tenham medo, tenham cada vez mais medo


Tenham medo, muito medo. Eles podem negar, jurar a pés juntos que está ainda por nascer quem seja mais democrata do que eles, mas mesmo assim tenham medo, muito medo. São gente de extrema-direita levada a extremos com a desculpa da crise e dos desmandos de Sócrates. Tenham medo, tenham muito medo. Perseguem o trabalhador com impostos, descidas de salários, roubos vários e em várias frentes, do fisco ao confisco. Protegem o banqueiro, o senhor do dinheiro, o parceiro. Tenham medo, tenham muito medo. Até agora, só andaram a testar-nos, a ver quão longe podem ir. Se os deixarmos à rédea solta, o pior está para vir. O desempregado é um madraço que, noutros tempos, seria atirado para a mitra a pão e água. Os velhos são uns inúteis, um peso para a sociedade, a sociedade deles, as sociedades deles, a bolsa deles, as acções deles. Os estudantes, a não ser os filhos deles, são uma futilidade, um desvario de pobretanas armados ao pingarelho. Há que acabar com tudo isto. Devolver o país a quem o merece. Aos Salgados, aos Espíritos Santos, aos Ricciardi, aos Ulrich, tantos, tantos que há a precisarem de ajuda financeira, um amparo, uma esmolinha de todos os portugueses para que se salvem a si, aos seus bancos, aos seus lucros sempre crescentes.

Tenham medo, muito medo.

Imagem: http://wehavekaosinthegarden.wordpress.com

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

o grande azar de pedro passos coelho