fascismo electrónico

Por Fernando Dacosta
http://www.ionline.pt

A perseguição aos idosos pobres continua florescente entre nós. Explorá-los, humilhá-los, tornou-se afã insaciável dos que julgam hoje governar o país.

Última malfeitoria: obrigar os que recebem pensões acima de 293 euros mensais a fazer declarações de IRS – de que estavam dispensados.

Sendo, como se sabe, o preenchimento do seu formulário um mimo de simplicidade e a sua entrega (por internet) um doce, a medida vai tornar-se passatempo de delícias para os velhotes que, como se sabe, são barras em informática.

Desde que os preços dos computadores e das mensalidades da net passaram a ser ninharias em rendimentos como os referidos, os pensionistas portugueses não mais largaram o primeiro lugar do rating europeu de utilizadores de PC, MAC e quejandos.

A decisão é ainda excelente por permitir aos funcionários públicos da área combaterem a pasmaceira em que caíram quando o simplex entrou, pela sua eficácia, de dispensar o dinamismo da máquina do Estado. Complicar tudo sempre foi apanágio das boas administrações.

A bondade da iniciativa é, por outro lado, insuspeita, pois não se destina, desta vez, a sacar dinheiro aos visados, mas a colher informações para combater fugas ao fisco – sendo entre eles que essas fugas maiores valores atingem. A seu lado, a cratera do BPN não passa, com efeito, de covinha de crianças.

Exagerados são assim os que insinuam ser a medida mais uma devassa controleira (não bastavam as pidescas escutas telefónicas?), mais um fascismo electrónico da bela república caseira.

Que valentes democratas tem a nossa democracia!

Fotografia: http://jeffpicard.com

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!