é preciso matá-lo, antes que nos mate a nós


Desenganem-se aqueles que acreditam que as nossas agruras de agora se devem à dívida acumulada pelos sucessivos governos, socialistas, sociais-democratas, democratas-cristãos. É mentira. Os nossos males agravaram-se com a queda do muro de Berlim (que deixou à rédea solta os mais vorazes agentes do capitalismo selvagem) a que a crise americana de 2008, provocada por essa mesma gente, serviu de pretexto para consumar a estocada final. Não só havia que recuperar o dinheiro perdido (e esses senhores não gostam de perder nem a feijões) como também era mais do que tempo de concretizar os seus sonhos, há tanto acalentados: exterminar de vez o Estado Social, embaratecer o trabalho, fragilizar o trabalho, precarizar o trabalho, subjugar os povos, escravizá-los de uma forma mais subtil, mas não menos terrível, do que noutras eras.

Tenho confiança no ser humano. Ainda. A História é pródiga em exemplos de que, mais tarde ou mais cedo, as populações se revoltarão e rechaçarão os senhores do mundo que, por mais umas décadas, fingirão submeter-se. Até nova investida, quando lhes parecer oportuno, porque a ocasião faz o ladrão e matreirice não lhes falta.

Os liberalóides, os fascistóides, os capitalóides, os energúmenos, os homúnculos, as fezes a quem os deuses ou a Natureza deram vísceras e olhos e cérebro, têm os dias contados. Mas levará tempo. E custará sangue, e custará vidas e custará sofrimentos indizíveis.

Portugal não é a única vítima nas garras, mortíferas, destes senhores. É todo o mundo. São milhões e milhões de seres. Em África, na Ásia, na América Latina. É a própria Terra, cada vez mais frágil, qualquer dia moribunda.

Lutar contra tudo isto é nosso dever. É a nossa sobrevivência que periga cada vez mais. Não podemos deixar os amansados, os narcotizados, os aparvalhados, os serventuários, os servos, os vendilhões e os vendidos, os lambe-botas, os lambe-cus, os Paulos e os Portas, continuar a cavar a sua sepultura. A deles também é a nossa.

Comentários

Portuguesinha disse…
Concordo.
Infelizmente gostava de não ter esta impressão que é tão pouco optimista. Analisando somente as mudanças que têm ocorrido e quem nos está a "dominar" - sociedades tiranas sem respeito pelos Direitos Humanos a fazer uma INVASÃO sem tiros mas por onde é mais eficaz: na economia.
Anónimo disse…
Concordo inteiramente.Esta "révanche" capitalista em versão neo-liberal deve-se em muito ao favto de o chamado Bloco de Leste ter desaparecido.Até aí havia um sentimento de temor e de contenção por parte do grande capital, porque temiam a influência uma possível vitória socialismo real, apesar de o term saborado e vituperado desde o ínicio.Veio Gorbatchev, o traidor providencial,e o resto já sabemos. O capitalismo financeiro sentiu-se , então,com as mãos livres para realizar os seus "sonhos" vilãos de opressão e esmagamento da classe trabalhadora.Há que o estrangular antes que seja demasiado tarde.

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

o grande azar de pedro passos coelho