as secas e os tufões

Tracy Williams/http://www.flickr.com/photos/95737723@N03/11049188634/
Por Mário Soares

Há meses li um livro que depois comentei num artigo, por me ter impressionado muito. Intitulava-se: "Dez mil milhões, enfrentando o nosso futuro", cujo autor Stephen Emmott, é um reputado cientista que chefia um grupo de novos cientistas que trabalham em Cambridge num laboratório sobre a Terra. E que chegaram à conclusão de que em cerca de cinquenta anos, a Terra pode implodir, por culpa dos humanos.

Curiosamente, na quinta-feira última, a Televisão TVI 24/7 passou um longo e muito interessante documentário sobre o que está a acontecer no nosso planeta, com os mais variados desastres climáticos. Têm dado origem a tsunamis, secas, tufões e inundações. Estão a destruir o Ártico e o Antártico, a perder o gelo e, em consequência, a aumentar o nível dos oceanos.

E mais: a revista Courrier International na sua última edição de 24 de novembro de 2013, intitula-se: "O tempo das catástrofes", sublinhando: tufões, secas, inundações e interrogando-se: "Em que medida o aquecimento da Terra é responsável por tudo o que está a acontecer?"

Mas ficou-se pela capa sem ir mais longe. Os mercados usurários não deixam, nem isso lhes importa...

No final do século passado falou-se muito do perigo do aquecimento da Terra. A ONU organizou sessões entre os grandes Estados do nosso planeta - da América do Norte à China, ao Japão à Rússia, ao México, ao Brasil e América do Sul, à União Europeia e mesmo ao Universo Muçulmano e à África.

Mas de repente, depois do fracasso da última reunião da ONU, que teve lugar na Dinamarca, e que foi totalmente sabotada pelas grandes potências - os Estados Unidos, a China, a Rússia e o Japão - os mercados usurários calaram a comunicação social, que em grande parte dominam, e a ONU com o atual presidente, que não gosta de sarilhos, calou-se igualmente.

Entretanto, as desgraças climáticas surgem e desenvolvem-se por toda a parte. O que se passou recentemente nas Filipinas e também nos Estados Unidos devia obrigar-nos a refletir. Mas não. A comunicação social é cada vez mais dominada pelos mercados e os jornalistas e os políticos independentes, que deviam dizer o que pensam, e não o que lhes mandam, têm vindo a diminuir. Por isso, os jornais e as revistas vendem-se cada vez menos...

Claro que a internet é uma poderosíssima rival, visto que as pessoas escrevem no Facebook e noutras redes sociais e dizem o que pensam. É o que de algum modo nos vale. Embora para os velhos, como eu, o hábito da leitura dos jornais e das revistas continue a impor-se, ao contrário dos mais novos.

Voltando a este nosso tempo das catástrofes climáticas - e o que dizem os cientistas acerca do que pode acontecer ao nosso planeta -, impõe-se-nos a necessidade de refletir a sério. São os nossos filhos e netos que vão pagar mais duramente aquilo que de pior pode vir a acontecer.

Para que serve hoje a ONU, se continua a calar-se perante os desastres climáticos, cada vez mais graves, que o nosso planeta está a viver, por culpa exclusiva dos humanos e que está já a refletir-se nas várias espécies animais, nas árvores e em certos vegetais? Para que serve o dinheiro - que é hoje o que conta - perante as catástrofes ecológicas a que hoje impunemente estão a assistir?

Temos hoje dois homens de excecional qualidade, de inteligência e de ética, que nos dão alguma esperança para o futuro: Sua Santidade o Papa Francisco e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Têm atacado a crise financeira, social, ética, política e ambiental, bem como a famigerada austeridade, de que tantos países, como Portugal, têm sido as grandes vítimas. O capitalismo selvagem e a ganância de certos políticos que só falam do que lhes interessa: do dinheiro. Mas, atenção, é importante que pensem também no destino da Terra e dos humanos que podem desaparecer, bem como os filhos e netos, uma vez que estão a destruir o nosso planeta. Serve-lhes para alguma coisa o dinheiro a que estão tão agarrados? Porque fecham os olhos ao que dizem os cientistas sobre o que pode acontecer ao nosso planeta? Como fizeram ao aquecimento da Terra, em que nunca acreditaram e que parece agora ser já uma evidência?

Reparem nos oceanos, que vão crescer muito - e inundar a Terra - dada a situação de degelo do Ártico e do Antártico que, por causa do aquecimento, estão a ser destruídos... Como é possível que os humanos, de tantos Estados, que parecem cultos e inteligentes, fechem os olhos, cegos, ao que se passa hoje na Terra, que a sua inteligência tanto desenvolveu e agora, pela ganância, estão, sem se aperceberem, a destruir?

Atenção. A nossa Madeira está a ter frequentes chuvadas que arrasam casas e estradas. É urgente estudar esse fenómeno e tomar as devidas precauções.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

a assunção da canalhice

oxalá me engane!