10/04/15

alguém me diz?


Estou numa angústia, hoje ainda não ouvi notícias. Alguém me sabe dizer qual tem sido o prato do dia, que demagogias, que mentiras, que delírios se derramaram pelas bocas dos nossos ilustres algozes?

Agradecido.

em nome de um deus qualquer

Quénia, Abril de 2015.


em tempos de escravidão

Passos Coelho diz que os custos do trabalho, em Portugal, estão ainda demasiado altos. Vejamos: os portugueses pagam mais IRS; muitos, em especial os funcionários públicos, viram os seus ordenados reduzidos; os restantes, a maior parte, não vê um aumento do seu salário há anos, nem mesmo para acompanhar a inflação. Os jovens recém-licenciados, se querem trabalhar, ou emigram ou aceitam salários de 600 ou 700 euros. Os trabalhadores precários pagam impostos altíssimos, ganham mal e não sabem que futuro planear, podem ficar sem emprego de um dia para o outro. Cortaram-se feriados. Aumentou-se o horário de trabalho. Liberalizaram-se os despedimentos para que outros venham receber metade no desempenho das mesmas funções dos que saem. Os desempregados recebem um subsídio de miséria, são tratados como párias - quase meliantes - e mandados para cursos de formação de valor nulo ou trabalhar em repartições com paga vergonhosa.

Mas não chega. Esta contra-revolução, perpetrada perante todos nós e com o nosso beneplácito, não é suficiente. Passos Coelho não está satisfeito. Quer mais. Quer-nos a pão e água. Piegas e madraços, é o que merecemos.

09/04/15

a guerra dos rosas


Os do PS andam num frenesi, num reboliço, numa pré-peixeirada, é vê-los de entrevista em entrevista, de artigo em artigo, de intervenção em intervenção. É que pode ser o  Gama, pode ser o Guterres, até pode ser a Maria de Belém - calharia tão bem em Belém! -, mas o Nóvoa não, é demasiado radical e os rapazes, os Lellos, os Assis, os Vitais Moreiras, os encostados, os entachados, os encarreirados, os enconados não gostam nada, mesmo nada de tudo o que cheire a esquerda à esquerda do PS, valha-nos Nossa Senhora de Fátima que Mário Soares perdeu a cabeça, não atina, no melhor pano cai o Nóvoa e a névoa do fundador deve ser fruto da idade madura, é a segunda meninice, é a fase das generosidades, das utopias, dos sonhos de melhor mundo, credo!, os encostados, os entachados, os encarreirados, os enconados preferem Santana, preferem Rio, preferem Marcelo, preferem César das Neves a Sampaio, não o outro que já foi presidente mas este que quer ser presidente, ninguém sabe quem ele é, não se lhe conhece  nem pensamento nem obra, mas os feitos de um Gama, de um Guterres, de uma Maria de Belém - ai que bem ficaria Belém com Belém toda para ela! - esses sim, têm arrotado postas de pescada, defecado sentenças, foram deputados, foram ministros, foram presidentes do parlamento, foram gente que se veja.

Enfim: obraram!

será que deus vai passar a cobrar IMI?

E não se pode ilegalizar esta seita de malfeitores multimilionários? Agora deu-lhes para vender terrenos no céu. Até onde vai à lata desta gente, a avidez, o aproveitamento da crendice alheia? Arre! É demais! Não compreendo como é que as autoridades portuguesas ainda permitem que esta escória de trapaceiros continue a operar impune e, eis aqui um tema caro a Pedro e Maria Luís, sem passar recibo das suas "vendas" e sem pagar impostos. Deles não será, pela certa, o reino dos céus.

08/04/15

god bless america?

O sonho virou pesadelo para largos milhões de americanos, ao mesmo tempo que os bilionários aumentam as suas fortunas para valores absolutamente pornográficos. E deus, esquecido de Gomorra, nada faz, não pune uns, não salva outros.

07/04/15

portugal é lindo, portugal é lindo, venham ver fregueses!

Pedro, Paulo e Maria Luís já estão a montar banca pelas feiras do País. Apregoam o produto como se fosse de qualidade. Dívidas são cofres cheios, um país nas lonas é dos mais competitivos do mundo, se calhar até há a possibilidade de se reduzirem impostos já este ano, as finanças públicas estão equilibradas, as exportações aumentam, o desemprego diminui, um mar de rosas afinal.

Onde será a próxima sessão de banha-da-cobra? Quem promete? Quem mente? 

E quantos de nós nos iremos deixar fascinar pela propaganda, pelo canto da sereia, pela maçã envenenada da bruxa má?

06/04/15

quem trava esta gente?

Para este governo não há limites. Limites para a desvergonha. A desfaçatez. A ilegitimidade. A imoralidade. 

Apesar de jurarem a pés juntos que o que querem é um Serviço Nacional de Saúde mais forte e mais sustentável, a gente vê, lê, entende o que se passa, que a finalidade última da acção governamental, antes de serem corridos por triste e má figura, é deixar aos privados a parte lucrativa da Saúde e para o Estado os prejuízos podendo assim sustentar, cada vez mais, a sua querida teoria de que as entidades públicas não sabem gerir, que os portugueses andam a malbaratar os seus impostos com essa gente calaceira e sem tino (por acaso todos eles indicados, em regime de alterne, pelos partidos que costumam "ir ao pote"). 

Ou seja, mais vale pagar os nossos impostos para que o Estado não nos dê nada em troca, nem pensões que se vejam, nem autoestradas que não sejam pagas por nós dezenas de vezes durante anos a fio, nem muito menos a Saúde. Tendencialmente gratuita ao que diz a Constituição mas, para estes senhores, a Constituição é um incunábulo, um calhamaço inútil, uma peça arqueológica a tresandar a mofo tanto mais que eles apostam na modernidade, no progresso, na prosperidade empresarial, nas miraculosas e mirabolantes maravilhas do empreendedorismo, da inovação, do lucro pelo lucro porque para a frente é que é caminho e para trás mija a burra e defecam os burros do reviralho, esses sim os verdadeiros reaccionários, os velhos do Restelo, os detractores de Belém, de São Bento e de todos os santinhos da devoção governamental, os sacrossantos mercados, os benfeitores do capital, os produtores de dinheiro e fabricantes de pobreza.

Querem mais uma prova das reais intenções dos governantes que em má hora nos saíram na rifa? Os hospitais com dívidas vão ser impedidos de pagar salários. A médicos, enfermeiros, pessoal auxiliar e administrativo, a todos. Imagine-se o caos que esta medida traria aos hospitais se alguma vez fosse implementada. Greves. Mais médicos e enfermeiros a emigrar. Mais mortes desnecessárias e, desta feita, não só nas urgências. Querem melhor plano, mais macabro, mais maquiavélico do que este para acabar de vez com o SNS?

Quem trava esta gente? Quem?

05/04/15

a direita é estúpida?

AP
Se a esperteza se mede pela ausência parcial ou total de escrúpulos, a direita será tudo menos estúpida. Já a esquerda, se não é estúpida, parece. Vezes sem conta tenho dito que o tempo não está para contar os soldados de cada quartel, mas sim para os juntar no mesmo combate contra a besta, o fascismo travestido de vampe neoliberal. 

Partidos cada vez mais partidos vão dar em cacos, em nada. E não terão perdão, antes serão castigados. Castigando-nos.