22/11/14

cabrita, coelho e o grande detido do dia


Foi Felícia Cabrita, a ilustre biógrafa de Pedro Passos Coelho e colaboradora de O Sol, a dar em primeiro lugar a notícia da detenção de Sócrates.

E o Correio da Manhã, às tantas da matina, lá estava no aeroporto a filmar a viatura onde Sócrates foi levado para o cadafalso, perdão, calabouço.

As televisões têm estaminé montado à porta de José Sócrates, na Rua Braancamp, e passam com desusado zelo excertos onde António Costa, ou Ferro Rodrigues ou outros não renegam, ao contrário do ideal líder do PS António José Seguro, a chamada herança socrática.

Sócrates está a ser crucificado. E com ele todo o PS, para gáudio e proveito das gentes do PSD.

Já agora, deixem-me acrescentar a estranheza que me causa o facto do caso Casa Pia, que pretendia em grande parte - e, diria até, primordialmente - atingir altas figuras do PS, ter sido "noticiado" também, e em primeira mão como agora, por Felícia Cabrita.

Tudo isto me cheira a cabrada. Sem ofensa para a Felícia, ilustre biógrafa de Pedro Passos Coelho, justiceira implacável, nome maior da imprensa pátria. 

Sem ofensa.

13 comentários:

Paulo Jorge Ramos disse...

Quer dizer que Felícia Cabrita domina uma máfia de juízes anti-PS? É isso?

María disse...

Não me vale o "tu mais" para defender o indefendível.

Anónimo disse...

Como é que os jornalistas souberam que o "Socas" ia ser preso? Fala-se de Justiça...; mas e o segredo de Justiça? Pode-se violar sem impunidade?

Manuel Cruz disse...

Indefendível? Ou indefensável?

Nunca disse que Sócrates é inocente ou culpado. O que disse, e repito, é que é estranho o momento em que a detenção é feita, é estranha a presença do CM no aeroporto, é estranha a própria detenção em pleno aeroporto, é estranho o envolvimento de Felícia Cabrita, noticiando factos que deveriam estar em segredo de justiça. Não sou advogado de defesa de Sócrates, este blogue é disso prova, basta ler posts dos idos de 2010 ou 2011, mas não aceito que ninguém, nem mesmo Sócrates, sirva para se atingirem objectivos inconfessáveis. Basta pensar um pouco. Todos os dados apontam na mesma direcção: fazer esquecer outros escândalos, outros roubos, inclusive ao povo português através do Orçamento de Estado.

Alberto Hagger Gonçalves disse...

Tu deves ter algo a ganhar com a defesa do sócrates, um verme político que denegriu o PS com a máfia apadrinhada pelo mário soares...se fosse um do PSD já não dizias estas coisas...gosto do vosso sentido democrático...seus socialistas ressabiados.

Manuel Cruz disse...

Quem é que disse a este que eu era socialista?!?

Anónimo disse...

Desde há muito que venho acompanhando o seu blog.E parece-me que a sua posição relativamente a Sócrates, quer no passado, quer no presente, tem sido clara e coerente.É pena que alguns não a entendam ou não a queiram entender.

Jacinto Furtado disse...

A malta não quer pensar, querem é casas dos segredos, querem é ser conduzidos como uma cambada de borregos. Não vejo nenhuma defesa a José Sócrates neste texto, acrescento, como escrevi num texto que publiquei ontem, se os crimes pelos quais é indiciado derem 12 anos de prisão espero que seja condenado a 24. Mas não deixa de ser, no mínimo estranha e preocupante a forma como a coisa está a ser feita

My Sweet Rose disse...

" Basta pensar um pouco. Todos os dados apontam na mesma direcção: fazer esquecer outros escândalos, outros roubos, inclusive ao povo português através do Orçamento de Estado." é também a minha opinião !

JPA disse...

Outro defensor do aldrabão.
Esqueceu-se de escrever o que o aldrabão fez à Cabrita no passado, para não falarmos da Moura Guedes.
Mete a viola no saco que os Portugueses deviam aplicar-lhe mais de 1000 anos de cadeia pelo que lhes fez assim como à Nação.

Manuel Cruz disse...

Assim é que se fala, ó JPA! E não faça a coisa por menos, 1000 anos e não se fala mais nisso.

Anónimo disse...

CABALA POLITICA ,ELES ANDAM AÍ ..........A MAFIA DA DIREITA

María disse...

Peço desculpa pelo vocábulo inventado, efeito colateral por viver há 45 anos fora de Portugal...
Aproveito para comentar-lhe, apreciado Manuel, que os inimigos ou contrincantes estão para isso, para denunciar as faltas alheias, e que isso não redime a Sócrates da sua vergonhosa culpa.
Um abraço