13/04/15

os amores de pedro e augusto

As semelhanças entre as políticas de Pedro Passos Coelho e de Augusto Pinochet são assustadoras, ambas inspiradas pelo pequeno deus do neoliberalismo, Milton Friedman. Sabe-se agora pelo Expresso, mas nada que não tivéssemos já suspeitado, que os salários dos médicos foram os que mais diminuíram na função pública desde que Pedro tomou posse e os polícias os que mais ficaram a lucrar durante a sua governação.

Sabendo-se no que resultaram as medidas de Pinochet, e não falo sequer do assassinato de milhares dos seus opositores mas da sua acção económica a que alguns, com suprema lata, chamam de "milagre económico", há muito que Pedro Passos Coelho deveria ter sido travado. E apeado.

Mas não, Pedro é um homem de sorte. Augusto teve que mandar torturar e matar para subir e se manter no poder. Pedro não precisa, o povo elege-o de livre vontade.

Sem comentários: