21/12/14

a lenda do ratinho à tona


Há um ratinho, de nome Luís, de sobrenomes Marques e Mendes, que adivinha o perigo, salta de todos os navios, e eles são muitos, segundos antes de afundarem. De nada o podem acusar. Está limpo. Ratoneiro, nunca. Ratazana, jamais que nem para isso tem estatura e estatuto. É isto que o ratinho diz na TV, defendendo-se com os dentes e garrinhas que deus ou o diabo lhe deram. O ratinho é inatingível, inimputável, impoluto, tudo menos indefeso. Artolas é o outro, que não se pode defender enquanto ratas e ratões, ratazanas e ratolas fazem aparecer nos jornais e nas televisões todas as acusações, todas as insinuações, ninguém sabe, ninguém pode saber se verdadeiras, se falsas. A justiça deixou de ser cega. Agora é puta, vende-se a qualquer um e barato. A qualquer rato. Seja Mendes. Seja Mentes.

Sem comentários: