tempo de opóbrio

Excertos de um artigo de Baptista-Bastos. O link, para poder ler todo o texto, está aqui mais abaixo.

A indignidade de que este Governo tem dado abundantes provas enlameia-nos, também, de uma indignidade de que não somos responsáveis. Nunca, depois do 25 de Abril, esteve no poder gente desta laia e estirpe. As trapalhadas e as trapalhices em que se envolvem parecem não ter limite nem conclusão. A história dos "swaps" volta à praça, com um rol de desmentidos sem recurso aparente, e de acusações que rondam as fronteiras do nojo.

A indignidade destes tempos conduzirá, inexoravelmente, a uma hecatombe moral, cuja configuração já está presente. Não podemos deixar que o cortejo de aldrabices continue impune. Já não se trata, apenas, e seria muito, da miséria material em que vivemos, do desespero sem luz, da fome que assola milhares e milhares de portugueses. É da decadência viscosa, do abatimento da alma, da destruição do espírito que nos enleia. Não podemos, nem devemos admitir que esta gentalha destrua o que ainda deixou restar da decência, da honra e da dignidade da nação e da pátria. Acordai, cidadãos!

Artigo completo em:

Comentários

Mensagens populares deste blogue

defendamos a honra, porra!

oxalá me engane!

chora, mariquinhas, chora