a precisar de obras, excelente oportunidade de negócio, vende-se portugal


Diz quem sabe - António Costa, o presidente da Câmara aspirante a presidente do PS - que muitos prédios da Baixa lisboeta já estão nas mãos de imobiliárias espanholas. E a imobiliária norte-americana Eastbanc comprou vinte-prédios-vinte no Príncipe Real para os transformar em hotéis e habitação de luxo. O governo, por sua vez, vende as poucas jóias da coroa que ainda nos restam, da EDP à TAP vale tudo desde que valha alguns milhões para os cofres do Estado (para gastar mais tarde em obras de estadão, estádios ou centros culturais, pontes ou rotundas, desfalques ou roubos à fartazana). Portugal está à venda. E os mais poderosos financeiramente são os que mais lucram com a "crise", comprando ao desbarato. 

Os alemães sugeriram aos gregos que vendessem algumas ilhas para pagar as dívidas. Portugal nem disso tem para alienar. O Algarve, o melhor do Algarve, há muito que não é nosso. Lisboa vai pelo mesmo caminho. As empresas públicas são despachadas em regime de saldos, se não mesmo em liquidação total. A Torre de Belém, os Jerónimos, o Castelo de S. Jorge, os Clérigos, as pontes sobre o Douro, só para mencionar alguns trastes que tanto dinheiro custam a manter (e vai-se a ver para nada, são só pedras), ainda podem render uma boa maquia. Quem nos acaba o resto? É barato, é barato! É entrar, fregueses, é entrar! We speak English, on parle français, sprechen Deutsch, hablamos español, يتحدثون العربية, 说中国.

Comentários

Anónimo disse…
Que deixem vender a quem tenha dinheiro para comprar uma lata de tinta para pintar Portugal. E uma vergonha a aparencia dos edificios. Tinta e barata, com os Mojitos a 10 euros e as discotacas cheias, convincao os turistas que os coitadinhos dos Portugueses nao tem dinheiro para ao menos pintar as
casas.

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!