mas este não é um país normal


Em qualquer país normal, tendo em conta as suspeições que associam, justamente ou não, Portas ao caso dos submarinos, já era motivo mais do que suficiente para recusar ser ministro e o impoluto Passos nunca o ter indigitado. Agora, com o estranho caso dos documentos desaparecidos, e sabendo que Portas andou pelo ministério, à sorrelfa, a fotocopiar documentos, justamente ou não, se este fosse um país normal, Portas já teria pedido a demissão. Mas este não é um país normal. Ai não, não é.

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.blogspot.pt/

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!