27/09/14

já prescreveram?

Há vinte anos, insultei um polícia, preguei uma rasteira num político, enganei o fisco numas centenas de escudos, fui proxeneta, larápio, traficante, anarquista, ateu, rebelde, revolucionário, livre-pensador e pedreiro-livre.

Foram crimes?

Já prescreveram?

Posso dormir descansado?

Como um bebé?




terá sede em massamá?

Ontem, li um comentário num jornal diário em que se confundia, propositadamente, o Centro Português para a Cooperação com o Conselho Português para a Paz e Cooperação, como quem dá a entender que Coelho "colaborava" com uma ONG de longo passado que nada tem a ver com moscambilhas entre governantes e os chicos-espertos da praça.

Hoje, o próprio Público trás na capa a sigla CPPC em vez de CPC.

A confusão instala-se a vários níveis, discute-se Passos passo a passo e não se vai ao cerne da questão, as contas e os actos da Tecnoforma e do seu gémeo siamês, o tal Centro Português para a Cooperação: que acções desenvolveram ao longo dos anos, com que financiamentos e com que resultados práticos, ou seja, que efeitos positivos tiveram na vida nacional e no progresso do País. Desbravando-se esse terreno, chegar-se-á aos figurantes e figurões, sejam  eles administradores, conselheiros, consultores ou ... facilitadores de negócios.

E mais não digo, que não quero que me aconteça a mim o mesmo que a um ainda-não-se-sabe-qual ministro do actual governo: levar com um processo em cima por parte da inocente, transparente, remediada Tecnoforma. Terá sede em Massamá?


26/09/14

el matador

Nem de caras nem de cernelha, Passos não enfrenta o touro da verdade, animal possante, tão feroz quanto o outro, que urge conduzir ao matadouro antes que faça mais estragos. Depois de tanta faena, sabendo de antemão que nem a AR nem a PGR quereriam ou poderiam agir contra si, que mais chicuelinas nos prepara Passos? Que mais bandarilhas nos quer espetar no lombo martirizado?

Meteram-nos nos curros há já três anos. Sem cortesias, escorneemos. Está na hora de tirar o cabresto.


25/09/14

moribundo

Será que, no Domingo, lhe vou poder escrever a elegia fúnebre?

STEVEN GOVERNO/GLOBAL IMAGENS

23/09/14

conheça, em primeira mão, a salsicha educativa de que fala o meu, vosso, nosso primeiro-ministro de portugal, prof. doutor pedro passos coelho


Aqui fica um convite: durante o dia de hoje, vamos encher blogues, redes sociais, emails, com as mais vigorosas, doutas, esbeltas, nutritivas salsichas. Das educativas, pois está claro. Aqui fica o meu humilde contributo.

as barracas da "tia" paula

Há tribunais que foram construídos há poucos anos, que custaram ao erário público, a todos nós, milhões de euros e que, agora, foram desactivados ou passaram a trabalhar a meio gás enquanto não se prepara uma nova "reforma" que acabe com eles de vez. Enquanto isso, outros passaram a funcionar em ... contentores. Contenho o contentamento. Amanhã serão barracas a acolher a Justiça que, ceguinha de todo, não pune os culpados.

Nas fotografias, os "tribunais" de Faro e Loures. Está instalado o terceiro-mundo em Portugal.


quem mente? quem mente?

O primeiro-ministro não sabe, não se lembra. Os serviços da Assembleia da República negam. O Público de hoje afirma que sim senhor, que Pedro Passos Coelho recebia o subsídio de exclusividade na sua qualidade de deputado, há documentos a comprová-lo, e, ao mesmo tempo, recebia honorários por parte da Tecnoforma, essa empresa de negócios mal esclarecidos e dinheiros mal parados.

Quem protege, na Assembleia da República, PPC? Ou é o Público que está a mentir e tais documentos "incriminadores" não existem de facto?

Não perca as cenas dos próximos capítulos, com a certeza de um final feliz: se culpado, PPC escapará incólume. Deste delito ainda assim pequeno, quando comparado com os suicídios, a fome, o desemprego, a penúria que espalhou pelo País ao longo destes mais de três longos, duríssimos, penosos anos.



21/09/14

escócia

Vergonhosa a forma como o NÃO à independência ganhou a parada. Uma campanha feita de chantagem. Até Buckingham tremeu e a rainha, tão contida, balbuciou ameaças veladas. Triste espectáculo. Triste Europa.