cuidado, ratos a bordo!



Honório Novo, ainda em funções no parlamento, interroga neste vídeo o governador do Banco de Portugal sobre a idoneidade dos banqueiros, com Ricardo Salgado especialmente na mira.  Palavras premonitórias. E nem sequer foram precisos quatro anos, como Honório preconiza, para que os portugueses fossem chamados a pagar os desfalques e falcatruas de mais outro banco. Cerca de um ano depois desta intervenção na Assembleia da República, o BES haveria de cair com o estrondo que se continua a ouvir (e a sentir nas nossas carteiras).

A propósito: porque é que só o outro Costa, o Oliveira, foi "apanhado" no caso BPN? Então os demais? Quantos terão rabos de palha e culpas no cartório e continuam a botar faladura pelas televisões, a exercer altos cargos, a serem empresários de sucesso, a esmifrar um país tão pobre para uns, tão rico para outros?

Sócrates está preso. Outros, desconfio que por muito, muitíssimo mais, andam e andarão à solta, a farejar negócios de ocasião, a vender a pátria a retalho.

Mas ninguém, na Justiça, dá por eles. Devem estar escondidos nalgum submarino. De onde só saem à noite como ratazanas a chafurdar no esgoto, a abocanhar o maná.


Comentários

josé neves disse…
"Sócrates está preso. Outros, desconfio que por muito, muitíssimo mais..."

Pois, caro bloguista, agora censure também este comentário como um outro antes deste acerca do fala-barato BB.
Como BB, nas suas fogosas psico-catilinárias sempre e apenas palavrosas e enfatuadas, esta frase acima citada demonstra como o caro, subrepticiamente, atribui culpas de corrupto a Sócrates servindo-se sibilinamente do argumento de que outros o sejam ainda mais.
Ao menos BB era directo e sabe-se há muito qual é o país que lhe prometeram: o de vasco de aço, cunhal de ouro e brejnev de luz do sol.
E, fico-me.
Manuel Cruz disse…
Oh meu caro José Neves, aqui não há censura, todos os comentários são publicados (a menos que os insultos, que também os há, ultrapassem todas as marcas). Não é o seu caso, para que haveria eu de censurá-lo? Só porque se revela palavroso e enfatuado, para utilizar as suas próprias palavras? Um anti-comunista primário como qualquer comunista lhe diria? Quanto a Sócrates, é verdade, não estou certo da sua culpabilidade ou, a existir, que ela justifique a prisão, muito menos a preventiva. Quando digo "por muito, muitíssimo mais" não infiro que Sócrates seja culpado, infiro antes que outros há que mereceriam muito, muitíssimo mais estar na prisão. Simples, mas o meu caro José Neves decidiu aproveitar o aparente "lapso" sibilino para ser verrinoso.
E fico-me.

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!