assim a modos que um mega-piquenique mas mais chunga ainda


Gosto. É a 10 de Agosto. Uma página do facebook, chamada INVASÃO DOS POBREZINHOS, apela a que toda a gente vá para a praia nesse dia. Não a uma praia qualquer mas à da coqueluche nacional, ali para as bandas da Comporta. Não para brincar aos pobrezinhos - para isso estão lá as boas famílias e nós somos, por exclusão de partes, de más famílias - mas para protestar contra os falsos pobrezinhos, os pobrezinhos de pechisbeque, os pobrezinhos de treta, de fancaria, porque pobrezinho não é quem quer, é quem assim nasce, malfadado e mal pago. 

Protesto digno desse nome, se é que me permitem meter o bedelho, seria assar uma catrefada de carapaus e sardinhas em plena praia, mesmo ao lado dos tios e tias, dos espíritos santos e dos maus espíritos, para longe vá o agoiro. E levar uns garrafões de tintol, umas bejecas, umas bagaceiras e ginjinhas. E pataniscas. Ou couratos. Ou torresmos. E fazer muito chinfrim, galar as garinas de mindinho em riste, dançar o malhão e a dança do ventre, entoar as cantigas rascas do Quim Barreiros, brincar à apanhada, à malha, à cabra-cega.

Por falar em cabra-cega: com sorte, a outra vai estar lá.  Atirem-lhe migalhas. De pão.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

o grande azar de pedro passos coelho