28/02/15

os portugueses, esses grandes caloteiros!


Estou farto. Farto de um Estado que trata os seus cidadãos como párias, chulos, canalhas da pior espécie. Farto de avisos de pagamento, últimas notificações, penhoras, ameaças, coimas, juros de mora e o raio que os parta. Farto de um país onde os muito ricos roubam sem que nada lhes aconteça e os pouco ou nada abonados são assaltados por organismos, instituições, empresas de serviço público que nos apresentam dívidas sabe-se lá se contraídas, sabe-se lá se já não pagas, nem sempre as provas são fáceis de encontrar e assim vão entrando mais alguns milhões nos depauperados cofres da Nação.

Enquanto isso, veio a lume que Passos Coelho teve até agora uma dívida à Segurança Social. Nunca foi notificado. Nunca foi incomodado. A dívida terá prescrito mas como o Público anda a investigar o caso decidiu, generosamente, pagá-la para calar as más línguas.

Acho que fez mal. Devia ter jurado a pés juntos que nunca tinha trabalhado na vida. Caso raro e nunca visto, não estaria a faltar à verdade. Até porque a função que actualmente exerce, a de verdugo do povo, não é oficialmente reconhecida pelo Fisco e pela Segurança Social. Para efeitos contributivos e outros, ele não existe. Nunca existiu. É apenas uma mancha na História, uma pequena nódoa que o tempo se encarregará de apagar. Nem será preciso benzina.

Sem comentários: