23/06/12

um feirante na colômbia


Vocês hão-de achar que eu só digo mal. Que querem? Nada de positivo se passa no mundo, as guerras, a fome, a sede, os desastres ditos naturais (mas que, se eu acreditasse em Deus, jurava que eram fruto da Sua ira) esfrangalham a Humanidade num genocídio de proporções apocalípticas.

Por isso, vou continuar a dizer mal. Hoje, do PP chefe do PP. O agora ministro foi à Colômbia vender as maravilhas de Portugal, essa porta aberta para a Europa, talvez para a droga que, ao que consta, é um produto que na Colômbia há em abundância. Custou-me ouvir, envergonhou-me, a sua exortação para que os colombianos venham para Portugal, talvez o vício de andar de feira em feira o leve a andar de país em país a vender o cartel lusitano. Num tom digno do melhor vendedor de banha-da-cobra, disse qualquer coisa como isto (e passo a caricaturar em mau espanhol que não tenho, para as línguas, o talento de um PP): "Y se usted invierte más dinero en Portugal, se crea empleo a por lo menos 30 personas, entonces no tendrá solamente un hermoso visto de residencia, le daremos también, de regalo, la nacionalidad portuguesa. Usted será, por derecho própio, ciudadano de la Unión Europea, su drogita entrará con más facilidad en Francia, Holanda, Alemania. Compre, compre, está baratito, muy baratito!"

Portugal não tem dinheiro. E os seus governantes não têm a noção da dignidade. Nem do ridículo.

Oiça-o, ao PP, na sua acção de Publicidade e Propaganda:
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=564870&tm=9&layout=123&visual=61

dor em tempos de cólera


amor em tempos de cólera


cabeças de cartaz

Mas nunca a prémio.


juntemo-nos aos epítetos do capitão haddock!


escondam as pratas, vêm aí os cómicos!


Reza a lenda, e só a lenda, que era este o grito de alerta com que, na província, se acolhiam os actores em tournée. Grito injusto, esse. Mas não será exagerado usá-lo com o (des)governo que nos coube em sorte. Escondam as carteiras e as pratas, se ainda as tiverem. É que Gaspar anda por aí. O grande carola das finanças, que veio lá de fora (sim, ele também, não foi só o pastel da Economia) para nos salvar, está a derrapar com os números, parece que não vai conseguir alcançar as metas exigidas pelos seus amos e senhores da troika.

Portanto, oh amigos meus!, escondam as pratas, guardem o vosso rico dinheirinho, comecem a botar mais contas à vida. Passos negou. "É muito cedo para se falar em novas medidas de austeridade". Mas toda a gente sabe, e se não sabe é porque ou é atoleimada ou não quer saber, Passos diz e desdiz,  mente e desmente-se com a mesma facilidade com que os cães e cadelas copulam em plena rua, abençoados sejam.

Esperem pela pancada. Mais esta. Passos, Gaspar e o pastelão aceleraram a queda do País. Foram avisados de que tanta medida de austeridade nos ia conduzir ao desastre. Mas eles insistiram, orgulhosamente sós. Nós não somos a Grécia. Diziam. Nós temos um povo cheio de paciência, coitadinho. Suspiravam. Vamos cumprir. Não precisamos nem de mais tempo nem de mais dinheiro. Prometiam.

Talvez não precisem de mais dinheiro ... da troika. Se os portugueses não esconderem as pratas, as que lhes restam e é se lhes restam algumas, será com essas que eles vão cumprir. Vai uma aposta?

passos e relvas, a parceria que vem de longe, de muito longe, o que ela "negociou" para aqui chegar ...

o cherne da merkel

Não era de se esperar melhor da apechungada criatura, pois não?

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

22/06/12

a grécia ganhou à alemanha, se não acredita veja aqui

ao menino e ao borracho

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

pequena vingança

Gostava que, no Alemanha-Grécia, ganhasse a Grécia. Claro!



Imagem: http://cartunesebonecos.blogspot.pt/

à conta


Miguel Relvas, Luís Montenegro, José Luís Arnaut e mulher, Marques Mendes, Rui Oliveira e Costa e outros figurões menos conhecidos no mercado da política, quase todos do PSD e um ou outro do PS, foram à Polónia a convite da FPF. Percebe-se. Estamos em tempos de vender o país a retalho e a patacos. No intervalo do jogo, há sempre um polaco ou outro a quem se pode vender o estádio do Jamor ou até a ponte 25 de Abril, um excelente local para a prática de parapente e suicídios. Foram à Polónia em missão patriótica. Pelo menos, terão cantado e hino.

e se os portugueses reagissem assim cada vez que lhes vão à carteira?

Desemprego, cortes salariais, aumentos, impostos maiores, feriados para o galheiro, despedimentos facilitados, nada disso importa aos portugueses ante um Ronaldo e um golo. Isso sim, é um caso de vida ou de morte.

Imagem: http://www.facebook.com/Reuters

bravo, portugal!


não desviemos a cara para o lado ...

17 dos 23 acusados no caso BPN foram condenados. Quem? A quê? Não se sabe. E quem são os 6 que foram ilibados? E só houve 17 criminosos na maior fraude bancária de todos os tempos em Portugal? Onde estão os outros?


e não se pode exterminá-los?

Por Manuel António Pina
http://www.jn.pt

A montanha de audições dedicada pela ERC a averiguar o caso das "alegadas pressões ilícitas" do ministro Miguel Relvas sobre o "Público" pariu, como não poderia deixar de ter parido, um tíbio rato: o anúncio de que a ERC formou a convicção de que não formou convicção alguma acerca das tais "pressões ilícitas" e não as deu como "provadas".

Formou, contudo, a convicção de que a actuação do ministro "poderá ser objecto de um juízo negativo no plano ético e institucional". Mas, antecipando-se a interpretações maldosas, rapidamente se pôs de fora, como também não poderia deixar de se pôr: "não [cabe] à ERC pronunciar-se sobre tal juízo".

O actual Conselho Regulador da ERC é constituído por membros indicados pelo PSD (três) e pelo PS (dois). E, mais significativo do que as convicções que formou ou não formou ou do teor da deliberação que aprovou é o facto de essa deliberação ter tido votos a favor dos membros indicados pelo PSD e contra dos indicados pelo PS. O previsível, num caso envolvendo um ministro do PSD. E que tutela... a ERC.

A partidarização de organismos como a ERC ou o Tribunal Constitucional retira-lhes qualquer credibilidade e fere de morte a independência com que deveriam exercer as suas funções, tornando-os inúteis. Perguntarão justificadamente os contribuintes: "E não se pode exterminá-los? Não. Porque quem poderia exterminá-los seriam o PSD e o PS.

FMI – organização assassina, terrorista, fascista e xenófoba



Não são apenas as indemnizações por despedimentos lícitos que devem ser reduzidas. Num relatório publicado no início desta semana, o Fundo Monetário Internacional (FMI) pede um corte no custo que as empresas suportam pelos despedimentos considerados inválidos pelos tribunais e também aqueles que tenham por base motivos políticos ou étnicos.

Já se sabia que nos países onde o FMI intervém a esperança de vida das populações diminui e que por isso se pode considerar uma Organização que atenta contra a vida de inocentes e terrorista. Agora ficámos a saber que para além de terrorista também é fascista e xenófoba. Quando defende a facilitação dos despedimentos por razões políticas ou étnicas está a defender que qualquer pessoa possa ser descriminada pelas suas ideias ou simplesmente por ter uma cor ou feições diferentes. Isto é fascismo e isto é racismo puro e simples. Puta que os pariu.

21/06/12

robalos e tubarões


Luís Montenegro, aquele marmanjo que alcandoraram a líder parlamentar do PSD, eles lá sabem porquê, aventou hoje a possibilidade de se extinguir o Tribunal Constitucional. Porque não? O PSD e o seu conversado CDS, mais o PS, amante baratucha que se usa quando se quer mas não tem o direito de desdizer o seu amo e senhor, têm violado ou ajudado a violar a Constituição nos últimos tempos, perante o apoio do presidente da República, o grande Aníbal, e o beneplácito do Tribunal Constitucional. Sendo a Constituição letra morta e o Tribunal jazigo de mortos, se não é parece-o, poupemos ao erário público alguma bagalhoça e, sim, extinga-se. Toda a gente sabe que temos demasiado Estado, demasiados gastos com a saúde, cultura e educação, demasiadas regras, demasiados entraves ao empreendedorismo e ao investimento, desde as leis laborais até à Constituição. O dinheiro deve ser canalizado para outros fins mais importantes, dos automóveis dos ministros às negociatas e trafulhices com que políticos e ex-políticos se enchem. Do que Portugal precisa é de mais casos BPN, mais PPP's, mais submarinos, mais robalos no porta-bagagens. E tubarões à solta.

o rio continua lindo!

O Brasil também está nas ruas. Esta manifestação foi no Rio mas a maior de todas está a ser preparada para  7 de Setembro, o Dia do Basta!

Saiba mais em:
http://www.facebook.com/diadobasta

evangelização corpo a corpo? valha-nos deus!


Costumo dizer, parafraseando uma amiga querida, "que desde que vi um mágico no coliseu a tirar pássaros do rabo, já nada me admira". Eu achava que sim. Mas eis que, de quando em vez, vem a lume uma notícia capaz de ultrapassar, em excesso de velocidade, a imaginação mais fértil. A Igreja decidiu instituir aquilo a que chama Cristoteca, uma discoteca para jovens cristãos.

Se não acredita em mim, se acha que é peta de pedreiro-livre, pode ler tudo sobre a Cristoteca no site da Agência Ecclesia, Agência de Notícias da Igreja Católica em Portugal. Não lhe quero estragar a surpresa mas, para lhe espevitar a curiosidade, deixo-lhe aqui alguns trechos da notícia:

"Proporcionar aos jovens uma "diversão santa" durante a noite é o objectivo da «Cristoteca», espaço de dança que não esquece a oração e a evangelização."

"(...) a que se vai realizar no próximo dia 18 de Julho, em Fátima, começará com a missa, às 20h00. A pista de dança, que abrirá uma hora mais tarde, será servida por «Cristodrinks», bebidas sem álcool."

"Durante a noite, far-se-á a «evangelização corpo a corpo»."


Olá! Evangelização corpo a corpo? Acho que me vou converter.

ah ganda tony!

A Sábado pespegou online uma reportagem fotográfica da vida de Tony Carreira. Eis um dos retalhos da vida de um médico das almas, pelo menos no dizer da minha tia Genoveva, coitadinha, que além do mais é mouca.




violador à solta


no 1º aniversário do governo, é preciso relembrar as palavras com que foi eleito

é uma boa ideia mas não a bufem ao macedo que ele pode gamá-la

a net é um perigo, que o digam os miguéis, o relvas e o macedo

Tenho-me interrogado, ultimamente, como é que o ministro plenipotenciário Relvas ainda não iniciou o processo de censura aos cibernautas que andam por aí, pela net, a espalhar veneno contra o governo e, em especial, contra a sua magnificente pessoa. Como é que é isto possível? Como é que não se bloqueiam posts, se fecham blogues, se encerram contas do facebook, twitter e quejandos? O Miguel está-me a desiludir. Já não há censores como antigamente. Ai não, não há. Acho que devia pedir ajuda ao outro Miguel, o Macedo. Esse deve saber da poda. Tem cara disso.


ovos & estatísticas


Por Manuel António Pina
http://www.jn.pt

Em países como Portugal, onde o fosso entre ricos e pobres é cada vez maior, as estatísticas trazem sempre boas notícias. Assim, os portugueses ficaram ontem a saber pelo INE que vivem num país onde o rendimento médio líquido (líquido!) das famílias é de 1984 euros por mês.

Muitos hão-de estar a matutar sobre quem lhes ficou com o que falta aos 1984 euros líquidos mensais que a sua família terá recebido entre Março de 2010 e Março de 2011, e esse é o lado bom das estatísticas: dão que pensar. É conhecido o dito segundo o qual, se alguém comeu dois ovos e outrem não comeu nenhum, para as estatísticas comeram ambos um. Infelizmente, a maioria dos portugueses apenas tem hoje para comer os ovos estatísticos de que se alimentam os discursos políticos, que passam quase sempre ao largo do facto de, por cada família a auferir, por exemplo, 19 840 euros mensais (já nem falo das que auferem 198 400), ter que haver dez outras a sobreviver com 198,4.

Os números do INE dão também uma ideia do que é a evasão fiscal entre nós: em 2009, enquanto os trabalhadores por conta de outrem ganharam em média 11 378 euros anuais, os profissionais liberais ganharam... 1593 (isto é, 132 miseráveis euros por mês). O meu coração sangra de comiseração: como é que os médicos, advogados, economistas, engenheiros, etc., que trabalham por conta própria conseguem pagar as rendas dos consultórios?

a imperatriz da europa


Devia já ser, desde há muito, uma carta fora do baralho, e olhem que esta é palavra que rima com outra do mais puro vernáculo português que apetecia usar para a mandar para lá, para isso. A dama de copas ordena, critica, interfere, enquanto a Alemanha arrecada lucros com a crise montada pelos mercados para benefício de uns quantos, tão poucos. De ingerência em ingerência, Merkel vai conquistando terreno, na Irlanda, na Grécia, em Portugal, Espanha, Itália. O mapa da Europa molda-se-lhe aos caprichos, aos interesses. Políticos fracos vergam-se e ajoelham-se-lhe aos pés. O sofrimento de milhões de pessoas por essa Europa fora, que perdem empregos, casas, vidas, são danos colaterais. O que importa é fazer o que Hitler não conseguiu: ganhar a guerra. Ter a Europa subjugada a seus pés.

Deixámos de precisar de presidente da República e de primeiro-ministro. Basta nomear um governador para a região lusitana. Sai mais barato e, sabendo que o povo português não está, nunca esteve preparado para a democracia, será mais eficaz também. De chicote na mão, prosseguindo a tradição dos melhores negreiros, flagelará os preguiçosos do Sul. Ganham demais, descansam demais, comem demais, bebem demais e nem sequer é cerveja, mas vinho. A legião de escravos cresce a cada dia que passa. Ao serviço de sua majestade.

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

20/06/12

já tinha dito que ia, não tinha?


1 morto, milhões de feridos

tempo bem empregado

obrigado, crise, muito obrigado


Donald Trump, membro da trampa criminosa que comanda os destinos do mundo, diz que esta é a altura para os investidores "se aproveitarem" de Espanha. Está explicada a razão da crise, como se nós não a conhecêssemos há um ror de tempo. 

A notícia vem toda aqui:
http://www.publico.es/dinero/437655/trump-es-el-momento-de-aprovecharse-de-espana

de pau carunchoso

Estava de prever. Relvas deverá ser ilibado, por parte do ERC, das acusações que lhe foram feitas por várias entidades e órgãos internos do jornal Público. E todos estes zunzuns à volta dele e das secretas ficará, igualmente, em águas de bacalhau. A indignação ficar-se-á por uns vitupérios nas redes sociais e pouco mais. Os grandes, por mais culpados que sejam, ficam impunes. Os outros vão presos. Por roubar um papo-seco para matar a fome. Porque é um perigo abrir precedentes, perdoar, outros seguiriam o exemplo e tornar-nos-íamos num país de ladrões. É melhor que sejamos todos anjinhos, cada um à sua maneira. Os que escapam incólumes à prática de toda e qualquer patifaria e os que perdoam, ignoram ou até apoiam. Porque, e só para mencionar uma parte deles, há os anjinhos corruptos, olá se os há, mas fazem alguma coisa, têm obra feita, são empreendedores e há quem goste de empreendedorismo. É uma oportunidade. E, como toda a gente sabe, a ocasião faz o ladrão.

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com/

oh cadilhe, não nos quilhe!


Foi Ministro das Finanças do grande Cavaco. Depois disso, tem ganho a vidinha por bancos, entre outros cargos de elevadíssimo empreendedorismo e paga régia. Será, assim sendo, homem de alguma sagacidade. No entanto, penso eu, leigo que sou na matéria, esta ideia de se taxar em 4% todos os depósitos bancários não é um convite ao levantamento em massa da massa toda e, ala que se faz tarde, transferi-la para paraísos fiscais? Isto quem pode e sabe, como é óbvio, porque aqueles que têm amealhadas nos bancos as poupanças de toda uma vida para fazer face à reforma e às pensões de miséria, esses, não têm expediente para tal. Seriam esses e não os ricos, mais uma vez e para não variar, os mais sacrificados.

Cadilhe, que foi ministro e banqueiro, quer ver de vez a banca na bancarrota? Será esta a medida que Portugal precisa para apressar o seu fim? Nada tenho contra taxar as grandes fortunas. Não me entendam mal. Mas com inteligência. Coisa que, ou me engano muito, ou Cadilhe não tem. A não ser que o seu objectivo seja outro, menos óbvio aos olhos de um vulgar mortal. Mas qual?

passos atrás

O governo fez um ano. E comemorou-o. Com muitos auto-elogios, discursos de pompa e circunstância e Passos sempre, sempre atrás do andor do deus dinheiro, numa procissão onde os mercados foram os santos, Merkel a sacerdotisa, Passos o apóstolo. E, com Passos, os portugueses deram passos atrás. Agora, andam atrás de empregos que não aparecem, de ordenados que minguam a olhos vistos, de tectos que não podem pagar, da sobrevivência que lhes custa a vida. Passos assim quis. Passos atrás em troca de amanhãs que não chegam. Que nunca virão. Passos quer. Passos tem.

lições gregas

Por Baptista Bastos
http://www.dn.pt

A designada crise grega não ficou solucionada com a vitória da Nova Democracia. É uma vitória de Pirro que, afinal, põe de novo em causa a natureza do capitalismo, e as características das "democracias" que se obstinam em o defender, mesmo através do rasto de miséria, infortúnio e morte que atrás de si deixa. Titula o Público: "Grécia elege partido que mais garante a permanência no euro." Não será bem assim. Aquele povo foi submetido a uma pressão chantagista sem precedentes. Incutiu-se a asfixia imoral da não alternativa e o fantasma do caos iminente. Os dirigentes políticos da direita europeia inscreveram o medo na estratégia de coacção sobre os gregos. Até o Financial Times perdeu completamente a vergonha e, na edição alemã, publicou um editorial em grego, incitando o voto na Nova Democracia, como garante da sobrevivência do país.

A Nova Democracia (partido "irmão" do PSD) é responsável, com o socialista PASOK, pela baderna instalada na Grécia. Aqueles partidos (tal como os de cá) defendem os mesmos postulados, pertencem às mesmas oligarquias corruptas, partilham o poder sem nunca questionar o sistema que cegamente defendem, porque o sistema os resguarda e sustenta.

Evidentemente, as coisas vão-se tornando intoleráveis. A desconstrução do discurso político necessita de ser feita pela raiz, e a tagarelice de economistas, por inútil e prejudicial, está a ser sovada. O caso grego permite, também, motivos de reflexão sobre o sentido de renovação estrutural. O Syriza e o que comporta de ascensão de outras hipóteses merecem uma atenção muito maior do que a momentânea. Aquela coligação, ao dizer que o capitalismo é irracional na essência e devastador no que procede, despertou as consciências de muita gente.

Não se trata de um epifenómeno, mas, creio, de um movimento incitando a escapar ao prisma deformador que apresenta o mundo como exclusivamente económico. Classificando-se como segundo partido grego, depois de enfrentar ameaças e anátemas de todo o jaez e estilo, o Syriza abre novas perspectivas ao equilíbrio social, cultural e político, reabilitando os grandes valores da esquerda.

Uma nova esquerda ou uma outra leitura da esquerda? Pode ser uma e outra. A verdade é que o Syriza disse que, num tempo de mercado unificado e de interesses vários e sórdidos, recuperar e regenerar a utopia pode comportar a realidade do mundo. Porque todas as possibilidades de mudança, todas as formas de justiça e de felicidade estão ao nosso alcance. Ou seja: a história pensada a partir da política, o que estimula a agir segundo princípios emancipadores. Um comentador de voz grossa e escrita fininha asseverou, numa tv, que, no caso de o Syriza chegar ao poder, seria o cataclismo. E então, o regresso dos que o causaram? Na Grécia, tudo está em aberto.

seis meses depois

Por Manuel António Pina
http://www.jn.pt

Seis meses depois de lhe ter dado o seu aval, aprovando despedimentos fáceis e baratos, menores indemnizações, subsídios de desemprego mais baixos e durante menos tempo, menor retribuição das horas de trabalho, menos dias de férias, menos feriados, limitação da acção sindical, etc., a UGT parece ter descoberto, agora que o Código dos Despedimentos (é um eufemismo continuar a chamar-lhe Código do Trabalho) foi promulgado, que tudo isso "é ma[u], nomeadamente por pôr em causa o valor dos salários e do trabalho extraordinário".

Entretanto, ficou para as calendas a viril ameaça feita há três meses pela mesma central de denúncia do Acordo de Concertação Social se o Governo, em vez de só se preocupar com "a desregulação laboral e a redução das prestações sociais", não activasse o previsto "Compromisso para a Competitividade, Crescimento e Emprego". Na altura, João Proença lamentava já que o Governo andasse a negociar "medidas no âmbito do memorando da troika que [iam] contra o Acordo".

E, contudo, João Proença não pode queixar-se de ter sido enganado. Passos Coelho avisara: "Temos que dar um passo atrás para dar dois à frente". O passo atrás oferecido a Proença em troca do seu acordo a 200 passos em frente no sentido da desregulação laboral foi ceder na meia hora de trabalho diário. O que, decerto por acaso, era uma exigência do patronato.

19/06/12

o mundo está perdido


Ao contrário do que se propagandeou, o Syriza nunca disse que queria sair do euro, mas sim renegociar o acordo com a troika. Não obteve o primeiro lugar nas eleições gregas. Ganharam a chantagem e a mentira. No entanto, que anunciam os partidos agora em conversações para formar novo governo? Que querem renegociar o acordo com a troika. Nem mais.

Hoje também, o governo dos Estados Unidos veio afirmar que o acordo grego tem que ser renegociado.

Conclusão, minha e enviesada: o Tea Party tem razão. Obama é um perigoso esquerdista. Como o são, na Grécia, os partidários da Nova Democracia.

O mundo está perdido.

o reviralho do reviralho é uma coisa do ca ... mandro


Sou um leitor, apressado mas ainda assim leitor, das coisas que se escrevem em blogues, redes sociais e jornais online. Comentários, opiniões, insultos, veneno a espreitar por entre cada palavra. Ainda agora estive a ler, no Expresso, alguns comentários à última crónica do Daniel Oliveira. E desgosta-me ver quanta gente ainda acha que este é o caminho, Passos é deus na Terra ou pelo menos seu representante (qual Papa, qual carapuça!) e esses energúmenos do reviralho, comunistas, comunistas disfarçados, anarquistas, vândalos, drogados, que se ponham a pau, recolham à barraca, rebentem.

Isto, num dia que espero não venha longe, conhecerá um novo Abril. O governo cairá, será excomungado. E essa gente virará reviralho, jurará que sempre esteve contra Passos, sempre foi pelo povo, coitadinhos, tão engraçados, levaram porrada e foram gamados.

Já aconteceu em 74. Acontecerá outra vez.

Ilustração de João Abel Manta

os órfãos do estado novo estão cada vez mais assanhados


Hoje chamaram-me comunista disfarçado. Achei graça. E não ofende. Porque chamar comunista a alguém não é ofensa. Sim, sou comunista, como sou bloquista, como sou do MRPP ou outro qualquer. Sou pelos que querem um mundo melhor. Nem sempre estou de acordo com uns e com outros, é certo. Mas estou solidário com todos eles, tal como sei que estão solidários comigo. E faz-me espécie que se use a expressão "comunista disfarçado", como se os comunistas já precisassem de se disfarçar. Estão aqui estão na clandestinidade. Outra vez.


já lhe disse onde vou estar a 30 de junho?

Mexa-se. Salte do sofá. Lute por empregos e ordenados decentes. Pela dignidade humana.


o negócio das reformas

Por Manuel António Pina
http://www.jn.pt

A ideia já foi lançada, e não por acaso pelo presidente executivo da AIG, um dos impérios financeiros que esteve na origem da actual crise: os governos devem, montando as costas largas da crise financeira, aumentar a idade da reforma "para os 70, 80 anos". Os cidadãos europeus que se vão, pois, habituando à estimulante ideia de entregar durante 50 ou 60 anos parte dos seus salários ao Estado ou a um grupo financeiro - até onde continuar a ser possível discernir uma coisa da outra - e só começar a receber de volta, em suaves prestações mensais, o resultado desse investimento mediante apresentação da certidão de óbito.

Para o CEO da AIG, o céu é o limite. Tomando como exemplo a Grécia, recomenda uma nova receita austeritária: pôr "as pessoas a trabalhar mais tempo e [retirar] essa carga aos jovens" ("carga" há muito retirada pelo programa da troika: o desemprego jovem na Grécia já é superior a 50%).

Mas a Grécia é, de facto, um bom exemplo. Os gregos têm, conforme dados citados pela "Dinheiro vivo", uma esperança média de vida de 81,3 anos. Reformando-se aos 80, o Estado e as seguradoras a quem terão confiado, durante décadas de vida e de trabalho, os seus descontos, só lhes pagariam, em média, um ano e quatro meses de pensões.

Imagine-se quantas pagariam em Portugal, onde a esperança média de vida é, segundo os últimos números do INE, de 79 anos.

a feiura da criatura


É feio. Por dentro, quero eu dizer, que por fora tanto se me dá como se me deu, também a madre Teresa, a de Calcutá, era feia como a noite dos trovões e, dizem embora eu não acredite, era de uma beleza celestial lá pelas zonas viscerais, onde a alma se mistura com o entulho do bandulho. Paulo Macedo é um homem feio. Veio com uma missão muito precisa, enfraquecer o sector público da saúde em favor dos Mellos, Espíritos Santos e outros que, veja-se como nada mudou, já eram os donos de Portugal antes de Abril. António Arnault fez e Macedo desfez. Se o deixarmos, continuará a desfazer até não deixar pedra sobre pedra, mas antes um amontoado de doentes ainda mais doentes ou mortos, que para ele é-lhe igual ao litro. Espanta-me (no sentido espanhol, ou seja, aterroriza-me) que Macedo, o feio, ainda ande por cá sem uma convulsão social de monta. É que, porra, ele está a tratar-nos da saúde e, diz o povo que nestas coisas sabe da poda como ninguém, a saúde é o nosso bem mais precioso, mais do que o dinheiro. E, meus amigos, o problema não é a falta dele, do dinheiro. O problema é que os Mellos, os Espíritos Santos e quejandos ainda não estão a ganhar todo o dinheiro que deviam ganhar à nossa custa. Há que ajudá-los. Sejamos esmoleres. E Macedo o nosso Papa.

se a china é comunista, eu sou o gungunhana


"A Chinese Foreign Ministry spokesman says Beijing is hopeful Sunday's election in Greece can help stabilize the economic situation in the European Union. Hong Lei told reporters Monday that China welcomed the results, which pave the way for the formation of a pro-austerity government, and hopes it will bode well for the 17 nations sharing the euro currency."


A notícia acima, da CBS, dá-nos conta da alegria da China pela vitória da pró-austeridade na Grécia. A gente já sabia. Quem mantém uma grande parte da sua população na escravatura, para melhor engordar uns quantos senhores do partido, pode ser tudo o que quiserem: trapaceiros, ladrões, esclavagistas, assassinos, filhos da puta. Tudo menos comunistas.

o salvador da pátria


Passos Coelho diz que, após um ano de governação, Portugal deixou de ser notícia pela degradação económica. Tem toda a razão. É pela degradação económica, degradação social, degradação política, degradação judicial, degradação policial, degradação moral. E vai piorar. Mas, na imprensa alemã, pelo menos nessa, será um exemplo de obediência, de subserviência, de conquista imperial bem sucedida. O Salvador não salvou nada. Brinca a fazer de Salazar. Pode ser que tenha azar.

18/06/12

vamos comê-los todos!


Nos tempos da Roma Antiga, quem queria ver o povoléu entretido e feliz era dar-lhe circo, feras e sangue, muito sangue. Hoje, não é preciso chegar a tanto. Diz-se, e eu não tenho razões para duvidar, que estamos mais civilizados. Em vez de leões,é levar para a arena um Ronaldo, um Pepe, um Nani, um Coentrão, e deixá-los devorar os bárbaros, os loucos louros do Norte que sonharam levar-nos a melhor. Somos os maiores. Ronaldo é o nosso Spartacus. E Gradus Lepus o nosso imperador, o que incendeia o país para seu próprio deleite. A quem agradecemos o circo, mas nunca o pão. De quem não chega o sinal de misericórdia.

crise? que é isso?


rescaldo eleitoral

A Nova Democracia ganhou na Grécia. Apesar dos suicídios, do desemprego galopante, da miséria crescente, por ignorância, preconceito, medo, desinformação, intoxicação, seja lá pelo que for, os gregos preferiram jogar pelo seguro, votando maioritariamente no partido que lhes garante obediência canina à troika e mais suicídios, mais desemprego, mais miséria. Não posso desabafar que "é lá como eles", porque a não-vitória do Syriza é um derrota também para Portugal, para Espanha, para Itália. Por outro lado, em França, o Partido Socialista conquistou a maioria absoluta. O Partido Socialista não é, nem de perto nem de longe, o meu modelo político. Mas, nesta altura do campeonato, em que se disputa o nosso futuro, a nossa sobrevivência, é melhor do que nada. Enfim, os mercados acalmarão, porque do PS francês não virá grande perigo para o capitalismo de casino e porque a direita ganhou na Grécia. Mas, claro, continuarão a não dar tréguas. Eles querem mais. Querem tudo. A nossa bolsa. A nossa vida.

sinais exteriores de pobreza


Vai uma aposta em como vamos começar a ver carripanas como esta pelas estradas nacionais? É que o português é esperto, desenrascado como poucos. Desde que se soube que as Finanças iam andar em conluio com a GNR para apanhar, em operações de auto-stop, quem deve e quem foge ao fisco, a corrida à compra destes belíssimos disfarces não pára de aumentar. Os Mercedes, os BMW, os Ferraris, esses, repousam nas garagens. À espera de melhores dias. Como todos nós.

17/06/12

política para totós

O PS, que me desculpem os socialistas sinceros, que os há, tem desempenhado um péssimo papel no Portugal democrático. Tem méritos - como a implementação do Serviço Nacional de Saúde, por exemplo, mas, lá está, quem a dirigiu foi um socialista verdadeiro, António Arnault - mas instalou uma praga de parasitas no Estado e promoveu tanta negociata obscura que os seus louros feneceram rapidamente. 

E, agora, o PS tem um totó a liderá-lo. Não consigo ouvir uma alocução do Totó Seguro sem me rir, sem me irritar, sem me enojar, tudo isto por atacado. O seu discurso pretensamente didáctico, moralista, pobremente demagogo, o seu ar de sacristão arrependido, nada se aproveita num homem que está muito longe de poder ser líder de um partido, seja ele qual for. 

E como reagiu o Totó à moção de censura ao Governo por parte do PCP? Diz que este não é o tempo para jogos partidários.

Que criatura tão patética. Pateta. De quem ele gosta mesmo, quem ele quer namorar, é o Coelho. Estão bem um para o outro. Por mim, a moção vai para os dois.

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.blogspot.pt/

laranja amarga

A imagem é do HenriCartoon e refere-se ao jogo Portugal/Holanda. Eu prefiro aplicar o boneco a outras laranjas, as que nos andam a espremer. Essas, convém esmagá-las, deixá-las sem sumo nem viço, atirá-las para o caixote do lixo da História. Porque são azedas. Porque não prestam.

Imagem: http://henricartoon.blogs.sapo.pt/

deixemos o medo do vermelho para os animais com cornos

Frase linda, que encontrei aqui:  http://reviralhos.blogspot.pt/

eu cliquei em "gosto" na página de alexis tsipras


Era giro que toda a gente fizesse o mesmo. Mesmo quem não tenha total afinidade política com Alexis. Porque as alternativas são piores.

http://www.facebook.com/pages/Alexis-Tsipras/12224403053

a tua fronha não me é estranha



O Prof. Chibanga e António Borges são uma e a mesma pessoa?

a cidade de deus

Imagem: http://www.cartoonmovement.com

a explicação dos pássaros