propaganda gratuita

O Coelho comporta-se como um cão raivoso. Atira-se ao Costa e à esquerda de Costa como toiro tresmalhado, diz o que lhe vem à cabeça, totalmente desfasado da verdade e da realidade, diz as mentiras do costume mas agora com desusada veemência. É dor de corno. São as ganas de continuar a ir ao pote. As suas clientelas não ficaram satisfeitas, querem mais. Coelho faz o seu papel, de direitinha desvairado, já não me espanta nem me consegue irritar. O que me indigna é a subserviência da comunicação social, que lhe bebe as palavras e as vem despejar em cima de nós, em cada bloco noticioso, de meia em meia hora. É que já nem faço zapping. Desligo. Não consumo. Não me consumo com os dislates de um ser menor. Passos que lhes pague o tempo de antena. Eu deixei de lhes contribuir nas audiências e na receita publicitária.

Comentários

Ainda bem que a comunicação social lhe dá tempo de antena, a esse Pierre Pas Lapin!...

É que as palavras ficam com quem as pronuncia e definem bem o que lhes vai na alma. E agora vemos um Coelho cada vez menos com a sua máscara. Isto é, para quem tem olhos de ver, claro...

Nesta Lusitânia como em todas as outras Invisualândias, quem tem olho é Rei. Nem que seja rei de si mesmo e das suas profundas e justas convicções politico-sociais.

Bem hajas, Manuel Cruz!...
(...e continua a não lhes dar cavaco, mas deixa-os pousar!)
Giuseppe

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

a assunção da canalhice

oxalá me engane!