matou-se

Matou-se. Ia ser despejada da casa onde morava, em Barakaldo, País Basco, Espanha. Tinha 53 anos e é mais uma vítima do neoliberalfascimo. Assim mesmo, faça-se uma nova palavra para a ideologia que mata. A ideologia que está a fazer retroceder a humanidade. A ideologia dos senhores de Wall Street, dos senhores da Goldman Sachs, dos senhores que desmandam na Europa (e não, não falo de Barroso, esse não conta).

Matou-se. Atirou-se de uma janela da casa que ia deixar de ser sua. Estranha coincidência. Da janela já atirámos traidores.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

o grande azar de pedro passos coelho