notícias das baldracas

Como é que se chamará um nativo da antiga República Portuguesa, agora República das Baldracas? Baldraquino? Baldraquiano? É nisto que nos tornámos, habitantes de um território de má fama, sem rei nem roque, sem grei nem lei, onde se mente, se engana, se rouba com o despudor e o à-vontade de um reles pilha-galinhas.

Os casos têm-se sucedido a um ritmo alucinante: BPN, submarinos, BES, vistos Gold, Citius, mortes nas urgências, escolas paralisadas, Miguel Relvas, a Tecnoforma e os outros zunzuns que envolvem Passos Coelho, privatizações à Lagardère, atropelos sucessivos à Constituição, lista VIP, tantos, tantos têm sido os despautérios, as tramas, os escândalos, as suspeições, os desmentidos de desmentidos que, às duas por três, já não se sabe quem mente ou quem desmente, e nada acontece a não ser a demissão de uns directores-gerais que, sozinhos, se prestam a subir ao cadafalso.

A ninguém, absolutamente ninguém, se dá voz de prisão. A não ser, corrijo, a Sócrates. Culpado ou inocente, tem sido crucificado na via pública num calvário sem fim à vista. Metade do país está de pé atrás com as razões que terão levado à sua detenção. E, sem que isso pareça escandalizar muita boa gente, vem o Tribunal da Relação confirmar agora as "fortes suspeitas" que recaem sobre Sócrates, apontando "indícios" como se tratando de verdades absolutas, julgando-o antes de ter lugar o julgamento e rematando o acórdão com uma frase que, digo eu que não sou jurista nem sei nada de leis, me parece a todos os títulos indigna de um órgão como aquele: "quem cabritos vende e cabras não tem, de algum lado lhe vem". 

Com o meu pedido de desculpas, desde já, a tão ilustres representantes da magistratura nacional, confesso que achei este adorno em forma de rifão absolutamente deplorável, digno de um daqueles taxistas mal encarados, sem desprimor para os restantes, que, enquanto nos levam ao destino entre solavancos, travagens bruscas e velocidades insanas, vociferam insultos à classe política e choram a falta que Salazar nos faz.

É isto um país? Qual? Portugal ou as Baldracas? Pelo sim, pelo não, vou mudar de passaporte.

Comentários

Anónimo disse…
https://www.youtube.com/watch?v=m8DURktuHec

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

chora, mariquinhas, chora