06/02/14

carreguemos a cruz rodeados de belzebus

Jerónimo Bosch
Depois de dizer que a questão dos quadros de Miró se tinha transformado numa arma de arremesso político, disse Cavaco que nada dizia sobre o assunto. O negro Montenegro veio acusar a oposição, a propósito, de política baixa, ele que no parlamento é anão. O desemprego baixa, dizem as camarilhas instaladas no poder e na imprensa, não cuidando de nos informar, isso sim, se os trabalhadores no activo têm aumentado ou diminuído, se os que pagam IRS são mais ou são menos, quantos é que são precários, quantos recebem o salário mínimo, quantos emigraram, quantos estão a fazer estágios à borla, quantos desistiram de procurar emprego por já serem "velhos demais". Passos recusa-se a renegociar a dívida, porque o povo ainda não foi suficientemente punido pelos seus desvarios consumistas. Miguel Macedo recusa-se a ceder, aos deputados, o relatório da manifestação dos polícias. Crato diz que Portugal tem uma oposição sindical de natureza soviética. Duarte Lima, presumível assassino de Rosalina, é em Portugal presumível inocente até prova em contrário, prova que nunca virá. Os senhores da Bragaparques, presumíveis corruptores, exigem 350 milhões de euros à Câmara Municipal de Lisboa.

É muita intrujice, muita trafulhice e muita canalhice para um dia só. 

Sem comentários: