, está a destruir décadas de lutas por direitos sociais e laborais. E você, pactuante, apoiante, vai levar por tabela. A protecção do trabalhador foi mandada às urtigas: agora, pode-se despedir por tuta-e-meia. Os abusos de patrões, mais negreiros do que empresários, estão a vir a lume. Vai ter que trabalhar mais por menos dinheiro. Não lhe vão respeitar nem sábados, nem domingos, nem feriados. Vão-lhe dificultar o acesso à saúde, isto se não conseguirem desmantelar de vez o Serviço Nacional de Saúde. As reformas, de miséria, vão ser ainda mais miseráveis.

Chegam, como exemplos?

Portanto, caro pactuante, votante e apoiante do PSD, ou do CDS o que para o caso tanto faz, se pensa que isto são medidas passageiras, desengane-se. É o futuro, o seu também, que está em causa.

Mas vote, vote neles. Continue a apoiá-los. Para a sua reforma, deseja apenas uma enxerga e uma malga. Isso basta-lhe. Desejo-lhe felicidades. O mesmo não me posso desejar a mim.

comam merda!


Desculpem o vernáculo, mas a sanha deste governo contra os portugueses, quase todos os portugueses, ultrapassa tudo, nem Salazar se atreveu a tanto, e acabou-se de vez a paciência que ainda ía tendo para esta escória. Passos Coelho anuncia que o valor das reformas vai cair para metade do valor actualmente praticado. Como as reformas de grande parte dos portugueses - excluindo aqueles que ganham duplas e triplas reformas, às vezes por meia-dúzia de anos de trabalho - já mal dão para o petróleo, quero ver como é que vamos comer daqui a uns tempos. Isto já não é política neoliberal, isto é política de extermínio, é insanidade. Interne-se!

já chegámos à américa!


Lá pelos States é que um colega homem não pode beijar uma colega mulher, corre o risco de ser acusado de assédio sexual. Lá pelos States, terra de gente tarada, sexual e não só, é que não se pode mostrar uma maminha na televisão. Lá pelos States é que vingam a hipocrisia e os falsos moralistas. Pensava eu. Mas afinal a coisa pega-se, está a chegar cá: um graduado qualquer lá da PSP de Coimbra enviou para os colegas um email de boas festas que não terá visto até ao fim. Pumba! O email era tudo menos inocente, mostrava miúdas descascadas, uma vergonha, um despautério, e o graduado qualquer lá da PSP de Coimbra está em apuros com a corporação. E serviu de pasto às más-línguas. E foi alvo de risota do país todo. E deve estar fechado em casa, cheio de vergonha. Mas quem devia ter vergonha era a comunicação social por ter feito disto notícia de telejornais e afins. Definitivamente, estamos a chegar à América. Ao pior da América.

para americano e senador até que não está nada mal

vamos à luta!

queres explorar-nos? toma!


Fonte: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

16/12/11

ah! se fosse a última ceia dos condenados!

tenha vergonha!



Dr. Passos Coelho, ponha cobro a isto: caso ainda não tenha notado, o século XIX já lá vai há muito. Tenha vergonha!

mensagem de solidariedade de desmond tutu aos ocupantes de wall street


Sisters and Brothers, I greet you in the Name of Our Lord and in the bonds of common friendship and struggle from my homeland of South Africa. I know of your own challenges and of this appeal to Trinity Church for the shelter of a new home and I am with you! May God bless this appeal of yours and may the good people of that noble parish heed your plea, if not for ease of access, then at least for a stay on any violence or arrests.

Yours is a voice for the world not just the neighborhood of Duarte Park. Injustice, unfairness, and the strangle hold of greed which has beset humanity in our times must be answered with a resounding, "No!" You are that answer. I write this to you not many miles away from the houses of the poor in my country. It pains me despite all the progress we have made. You see, the heartbeat of what you are asking for--that those who have too much must wake up to the cries of their brothers and sisters who have so little--beats in me and all South Africans who believe in justice.

Trinity Church is an esteemed and valued old friend of mine; from the earliest days when I was a young Deacon. Theirs was the consistent and supportive voice I heard when no one else supported me or our beloved brother Nelson Mandela. That is why it is especially painful for me to hear of the impasse you are experiencing with the parish. I appeal to them to find a way to help you. I appeal to them to embrace the higher calling of Our Lord Jesus Christ--which they live so well in all other ways--but now to do so in this instance...can we not rearrange our affairs for justice sake? Just as history watched as South Africa was reborn in promise and fairness so it is watching you now.

In closing, be assured of my thoughts and prayers, they are with you at this very hour.

God bless you,

+Desmond Tutu
Archbishop Emeritus of Cape Town

perdoai-lhe, senhor!


ao menos os alemães riem

PQP a todos!

Por Carlos Tomás
Notícias Sem Censura

Caiu o Carmo e a Trindade nos meios políticos e económicos nacionais. Tudo devido às declarações efusivas mas informais de Pedro Nuno Santos, deputado do PS, num jantar do partido. O vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS disse que se está a "marimbar para o banco alemão que emprestou dinheiro a Portugal", referiu que Portugal "tem a bomba atómica" e "ou os senhores se põem finos ou não pagamos".

As reacções ao discurso de Pedro Nuno Santos foram, elas sim, uma bomba nuclear. Afinal, como é que alguém com a responsabilidade do deputado em causa pode ter a ousadia de proferir frases destas. estará doido? questionavam-se muitos iluminados da nossa praça. 

escândalo: um deputado não está de joelhos!

Por Daniel Oliveira

E mais uma vez, o escândalo. E mais uma vez, torceram-se um pouco umas declarações para a indignação ganhar mais propriedade. De uma forma um pouco atabalhoada e usando termos que assustam os mais nervosos, Pedro Nuno Santos teve o descaramento de dizer que os governos de um País devedor devem preocupar-se com quem deve e não com os credores. Ou seja, a sua preocupação com os credores deve depender exclusivamente dos nossos interesses. A declaração pode ter sido pouco preparada, mas é uma lufada de ar fresco que, no meio de tantos advogados de defesa de quem nos empresta dinheiro a juros exorbitantes, haja alguém, no PS, a fazer um intervalo na autoflagelação nacional. Um pouco de amor próprio, bolas!

15/12/11

aqui d'el-rei que o homem passou-se


Há muito que muito boa gente anda a dizer o que salta à vista: que a dívida não se pode pagar, pelo menos neste prazo e a estes juros de agiota que engordam a Alemanha, engordam o FMI, engordam todos menos os portugueses que, esses, emagrecem na carteira e, literalmente, no físico. Um deputado do PS, dizendo o que devia dizer todo o PS se fosse realmente de esquerda, ousou afirmar isto mesmo. Disse-o de forma tosca, possivelmente por estar num jantar restrito de militantes, longe de pensar que as suas palavras iriam ser bufadas para a comunicação social. Mas foram, que isto hoje em dia não se pode confiar em ninguém, e eis que se dá o grande escândalo! O PSD e o CDS em polvorosa, directos durante a tarde a partir de São Bento, um escarcéu que mais parecia a peixaria da D. Cachucha à hora de ponta, a Teresa Caeiro, que hoje presidia ao Parlamento, a fazer jus à sua índole de peixeira fina, honras de abertura dos telejornais, um membro do governo, num mui institucional palanque, a botar faladura sobre o tema, exigências de que Seguro explique a posição do PS, economistas e comentadores de serviço, ao serviço do governo que a vidinha está cara e custa a todos, vituperando o deputado, que falta de patriotismo, que vergonha para esta nação de bons alunos e de políticos obedientes, atentos, veneradores e obrigados.

Pois eu acho que a criatura do PS teve muita razão. Pena é que o PS faça o contrário daquilo que diz. E que vá, quase que aposto, fazer um acto de contrição pela voz de Seguro, o menino Tonecas da política à portuguesa. Também ele atento. Também ele venerador. Também ele obrigado.

terceira carta às esquerdas


As conquistas têm vindo a ser postas em causa nos últimos 30 anos e nos últimos tempos a democracia mais parece uma casa fechada ocupada por um grupo de extraterrestres que decide democraticamente pelos seus interesses e ditatorialmente pelos interesses das grandes maiorias. 

Por Boaventura de Sousa Santos

quem disser que é bonito envelhecer vai ter que se haver comigo








Fonte: http://www.sabado.pt

historiadores contra a supressão de feriados

A recente proposta do Governo de acabar com quatro feriados (dois religiosos e dois civis: o feriado do “1º de Dezembro” e o do “ 5 de Outubro”) merece da parte dos historiadores que subscrevem este documento uma clara oposição.

Em primeiro lugar, porque assenta numa evidente demagogia: ao contrário do que o Governo, pela mão do seu Ministro da Economia, vem atabalhoadamente explicar ao país, a produtividade e a competitividade da economia nacional não dependem em nada de essencial do número dos feriados em vigor. Países europeus ou fora da Europa com tantos ou mais feriados registam níveis de produtividade e competitividade muito superiores aos de Portugal, sendo que é precisamente nas economias mais competitivas e avançadas que se verifica um menor número médio de horas de trabalho. As razões são obviamente outras e bem mais profundas, tal como são outras as razões para atacar os feriados, em especial os que, como o 1 de Dezembro e o 5 de Outubro, são depositários de um elevado valor simbólico para a comunidade.

os alicerces de um estado fascista, e com os seus ímpetos imperialistas nós seremos os seguintes

Ainda sobre a famigerada lei que permite prender, por tempo indeterminado e sem julgamento, qualquer cidadão americano. Pelos vistos, o Prémio Nobel da Paz, aquele que muito me enganou mas o parvo sou eu que ainda acredito em histórias da carochinha, está a favor, terá até, segundo as más línguas, inspirado a lei.






Transcrição do último vídeo:

impor a austeridade, organizar o saque

Por Daniel Oliveira

Na hora da desgraça dos países periféricos, a Alemanha tenciona ganhar mais um pouco. Entre reprimendas moralistas e puxões de orelhas arrogantes a senhora Merkel arranjou um tempo para meter uma cunha a Pedro Passos Coelho. Razão para temer o pior: as sugestões de Merkel junto do nosso deslumbrado primeiro-ministro costumam ser ouvidas como ordens.

Merkel quer que seja a E.ON a comprar a parte do Estado da EDP. Ou seja, Merkel impõe a austeridade que impõe privatizações na Grécia e em Portugal. E depois compra, a preço de saldo, as empresas que obrigou a vender. E como tem, na Europa, a faca e o queijo na mão, é de esperar que use todos os "argumentos" para fazer bons negócios. Basta recordar que os gregos, no exato momento em que eram "salvos" pela Europa porque não tinham dinheiro, foram obrigados a comprar uns submarinos aos alemães. Negócio que está, em Atenas como em Lisboa, rodeado de suspeitas de corrupção. Dirão: é natural que Angela Merkel defenda os interesses do seu País. Pena que quem governa Portugal se dedique ao mesmo: a defender os interesses de Angela Merkel.

A EDP internacionalizou-se sem qualquer vantagem para a balança comercial portuguesa. Fê-lo esmifrando os consumidores e as empresas nacionais. Ficamos, sabe-se lá porquê, orgulhosos. E mais pobres. Agora chegou a hora de oferecer esse investimento aos alemães. Que não hesitaram a forçar-nos a vender tudo o que sobra nas mãos do Estado. E comprar no momento certo.

Sabemos, através dos jornais britânicos (os nossos estão entretidos a vender a superioridade moral da austeridade) que o governo alemão se mexe nos bastidores para lucrar com a desgraça que nos impõe. Estaremos atentos quando Passos Coelho (ou Miguel Relvas) decidir a quem oferece a parte do Estado da EDP. Uma lição para os que teimam em chorar pelo contribuinte alemão que, nos delírios do populismo nacional, anda a pagar as nossas dívidas.

que se f*** a paciência

Já não há paciência para ter paciência e esperar que as coisas melhorem por si ou por obra e graça de quem domina e destrói o mundo. Há que ir à luta, em todas as frentes. Na ecológica, na política, na social.

a polícia americana mune-se de armamento contra manifestantes

Mais um episódio na história da longa democracia americana!

satélite da nasa cai sobre motor de automóvel

em matosinhos é que se está bem!

14/12/11

para o ano há mais!


Era bom sinal se os protestos se ficassem por 2011. Mas não. Em 2012 vão-se intensificar, nalguns casos radicalizar. Mais do que uma luta de classes, que também é, esta é uma luta civilizacional.

se não te ouvem, aumenta o volume do protesto


Correndo o risco de me julgarem a apelar ao motim e à violência, acho que isto anda muito amochado. Passos Coelho foi vaiado em Matosinhos. Não chega. Cada vez mais gente vem para as ruas manifestar o seu descontentamento. Não chega. Houve uma greve geral e as sectoriais vão multiplicar-se. Não chega. Apela-se ao boicote de pagamento dos transportes públicos. Não chega. Não sei o que anda a fazer falta, mas isto tudo somado é pouco. Não chega tendo em conta os crimes sucessivos que estes senhores, eleitos "democraticamente" à custa de trapaças, praticam contra Portugal e os portugueses. 

Imagem de Gui Castro Felga

pois a nós repugna-nos e muito!


Privatizações? «Nada me repugna», diz Passos

«Na venda de activos, não me repugna nada», disse esta terça-feira o primeiro-ministro, quando questionado sobre se lhe custa ver a Europa ser vendida «a retalho» aos chineses. 

Para Passos Coelho, «quando alguém não tem dinheiro para manter uma grande empresa e se quer manter o emprego, então deve entregar a gestão a quem tem capital e a sabe gerir». O mesmo se aplica à privatização da EDP, cuja decisão será tomada em Conselho de Ministros «antes do Natal», anunciou, em entrevista à SIC Notícias, ao programa Sociedade das Nações,.

Na entrevista, que teve como tema principal a crise da dívida soberana que afecta a Europa e a cimeira da passada quinta-feira, Passos Coelho falou ainda do plano de privatizações, adiantando que a decisão sobre a EDP será tomada pelo Conselho de Ministros «ainda antes do Natal».

Recusando fazer qualquer comentário sobre os quatro concorrentes à privatização, uma empresa alemã, duas brasileiras e uma chinesa, o chefe de Estado sublinhou que a escolha irá recair sobre o que tiver melhor avaliação, no dossier elaborado pela Parpública e pelos advisers no processo.Alemães, chineses ou brasileiros? «O que nos interessa é o mérito das propostas».

Esta terça-feira, foi noticiado que o Conselho Geral e de Supervisão da EDP prefere a proposta da E.On e da Three Gorges para compra de 21,35% da eléctrica nacional. Segundo o «Jornal de Negócios», as empresas alemã e chinesa têm as propostas de aquisição mais interessantes, enquanto as duas candidaturas brasileiras - da Eletrobras e Cemig - terão ficado aquém dos interesses dos representantes dos accionistas da EDP.

Mas o facto de entre as quatro candidatas se encontrar apenas uma empresa europeia tem, para Passos Coelho, uma leitura simples: «Infelizmente diz alguma coisa do momento que estamos a travessar na Europa, o que mais uma vez prova que não podemos desprezar outros tabuleiros», sublinhou, referindo-se aos mercados brasileiro e angolano. «O mercado europeu, que nos próximos anos atravessará momentos difíceis, não é suficiente».

matem-se os empecilhos!

Fonte: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

de cócoras!

Lê-se no Correio da Manhã online:

Pedro Passos Coelho: Governo europeu
O primeiro-ministro, Passos Coelho, afirmou à SIC Notícias que “é mau não haver um Governo europeu nem um Tesouro europeu” para responder à crise.

abaixo-assinado em defesa do "público" e do jornalismo


"Os jornalistas e cidadãos abaixo-assinados vêm expressar publicamente a sua preocupação pela situação que atravessa o jornal “Público”, manifestando-se solidários com os trabalhadores deste diário. A intenção da administração do “Público” de colocar em situação de lay off 21 trabalhadores e de reduzir a remuneração a todos os que aufiram um salário bruto superior a 1.600 euros reforça uma tendência preocupante no sector dos media que tem vindo a afectar também profissionais de outros órgãos de comunicação social nos últimos anos e mais recentemente no "i". 

Desde a sua fundação, o “Público” afirmou-se como um dos mais reputados títulos da imprensa nacional, uma importante referência para os profissionais da comunicação e para milhares de leitores. As dificuldades que esta e cada vez mais redacções atravessam não são apenas um problema dos jornalistas, mas de todos os cidadãos que desejam uma sociedade livre e informada. A crescente instabilidade e a contínua degradação das condições de trabalho nas redacções constituem uma séria ameaça ao jornalismo de qualidade, um dos mais importantes pilares da democracia. 

A crise financeira global, com as suas particularidades europeia e portuguesa, veio conferir uma dimensão ainda mais preocupante ao desafio que a Internet trouxe ao jornalismo tradicional. Às empresas, na busca de um novo modelo de negócio. Aos jornalistas profissionais, na criação de novas narrativas e novos formatos de recolha, produção e tratamento da informação em diferentes plataformas. A ambos, empresas e jornalistas, na capacidade de tirarem partido dos novos media e de uma até agora inédita centralidade dos cidadãos no processo noticioso. 

Convictos de que a viabilização económica sustentável das empresas que apostam num jornalismo profissional de qualidade, credível e independente não pode ser alcançada sem sustentabilidade editorial, os abaixo-assinados apelam à administração do jornal “Público” que, no escrupuloso cumprimento da lei, procure superar as dificuldades em colaboração com os seus jornalistas e demais trabalhadores e não contra eles."

Clique neste link se quiser subscrever a petição:

já conhece o pior primeiro ministro do portugal democrático?


Ainda a gente falava (e fala) do Cavaco, do Guterres, do Barroso, do Lopes, do Pinto de Sousa, vulgo Sócrates. A coisa vai de mal a pior, estamos entregues à bicharada e à lixarada de uma assentada. Este homem não tem conhecimentos nem personalidade nem uma visão humanista do Estado para poder estar à frente de um governo, seja do Gabão ou de Portugal. Mas parte do país ajoelha-se-lhe aos pés, presta-lhe vassalagem, rende-lhe homenagem. Ele destrói a economia? Grande homem! Ele mente? Grande homem! Ele rouba o presente e o futuro dos portugueses? Grande homem!

13/12/11

a nova capital do gerúndio e os sem futuro

Artigo publicado em: http://www.cartamaior.com.br

As Filipinas estão rapidamente assumindo a liderança na oferta de mão-de-obra barata para os gigantescos call centers globais, cuja meca original era a Índia. Reportagem do New York Times informa que um atendente de telemarketing nos EUA ganha um salário inicial de US$ 2 mil por mês, contra US$ 250 na Índia e US$ 300 no caso dos filipinos. A vantagem destes seria o inglês, com sotaque mais familiar aos ouvidos norte-americanos do que a pronúncia britânica dos indianos. Além disso, a reportagem observa que os filipinos comem hambúguer, ah, sim, e acompanham o campeonato da liga norte-americana de basquete. Isso teve ter influência nos neurônios da linguagem. 

Nesta 2ª feira, em várias cidades portuárias norte-americanas, de Oakland a Seatle, milhares de indignados tentaram paralisar os trabalhos de embarque e desembarque de mercadorias, em protestos contra o que identificam como o circuito de espoliação dos 'modernos barões ladrões'. O tratamento carinhoso dispensado pelos 'ocupa portos' aos 1% que controlam a economia, a política e as finanças dos EUA revela um salto de consciência. Na convocação para o assalto aos portos (http://www.occupytheports.com/), os indignados acusam a plutocracia ianque de transferir fábricas, empregos e serviços para o exterior, ao mesmo tempo em que importa mercadorias a preços inferiores, reduzindo salários e receitas públicas, com impacto regressivo nos orçamentos de saúde e educação. O esvaziamento dos cinturões industriais nos EUA e alhures, realocados para zonas de baixo custo laboral, equilibrou-se politicamente enquanto durou a farra do crédito ilimitado, cuja saturação levou à crise das subprimes com os desdobramentos em curso na desordem financeira global. A mágica intentada pelo conservadorismo agora, de um lado a outro do Atlântico, é preservar o modelo original substituindo a pata do crédito pelo porrete do arrocho fiscal. A resistência social tem seu flanco justamente na perda de peso das fábricas e concentrações operárias. O 'ocupa portos' ensaiado nesta 2ª feira é uma tentativa de identificar um novo locus capaz de paralisar o sistema econômico. A lógica desse aprendizado é: se no século XX os trabalhadores interrompiam a linha de montagem para paralisar a cidade, agora é necessário paralisar a cidade (seus centros de distribuição e decisão) para colapsar a economia. A ver.

outro exemplo típico de uma grande democracia


Eis uma nova arma destinada a "apaziguar" multidões. Uma arma que cega os manifestantes. Ah! Mas não se inquietem. Quem está a estudar o seu uso é a Grã-Bretanha que, como toda a gente sabe, tem longos pergaminhos democráticos. Por isso a arma cega, mas cega temporariamente. Faz a sua diferença.

A notícia toda:
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/18490/policia+britanica+testara+laser+para+cegar+manifestantes.shtml

publicidade nada enganosa

... e as crianças, Senhor?





vão dar lições de democracia à vossa avó!

O senado americano quer fazer passar uma lei que permite prender, por tempo indefinido e sem julgamento, qualquer cidadão americano. Quem tem telhados de vidro ...


anorexia

Onde ele vê fartura e prosperidade, nós vemos muita magreza, muita fominha.


Imagem: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

ASAE o nosso!



A gente lê e não acredita no que lê. O chef Olivier foi preso pela ASAE, pela terceira vez no espaço de um mês. E a gente pensa logo: o homem anda metido na droga, vende gato por lebre, faz almôndegas com carne humana. Puro logro. Foi preso por permitir que alguns casais mais enamorados, ou mais rapioqueiros, troquem uns passos ao som da música no restaurante-bar que não tem alvará de espaço de dança.

Não sou advogado de defesa de Olivier (nem sequer sou advogado, calha bem!), mas isto não toca as raias do ridículo, excede-as, ultrapassa-as à velocidade de um Fórmula 1.

Se eu mandasse (ah, se eu mandasse!) já sabia o que fazer: transformava a ASAE numa ONG e punha-os a todos, directores e inspectores, numa cozinha a servir refeições a quem não tem que comer.

Era o que fazia.

dinheiro negro (uma história da corrupção)

12/12/11

detesto sua excelência o senhor primeiro-ministro (digam-se as verdades mas com respeito, respeitinho)


Sim, confesso. Tenho aversão a Passos Coelho e a tudo o que ele representa. Detesto a sua política, a sua insensibilidade, os seus objectivos aviltantes de empobrecimento do País em função de uns quantos, uns poucos. Detesto que vá à Merkel receber ordens, sem sentido de Estado, de Soberania, de Independência, de Orgulho Nacional. Detesto que esteja ao serviço de um plano global de envilecimento da democracia e da instauração de um neofascismo que já nem encapotado é. Detesto que nos fale com a sobranceria de quem sabe o que é melhor para o povoléu, e o que é melhor para o povoléu são mais sacrifícios, mais desemprego, mais carestia, menos saúde, menos direitos sociais, menos segurança na velhice, menos escola pública, o rol já é extenso, nunca ninguém tinha feito, em tão pouco tempo, tanto mal a Portugal e aos portugueses.

psst! sim, você, que está aí escarrapachado no sofá a ver a casa dos segredos!


Sim, isto é consigo. Também é consigo. O governo vai-lhe ao bolso, a toda a hora e instante. Você paga mais impostos, recebe menos salário, trabalha mais horas. Paga mais no supermercado, na farmácia, no Centro de Saúde. E cala-se. Porque os gajos que estão no governo, e que você ajudou a pôr lá com o seu voto, passam a vida a dizer-lhe que a culpa é do Sócrates. E você acredita. Quer acreditar. Nem sequer lhe ocorre que o Sócrates não governou a Grécia, ou a Itália, ou a Irlanda, ou a Europa, que esta crise é generalizada e pré-fabricada por quem nos quer empobrecer. Sim, não foi Passos Coelho que inventou essa do empobrecimento, ele é apenas um peão de brega dos que realmente mandam. Ainda não reparou? Pois não. A vida vai de mal a pior, está cada vez mais cara, mas ainda tem trabalho, não se pode queixar. O melhor é não fazer ondas. O Passos Coelho, coitado, está a fazer os possíveis e impossíveis para salvar o País. Você agora nem sequer quer saber da política. No tempo do Sócrates sim, esse é que era malandro, gastava à tripa-forra. O Coelho não. Até viaja em turística, vejam lá! É um homem honesto, sem peneiras, com casa em Massamá. No tempo do Sócrates, você recebia email atrás de email a denunciar os tachos dessa cambada. Agora não recebe nenhum, por alguma coisa é. O País deve estar muito melhor. Chega de conversa. A Casa dos Segredos está no auge. O gajo vai-se meter na cama com a gaja. E os outros dois vão andar à berlaitada. O resto que se lixe. É cada um por si e Deus por todos.

acordai!

Um dia destes, acordamos sim. Com a polícia a entrar-nos portas adentro.

a pátria tornou-se um regabofe

A grande ofensiva contra os nossos valores
Por Baptista Bastos

A ofensiva do Executivo de Pedro Passos Coelho não se restringe ao Estado Social. Possui um violento conteúdo ideológico, sem paralelo na nossa história próxima recente. E chega a atingir a simbólica da própria Resistência, configurando características acentuadamente filofascistas. A supressão do feriado do 5 de Outubro é, provavelmente, o facto mais significativo dessa avançada. Como que para amenizar a circunstância, o pobre ministro Santos Pereira, o Álvaro, tentou remendar a decisão dizendo que o 5 de Outubro não desaparecia - passava a ser comemorado no domingo seguinte. Além do dislate, a declaração toca as raias do ridículo. Aliás, este Governo, sobre ter atitudes e comportamentos assustadores, está envolvido no ridículo mais avassalador. 

gramei à brava!

11/12/11

hoje apetece-me dedicar um poema aos políticos, não todos, do meu país

Mentiram-me. Mentiram-me ontem
e hoje mentem novamente. Mentem
de corpo e alma, completamente.
E mentem de maneira tão pungente
que acho que mentem sinceramente.

Mentem, sobretudo, impune/mente.
Não mentem tristes. Alegremente
mentem. Mentem tão nacional/mente
que acham que mentindo história afora
vão enganar a morte eterna/mente.

Mentem. Mentem e calam. Mas suas frases
falam. E desfilam de tal modo nuas
que mesmo um cego pode ver
a verdade em trapos pelas ruas.

Sei que a verdade é difícil
e para alguns é cara e escura.
Mas não se chega à verdade
pela mentira, nem à democracia
pela ditadura.

Afonso Romano de Sant'Anna

com os russos não se brinca

Manifestante do movimento Occupy ferido pela polícia nova-iorquina

Devo dizer que não nutro qualquer simpatia por Vladimir Putin nem pela falsa democracia que vigora na Rússia. No entanto, muito menos apoio a interferência dos Estados Unidos nas recentes eleições russas, interferência que o jornal Pravda já considerou como sendo um acto de guerra. Leu bem: um acto de guerra. Não fazem a coisa por menos.

Por outras palavras, nem os Estados Unidos são os polícias do mundo nem, como se sabe, podem dar lições seja a quem for em matéria de democracia. E já basta a desgraça que têm espalhado pelo Afeganistão e pelo Iraque, preparando-se ainda para "ajudar a repor a democracia" no Egipto, na Líbia e, se os deixarem, pelo resto dos países árabes hostis aos seus interesses, mergulhando os seus povos em mares de sangue.

por andas tu, romeiro?


Por Sérgio Lavos

Sinto falta das aparições de Paulo Portas nos telejornais do tempo de Sócrates, logo a seguir a 2 ou 3 notícias de crimes. Tenho saudades daquela indignação sentida, do dedo em riste, pedindo mais polícia e mais segurança. Por onde é que ele anda, agora que, para além de qualquer dúvida, os roubos, os assaltos e mesmo os crimes mais violentos vão tomando conta do quotidiano deste país empobrecido? Ainda bem que em tempos um ministro do Mar qualquer investiu na compra de dois submarinos e de alguns tanques Panzer. Se não fosse isso, e as cidades já tinham sido tomadas por meliantes...

o fado de quem nos fada

o pior dos criminosos


Fonte: http://henricartoon.blogs.sapo.pt/

o dia das mentiras é sempre que um político quiser

sem vergonha nem coração

pois é, quem não quer ser lobo não lhe veste a pele

occupy ninjas

estamos em guerra, caso ainda não tenham dado por isso

antes passadeira do que capacho, tanto melhor se for vermelha

Os desalmados! Arruinaram a festa de Natal dos senhores da Câmara de Comércio em Washington. Isto porque, vejam lá se não são gente esquisita, não querem ser capachos de ricos e poderosos.

a grande novidade deste natal