fait divers

Ela é jornalista. Ele não sei o que é, a notícia não diz. Mas ou é machista ou tem um sentido de humor muito especial. Apesar de viverem juntos, não são casados (em tradução livre para as mentes conservadores: vivem em pecado). Um dia, ele disse-lhe que só casava com ela se ela lhe levasse à cama, todas as manhãs, uma sanduíche, até perfazer o total de 300. Apaixonada, esparvoada, ou aceitando o humor do promitente noivo, a pequena fez-lhe a vontade e já vai em cento e muitas manhãs a levar sanduíches ao meco. Acho que ainda faltam umas 150. 150 dias para que ele a peça em casamento e se consuma o noivado (no papel, que noutros lados consumado há-de estar há muito).

A esperançosa noiva - que é diferente de noiva de esperanças -, bota em site próprio as suas receitas para que os namorados machos deste mundo tenham, todas as manhãs, sanduíches frescas e variadas nos seus leitos pecaminosos.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

o grande azar de pedro passos coelho