lisboa em beleza

Os alfacinhas calcorreiam-na sem a ver. Sem reparar na luz, no casario, nas águas do Tejo, nas pontes, nas ruelas da agora considerada a quarta mais bonita cidade do mundo. Quem resistiu a um terramoto, e se ergueu das cinzas tão bela como sempre foi, defrontará todas as crises, rechaçará patos-bravos, vencerá predadores, derrubará incompetentes, oportunistas e especuladores. Alegre entre um povo que entristece. Inteira, altiva entre os destroços de um país que empobrece.











Fotografias recolhidas em:

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

o grande azar de pedro passos coelho