21/05/11

de espanha para o mundo, o rastilho da esperança

Hanói











Buenos Aires


Paris
Berlim


madrid me mata!

A multidão cresce em muitas praças de Espanha. Repito, aqui, o link para o canal que, em directo, mostra a grande demonstração de força na Puerta del Sol, em Madrid. E nós? De que estamos à espera? O Rossio tem tido algumas, poucas, centenas de pessoas. Estamos no melhor dos mundos? 

vamos pô-lo fora

mudar

para lá de madrid, a indignação cresce e multiplica-se

Barcelona

Zaragoza

Valência

vamos gritar todos: chega!

o milagre das rosas



O que dizer de 6 anos mergulhados neste verdadeiro milagre das rosas? Começam a faltar-me palavras para descrever tamanha destruição de tudo aquilo que uma democracia deveria fazer prevalecer, dos valores de solidariedade que um Estado Social deve manter intocáveis. Das leis fundamentais que um Constituição deveria garantir. Um governo que não soube governar e que se limitou a detonar o povo que o elegeu. Que deveria cumprir o prometido e não mentir, omitir, mentir, omitir sem vergonha, sem humildade, sem carácter, sem rumo, orientação ou competência. O bacharel José Sócrates ficará para a história deste país como o pior Primeiro-Ministro que alguma vez sentou o rabiosque no Palácio de São Bento. É uma ousadia recandidatar-se ao cargo, é gozar com quem acreditou não uma, mas duas vezes na sua triste pessoa.

Este governo destruiu Portugal. Destruiu a classe média. Empobreceu os que apenas sobreviviam. Condenou os que esperavam ter uma reforma digna e hipotecou o futuro de várias gerações. Mergulhou milhares no desemprego - 700 mil. Empurrou milhares para a emigração. Abriu portas à falência de milhares de empresas. E estamos novamente em recessão económica. Merece ser deposto e deveria ser julgado por má governação e pelo prejuízo incalculável que causou a este país. Um a um, todos sentados no banco dos réus. Este vídeo poderia ser a imagem perfeita da governação a que assistimos. Uma implosão constante. Mas sempre com foguetório. Vamos ao charco, mas vamos em grande.

Texto: Tiago Mesquita
Fonte: Expresso online

um por dia: programa do partido humanista

http://www.movimentohumanista.com/ph/xpagina.php?tema=el2011_p

20/05/11

sean penn como nunca o viu

nem à noite o sol deixa de brilhar


Eles lá continuam, em festa. A festa de todos nós, portugueses, espanhóis, gregos, franceses. Porque não são só os países periféricos (isso sim, é insulto) a sofrer os ataques do neo-liberalismo, é a Europa, é África, é a América-Latina, é a Ásia. E estes protestos em Espanha, que se espalharão por mais países, são um sinal de que nem tudo está perdido, que os senhores do dinheiro têm ganho batalhas, mas estão muito longe de ganhar a guerra. O capitalismo deve ser, e é tudo a que pode e deve almejar, um sistema económico e não político, não pode continuar a governar de facto, a deter o poder real em ditaduras e em democracias de polichinelo, governadas em qualquer dos casos pelos seus fantoches, os seus paus-mandados, os seus mandaretes de serviço.

Veja em directo:
http://www.soltv.tv/soltv2/index.html

sim, quero casar contigo!


O vídeo começa de uma forma simples: há um rapaz que quer pedir em casamento uma rapariga. É a partir daqui que a surpresa entra em acção. Matt Still levou a criatividade ao limite, envolveu o sogro, o cunhado e os amigos e surpreendeu a noiva em pleno cinema. O tão aguardado “sim” já foi visto por seis milhões e meio de pessoas.

O vídeo, que está a ser um verdadeiro sucesso na Internet e que tem por título "A melhor proposta de casamento de sempre", começa com Matt a pedir a bênção ao pai de Ginny. A jovem, que pensa ter ido ao cinema assistir a um qualquer filme, rapidamente reconhece os ‘actores' da história e começa a chorar.

Já com o consentimento do sogro, Matt conduz apressadamente para o cinema, estaciona o carro no parque e vai comprar as tradicionais pipocas. Os nervos estão à flor da pele, mas, uma corrida depois, entra na sala de cinema e pede Ginny em casamento. Seja pelo amor que os une, seja pelo inovador pedido, a jovem aceita emocionada. 

O vídeo, com quase sete minutos de duração, tornou-se de tal forma um êxito que, em apenas quatro dias, foi visto por quase seis milhões e meio de pessoas. Espera-se que o sucesso se estenda ao casamento, para que este filme da vida real termine com: "E foram felizes para sempre".

pergunta inocente, juro!


Ao fim de anos de subidas sucessivas do preço da gasolina, anuncia-se agora a probabilidade de vir a baixar dentro de poucos dias. Terá isto a ver com a proximidade das eleições?

o pai dos pobres

Paulo Portas

Para quem não se deu ao trabalho de ler o programa de governo do CDS-PP (e Deus sabe como eu tenho mais que fazer), o debate Portas-Louçã foi instrutivo. Fiquei a saber que Portas defende um Rendimento Social de Inserção pago sob a forma de vales de alimentação. Não se ter lembrado de Cheques Fnac, Vouchers A Vida é Bela ou de bilhetes para a próxima final da Liga Europa mostra que Portas sabe umas coisas sobre os probres: têm é que comer e não devem gastar o dinheiro todo em doces. Um governo com Portas no poleiro é a garantia de um Estado caridoso, sem dúvida uma boa notícia para os corações misericordiosos que pagam impostos lembrando o magistério da Madre Teresa. Enquanto Louçã fala em renegociar a dívida para desatascar uma economia condenada, Portas está preocupado em lembrar a dívida dos pobres: que são uns falhados que devem à sociedade a graça do pão de cada dia, que são uns fardos cuja sobrevivência só não é renegociada porque enfim.

Texto: Bruno Sena Martins

os vampiros


A canção de José Afonso que continua actual tantos anos depois.

o acelerador



Não sei se estão lembrados: o caso Portucale foi desencadeado pelo abate ilegal de três mil sobreiros na Herdade da Vargem Fresca, em Benavente, onde a empresa homónima pretendia construir um resort turístico. O abate foi possível graças a um despacho do governo Santana Lopes, assinado pelos ministros do Ambiente (Nobre Guedes), Agricultura (Costa Neves) e Turismo (Telmo Correia), poucos dias antes das legislativas de 2005. O caso chegou este ano a julgamento. Entre pessoal político, gestores e funcionários, os arguidos são onze: Abel Pinheiro, Carlos Calvário, José Manuel de Sousa, Luís Horta e Costa, António de Sousa Macedo, Manuel Rebelo, António Ferreira Gonçalves, Eunice Tinta, João Carvalho, Teresa Godinho e José António Valadas. São acusados de tráfico de influências e falsificação de documentos. Os ministros signatários do despacho (Guedes, Costa e Correia) não foram acusados de qualquer crime pelo Ministério Público.

Ontem, Miguel Relvas, antigo e actual secretário-geral do PSD, foi ouvido como testemunha do processo. Para espanto dos juízes, que se mostraram admirados com a intervenção do secretário-geral de um partido em questões governamentais (exemplo: alargamento da concessão de auto-estradas), Relvas declarou ter acelerado processos entre autarquias e o governo de Santana Lopes em nome do interesse público. Não é extraordinário?

Texto: Eduardo Pitta

ideias para 5 de junho, boas ou más é consigo

Pela ideologia e valores que defende, neonazis e trauliteiros, tomei a liberdade de excluir o Partido Nacional Renovador. Se porventura falta aqui mais algum, foi por pura ignorância da minha parte. Estes são os partidos que nunca tiveram assento parlamentar. Será que nenhum deles merece uma oportunidade? 















olha quem voltou!


Já ouvi dizer que vive um exílio das mil e uma noites em Cabo Verde. Eu não sou de intrigas, que não sou, mas gostava que se fizesse uma auditoria à sua fortuna desde que deixou  o governo de Cavaco Silva. Como é que conseguiu tanto dinheiro em tão pouco tempo? Por que caminhos se embrenhou, que negócios fez e com quem? Enquanto isso, e depois do escândalo BPN de que saiu impune (é só mais um, em Portugal nada espanta), Dias Loureiro está de volta para, passo a passo, aconselhar Passos. Nos meus momentos de candura, que os tenho e muitos, chego a acreditar  que, apesar de trapalhão e de apostado em políticas extremamente negativas para a maioria dos portugueses, Coelho é um homem transparente, em oposição ao famigerado Sócrates. Mas, depois de notícias como esta virem a lume, adeus minhas encomendas: é mais um politiqueiro à procura de tacho para si e para os seus. Caso para dizer: Coelho escondido com rabo de fora.

contra os aldrabões, votar, votar!


o novo calimero

el mayo en que nació el grito

POR AMADOR CEA, MILITANTE DE IC

Me considero un tipo normal. Tengo veinticinco años, soy licenciado, estoy preparando una oposición. También soy militante comunista -aunque eso, ahora, no venga al caso-. No tengo coche, ni casa. Los fines de semana hago botellón con mis amigos. Muchas veces he hablado acerca de cambiar el mundo. Muchas veces me he preguntado por qué las cosas son como son, o por qué hay gente que lo tiene todo y gente que no tiene nada. Muchas, muchas más me he cuestionado el motivo por el cual la gente de mi alrededor estaba quieta y callada. Quieta, callada y triste. Sobre todo triste. He encontrado algunas respuestas -pocas- y más interrogantes -muchos-. Pero nunca me había sentido como ahora. Sorprendido, ilusionado, intrigado. Como un niño.

Lo que los medios ya llaman «el mayo español» es, en realidad, una cosa muy sencilla. Es la gente saliendo a la calle a decir «estamos hartos, joder». Son los jóvenes y los no tan jóvenes dándose cuenta de que las cosas se pueden hacer de otra manera. De su manera. Es un mensaje de advertencia a los poderosos. Es un perro que se revuelve contra su amo. Es muchas cosas; aunque todavía, quizás, no sea nada en concreto.

Yo he estado en Sol, en la acampada, dos noches ya. He visto a centenares de personas intentando organizarse. He visto frustración y alegría. He visto comisiones, asambleas, debates, gritos, aplausos y silbidos. Y lo que he visto era muy bonito. Joder, era tal vez lo más emocionante que he visto en mi vida. Porque siempre pensé que este tipo de cosas pasaban en las pelis de los setenta. Porque mi padre me decía que él corrió delante de los grises. Porque mis mayores sonreían con un gesto nostálgico al ver imágenes de mayo del 68. Porque yo no tenía mi revolución.

Que no se me malinterprete. He afirmado, al principio de este texto, que yo era militante comunista. Pero no soy estúpido. Sé perfectamente que el movimiento que está recorriendo el Estado español no es comunista, ni socialista, ni anaraquista. Sé que esto no es el fin de la explotación del hombre por el hombre. Sé que de aquí no saldrá el cambio radical en las relaciones de producción y la abolición de las injusticias. Pero me da igual, porque me siento orgulloso de mis semejantes. Me da igual, porque por primera vez en mi vida veo ilusión en la mirada de mis amigos. Veo fuego en sus ojos. Y por eso esta noche volveré a acampar en Sol. Por eso envío un saludo fraternal a esos locos, a esos parias, que están comenzando a construir algo que aún no saben lo que es; porque se aprende más en un solo día de revolución que leyendo todos los libros del mundo.

Seguid indignados. Vuestra fuerza es también la mía. Y mi grito es también el vuestro.

um por dia: programa do MPT

É o que eu digo: dar o voto ao PS, ao PSD e ao CDS é prolongar a agonia de Portugal, por isso mais vale votar, à esquerda ou à direita, em partidos que tragam novas ideias e novas propostas, que renovem o parlamento e, sobretudo, que enfraqueçam as forças políticas do arco do poder, até que lentamente sejam substituídas por outras onde homens devotados à causa pública recusem servir-se do Estado como se de uma coutada privada se tratasse. Hoje, trago-lhe o programa do Movimento Partido da Terra. 


19/05/11

não se pode ser bom em tudo

                                                                                                                       

madrid, puertas del sol, primavera de 2011

à violência respondo assim







espanha dá o exemplo

À hora a que escrevo, antes das 10 da noite em Lisboa, 11 em Madrid, a Puerta del Sol está a abarrotar. E há outras concentrações por toda a Espanha. À hora a que escrevo, o PP e o PSOE, os partidos que, a exemplo do PSD, CDS e PS por cá, são os que têm ocupado os cargos governamentais em regime de alterne, estão a chegar à conclusão de que se enganaram, que se pode abusar dos cidadãos até a um certo ponto mas que esses cidadãos, quando lhes chega a mostarda ao nariz, porque tudo o que é demais é moléstia, sabem responder à letra. Assim foi no Egipto, na Tunísia, na Líbia. Assim está a ser em Espanha. Por motivos diferentes, dirão uns. Lá viviam em ditaduras, em Espanha não, dirão outros. A todos esses eu respondo: a democracia que se pratica em Espanha, e em Portugal, é uma democracia mentirosa, uma semi-democracia governada por incompetentes, corruptos, ávidos de cargos e de poder, que mandam a polícia para as ruas ao mínimo sinal de que o seu ripanço e a sua imoralidade e os seus privilégios estão em perigo. Espanha dá o exemplo. O rastilho está a pegar. A chama da liberdade, da democracia real, está a passar pela Europa. Tremam, senhores!

não sei em quem votar

quem foi o pior, quem foi?


Eu sei qual foi o meu, embora ache que, entre todos eles, venha o diabo e escolha. E o seu? Responda à sondagem no topo da coluna direita. É grátis. E pode ser que o seu fique em primeiro, o que lhe servirá de prémio de consolação. Nos tempos que correm, tudo serve para animar!

a primavera espanhola

O mundo de olhos postos em Espanha. Eis como o Washington Post vê os protestos de Madrid:

Spanish revolution: Thousands gather in Madrid’s Puerta del Sol Square
By Elizabeth Flock

People take part in a demonstration in Madrid Tuesday, May 17. (Arturo Rodriguez - AP)

Some 10,000 protesters gathered in Madrid’s Puerta del Sol square Wednesday to demand jobs, economic equality, and “real democracy” in the fourth day of protests that mimic the Middle East uprisings.

efeito dominó: tahir, rossio, puerta del sol, assim de repente, fiquei cheio de vontade de acampar! e tu?

A Revolução Espanhola, minuto a minuto. No Diagonal, noPeriodismo Humano e no El Pais.

Fonte do título, fotos e links: 

mais depressa se apanha um mentiroso

Sócrates e Mário Lino prepararam privatização das águas em 2000

Por José António Cerejo
PÚBLICO

A privatização parcial do grupo Águas de Portugal (AdP), que o PSD prevê no seu programa eleitoral e que José Sócrates qualificou no sábado como uma "aventura irresponsável", foi discutida e preparada pelo actual primeiro-ministro quando tutelava a pasta do Ambiente, em 2000 e 2001.


De então para cá, as posições do PS e do PSD sobre a privatização do sector das águas têm sofrido sucessivos avanços e recuos, mas a empresa continua a ser 100 por cento pública.

A administração da AdP, à época presidida por Mário Lino, programou no ano 2000, sempre em articulação com José Sócrates, a entrada de privados no capital da holding que controla o sector. A estratégia definida assentava, numa primeira fase, na venda de uma fatia do capital da AdP, até 30 por cento, à EDP (Electricidade de Portugal), que posteriormente a venderia ao gigante inglês do sector, a companhia privada Thames Water. Numa segunda fase previa-se a abertura, em bolsa, do capital da AdP a investidores privados. 

De acordo com um memorando confidencial a que o PÚBLICO teve acesso - redigido em Fevereiro de 2000 por Mário Lino, depois de José Sócrates ter corrigido pelo seu próprio punho uma versão preliminar -, "a participação da EDP na AdP não deveria ultrapassar, nesta fase, os 30 por cento, devendo ainda acordar-se que, numa futura privatização parcial da Adp, a percentagem de capital a colocar em bolsa devia ser idêntica relativamente aos 70 por cento públicos e aos 30 por cento detidos pela EDP". O documento notava que as estimativas feitas atribuíam à AdP - que actualmente controla mais de quarenta empresas - um valor da ordem dos dois mil milhões de euros.

aqui está alguém a quem a vida corre bem

Anda tão caladinho, não anda? Mas tem desculpa, tem sempre uma desculpa: desta feita, não quer interferir no processo eleitoral, não quer que o acusem de influenciar o voto dos portugueses. Nobre atitude. 

sócrates, o novo herói da disney


Fantasia é o novo filme da Disney a não perder. Muitos sonhos, muitas palavras bonitas, muitas promessas cor-de-rosa, muitos arco-íris de deslumbrantes tons, muito dinheiro a cair do céu azul, toda a gente tem o seu emprego e é feliz nesta história de pasmar, passada num reino onde não há pobres, nem revoltados, nem perigosos difamadores da honra do personagem principal, um bondoso homem que nunca mente, que tudo faz pelo seu país, que, qual animal feroz, enfrenta dragões e lobos famintos para proteger os seus súbditos, se preciso for à custa da sua vida e dos seus fatos Armani e D&G. Vive num castelo de conto de fadas onde a mãe, todas as noites, lhe lê uma história de encantar e o adormece consoladinho no seu leito de damasco e seda. Num cinema perto de si, todos os dias e a toda a hora. 

os senhores não gostam de ser contrariados

É esta a "democracia" em que vivemos: mal os senhores do poder se sentem desafiados, mandam a polícia para a rua "repor a ordem pública" e prender participantes numa manifestação pacífica. 

Imagens, mais uma vez, de Espanha:

durão barroso possível candidato a director do FMI


De mansinho, como quem não quer a coisa, de mordomo de Bush e Blair na cimeira dos Açores até à União Europeia, o homenzinho lá tem conseguido um lugar à mesa dos senhores do mundo. Agora, diz a CNN, Durão Barroso pode vir a ser o novo Director do FMI, a negra instituição de exploração intercontinental. Se tal vier a acontecer, lanço um repto a todos os portugueses de boa vontade: agarrem nas vossas bandeiras, que até agora só foram em futebóis, lavem-nas, engomem-nas, e pespeguem-nas outra vez nas varandas, janelas, sacadas. O saque continua, mas desta vez liderado por um português. Depois da Expo 98 e do Europeu de Futebol, só nos faltava mais esta para erguer de novo o orgulho pátrio! Ah valente! Ah Durão!

Actualização: uma assessora de Barroso já desmentiu. Ora, ora! Também o próprio tinha desmentido, quando exercia o cargo de primeiro ministro, que não iria para a União Europeia. Dias depois, deu o dito por não dito!

ficção ou, mais tarde ou mais cedo, realidade?

abram as portas ao sol!


Mais um canal de televisão com acesso directo aos acontecimentos de Madrid:
http://www.soltv.tv/

ecografia eleitoral


O pequeno Sarkozy está a ter uma semana "eleitoral" tão perfeita como nenhum político ousa sequer pensar. O seu principal adversário, Director do FMI e que o batia claramente nas sondagens para as Presidenciais Francesas marcadas para daqui a um ano, Dominique Strauss-Kahn, é preso em Nova York num escândalo sexual e a sua mulher, a "Bruuuunii", anuncia que está à espera de um filho.

a escalada do desemprego


indignação à prova de água

Apesar da chuva e da polícia, os manifestantes espanhóis continuam as suas acampadas. As imagens são de Madrid e Barcelona.


18/05/11

y viva españa!


A polícia tenta impedir o acesso à Puerta del Sol, em Madrid, e ameaça os transeuntes em caso de infracção. Mesmo assim, a acampada continua. Veja em directo
http://www.livestream.com/agoranewsdirecto

mais um partido


Lembram-se do POUS? Esquecido durante anos, talvez seja tempo de o relembrar, nem que seja lendo o seu manifesto eleitoral (o manifesto e não o programa, ao contrário do que tinha prometido ontem mas, no caso deste partido, não existe, pelo menos por enquanto). 

Outros programas e manifestos se seguirão. Um por dia.

apesar da proibição, os manifestantes mantêm-se nas portas do sol

A polícia impede a passagem de mais gente para a praça, mas os manifestantes que aí se encontram "acampados" resistem e garantem ficar.