a caminho de um estado policial



Por Sérgio Lavos
http://arrastao.org/

Depois da actuação criminosa da direcção da polícia na manifestação de 14 de Novembro, que pôs em causa a integridade física de agentes e de manifestantes pacíficos; depois dos procedimentos de cariz fascista após a carga, das detenções indiscriminadas de inocentes, da recusa de acesso a advogados, das agressões dentro de esquadras, do assédio de natureza sexual a mulheres detidas e da tortura psicológica; depois da mentira de Miguel Macedo, da negação de que existiam agentes inflitrados quando a própria polícia o admitiu e de que houve vontade deliberada de protelar a intervenção policial por razões dúbias. Depois deste acumular de indícios, mais um pisar da linha que separa os regimes democráticos dos totalitários: por ordem da tutela, a PSP entrou nas instalações de uma estação de televisão pedindo imagens não editadas dos cidadãos que exerciam o direito à manifestação. Uma sórdida história que, como não poderia deixar de ser, também terá tido o dedo de Miguel Relvas, uma das maiores aberrações da nossa coxa democracia. Até quando poderemos dizer mesmo que ainda vivemos num Estado de direito?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!