memórias do cárcere (2)

Publicado no dia 15 de Janeiro de 2012. De então para cá, tudo piorou:


O Primeiríssimo manda emigrar quem não trabalha. O da Mota manda baixar as pensões dos reformados. O da Médis manda deteriorar os serviços de saúde, a pública. A Manelinha manda que tenha tratamento quem possa pagar. O Ralenti das Finanças manda aumentar impostos. O Pastel de Nata manda trabalhar mais com menos salário. A bem dizer, o que eles querem é uma legião de escravos a render dinheiro ao capital. Os outros, os desempregados, os reformados, os doentes sem dinheiro para os cuidados básicos de saúde, esses que se enforquem. Não fazem cá falta nenhuma. São uma fonte de despesas. Um estorvo. Parasitas que o que querem é viver à conta dos ricos, coitados, que já têm preocupações que bastem. Gerir milhões é uma dor de cabeça, fugir aos impostos dá trabalho, desviar fortunas para paraísos fiscais leva qualquer um à beira do desespero.

Quanto mais não vale ser pobre!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!